Institucional 2
Banner Institucional 1

1º Concurso Estudantil de Dramaturgia do Conservatório de Tatuí – CONFIRA OS(AS) SELECIONADOS(AS)

Resultado da seleção das propostas inscritas

1º CONCURSO ESTUDANTIL DE DRAMATURGIA DO CONSERVATÓRIO DE TATUÍ

 

O Concurso Estudantil de Dramaturgia do Conservatório de Tatuí surgiu com a vocação de fomentar a escrita para a cena feita por estudantes de todo o estado, com o foco, principalmente, no interior de São Paulo. Nesta primeira edição, tivemos a surpresa e a alegria de receber 73 inscrições, com textos dos mais variados formatos: projetos, peças em processo, dramaturgias prontas. Também foi grande a diversidade de participantes, com idades entre 16 e 63 anos, estudantes de ensino médio até doutorandos, passando por cursos livres e técnicos.

Selecionar 05 premiados (além de seis menções honrosas) foi tarefa árdua da Comissão, devido à alta qualidade do material que nos chegou, balizando as escolhas com olhar atento aos objetivos do edital e procurando abarcar a maior multiplicidade possível, mas convictos de que muito mais dramaturgias eram potentes e apontam a um grande nível de singularidades e invenções em nosso Estado.

Como prêmio, cada proponente receberá o equivalente a R$2.000,00 (dois mil reais). Todos os textos selecionados serão parcialmente ou integralmente publicados na próxima edição da Buli – Revista de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí, edição de nº03, periódico online previsto para 2023.

Assim, chegamos aos seguintes textos:

 

 

SELECIONADOS

 

ALEXA – Dayany Nayara Pontes Oliveira – São Paulo / SP– (dramaturgia completa)

Em Alexa, Dayany Nayara Pontes Oliveira apresenta a personagem Marta, 50 anos, que ganha de aniversário de suas filhas uma assistente virtual. Nesta peça curta, a tecnologia é ponto de partida e jogo para um delicado olhar geracional em diálogo com o afrofuturismo e as religiosidades de matrizes africanas”. Érica Pedro e Sílvia Gomez

 

Daiany Pontes é estudante de Letras e atriz com formação em Técnico em Arte Dramática pela Escola Livre de Teatro de Santo André. Realizou cursos livres e oficinas de escrita para cena e audiovisual. Em 2019 teve seu primeiro texto encenado (Os Sons que os Sinos não Entoam) no evento Dramaturgias realizado pelo Sesc Ipiranga, em São Paulo.

 

 

CALCÁRIO – Alanis Mahara Silva Borges – Campinas / SP– (dramaturgia completa)

Calcário se destacou pelo ritmo e a forma como narra as grandes construções, civis e sociais, emoldurando os valores e negligências das corporações. Toda nova fundação traz a sombra das relações e matérias passadas. Alanis Mahara conseguiu ilustrar o peso histórico e psicológico das novas fundações erguidas sobre corrupções e apagamentos sociais”. Flor, Priscila

 

Alanis Mahara é formada em jornalismo e cursa o Bacharelado em Artes Cênicas na UNICAMP. Escreve poemas e dramaturgias que vem desenvolvendo em cursos livres, além de ministrar oficinas de escrita criativa. Seu texto Manivela foi selecionado no Concurso Nova Dramaturgia Campineira, sendo publicado em coletânea pela Editora Urutau (2021).

 

 

NECROBOTÂNICA BRASILEIRA – João Gabriel Guimaraes Mariz – Porto Feliz / SP – (dramaturgia completa)

“Os discursos políticos dos últimos anos têm atravessado as relações afetivas e familiares, embaraçando raízes que nos remetem até as origens do nosso tempo histórico. A linguagem usada como arma contra as diferenças é o que mais chama a atenção em Necrobotânica Brasileira, metáfora vegetal de um país tentando sobreviver”. Tadeu Renato

 

João Gabriel Guimarães Mariz cursa Licenciatura em Educomunicação, além de estudar Dramaturgia na SP Escola de Teatro. Morador da cidade de Porto Feliz (SP), teve seu texto Olhos movem ditos premiado no Concurso Cultural de Dramaturgias Curtas, promovido pela companhia Os Satyros, da capital paulista.

 

 

OS NUNCA QUE ACONTECERAM – Ivan Freitas Tavares – Tatuí / SP – (dramaturgia em processo)

Os nunca que aconteceram, projeto de escrita dramatúrgica em desenvolvimento por Ivan Freitas, destaca-se pela força de sugestão das suas cenas: um recurso potente que encontramos no material já desenvolvido consiste em fazer elementos cotidianos e banais alçarem a configurações alegóricas – grama, brasília cor de abóbora, chuva etc. Um projeto de dramaturgia que desponta como tradução de um olhar jovem e inventivo, joga com memória e vivência pessoal, figurando um imaginário onde ecoam as raízes nordestinas do autor”. Marcus Groza

 

Ivan Freitas Tavares é estudante do curso de Produção Fonográfica, na FATEC de Tatuí, SP. Trabalha como ator e realizador em curtas-metragens, além de produção teatral.

 

 

QUARTO DE ORÍ – Victor Timótio de Lima – São Paulo / SP – (dramaturgia completa)

Quarto de Orí, de Victor Timótio, aponta para a dramaturgia negra como outra opção estética no campo de uma cena onde a dança, a negritude, a imaginação e a afrodiáspora fazem parte da linguagem que reconta a trajetória de Abou por meio de ecos de africanidades, orixás e escrevivências de um corpo negro em disputas históricas que desafiam a colonialidade”. Cristiane Sobral

 

Victor Timotio de Lima é formado em técnico em Teatro pela ETEC de Artes e atualmente é graduando em Artes Cênicas na UNICAMP. Em 2020-2021 foi produtor pedagógico do projeto de extensão universitária Leitura dramática em escolas públicas, de Campinas. (PROEC-PEX). Pesquisa dança, teatro e escrita, sendo autor do artigo Olhando um teatro negro por buraquinhos, publicado na Revista Com Censo.

 

 

 

MENÇÃO HONROSA

 

AFASTA DE MIM ESSE CÁLICE – Aline Ferreira da Silva – Guarulhos / SP -(dramaturgia completa)

“Afasta de mim este cálice traz uma poética potente com vozes femininas de recortes diferentes. Aiê Antônio expõe as violências diárias contra corpos femininos em diferentes estágios da vida e reflete sobre como elas se enraizam no cotidiano”. Flor, Priscila

 

Aline Ferreira da Silva (Aiê Antonio) é estudante de Licenciatura em Artes Cênicas na UNESP.  Dramaturga, poetisa, atriz, produtora cultural e audiovisual. Mulher negra de trinta anos de idade, nascida e criada na cidade de Guarulhos – SP. Tem poemas e dramaturgias publicadas em coletâneas, como Pavio Vermelho Fogo: diálogo sobre uma dramaturgia de mulheres, pela editora Giostri.

 

 

ÀGORA AO AVESSO – Dea Araújo de Sousa – São Paulo / SP – (dramaturgia completa)

“Ágora ao Avesso, de Dea Araújo, é uma comédia instigante, com um olhar apurado nas referências de comediógrafos gregos, mitos, linguagem descontraída e moderna que mescla e faz crítica ao cancelamento das redes sociais, e temas potentes e atuais de comportamento”. Érica Pedro

 

Déa Araújo é estudante da Escola de Arte Dramática, na Universidade de São Paulo (EAD/ECA- USP). Formada em Licenciatura em Arte-teatro pelo Instituto de Artes da UNESP com pesquisa voltada para identidade e performance de gênero, arte drag e o percurso historiográfico da arte trans-feminina.

 

 

CARTAS EM MAR ABERTO – Nairim Liz Bernardo Marques e Carol Cax – São Paulo / SP– (projeto dramatúrgico)

“No texto Cartas em Mar Aberto, de Nairim Bernardo e Carol Cax, destaco a potência da trama e da linguagem assentada no cronograma congo e bakongo em um projeto de escrita da cena onde mulheres negras complexificadas e humanizadas escrevem em primeira pessoa, praticam sororidade e situam a pesquisa no contexto de cartas tecidas por memórias e escrevivências”. Cristiane Sobral

 

Nairim Liz Bernardo Marques é formada em Jornalismo e atualmente estuda Licenciatura em Artes Cênicas na Universidade de São Paulo (ECA- USP). Carol Cax é graduada em Filosofia e estudante de Artes Cênicas na Universidade de São Paulo (ECA- USP).

 

 

CORAÇÃO DO ASFALTO – Andrews Nascimento – São Bernardo do Campo / SP – (dramaturgia completa)

“Um indivíduo morreu eletrocutado enquanto trabalhava em cima de um andaime – a partir desse acontecimento, a dramaturgia Coração do Asfalto, de Andrews Nascimento, instaura uma multiplicidade de vozes anônimas em diálogos, não sabemos nem mesmo se são todas de pessoas humanas. Entre o tragicômico e nonsense, o texto salta aos olhos pela originalidade da sua forma dramatúrgica: presentifica uma polifonia de vozes-figuras a reverberar as urgências da cidade que não pode parar, diante do incômodo do corpo morto no meio do caminho”. Marcus Groza

 

Andrews Nascimento é formado em Cinema e estuda Dramaturgia na SP Escola de Teatro. Realizou diversos curtas-metragens, como Natal de Tonho (2014); Górgonas (2018) e Meu querido tio Tony (2022).

 

 

ESCOLA DE PALHAÇO – John Jordan e Lucas Ângelo – Ibiúna / SP – (dramaturgia completa)

“Com canções em projeto, Escola de Palhaço, de John Jordan e Lucas Ângelo, é uma proposta de musical infantojuvenil que celebra a liberdade e homenageia o artista Benjamim de Oliveira, o primeiro palhaço negro do Brasil e um ícone do circo-teatro”.             Érica Pedro e Silvia Gomez

 

John Jordan tem 17 anos e está cursando o Ensino Médio. Lucas Ângelo tem 18 anos. Ambos são moradores da cidade de Ibiúna, SP.

 

 

IRRESPEITÁVEL PÚBLICO – Audrey Takaki Marchini – Campinas / SP – (dramaturgia completa)

“O texto Irrespeitável Público apresenta o circo como uma resistência poética em meio a um mundo brutalizado, sem romantizar o cotidiano dos artistas. Durante a instauração da Ditadura Militar as personagens fazem suas escolhas, cujas consequências sempre são coletivas, com a dramaturgia apresentando uma boa estrutura clássica (dentro de uma ideia de dramaturgia ocidental) de desenvolvimento da trama”. Tadeu Renato

Audrey Marchini é estudante no curso técnico de Teatro na Escola Macunaíma, em Campinas, SP. Vem se descobrindo dramaturga nas salas de ensaio, tendo adaptado diversos textos para sua turma de formação. Seu texto Irrespeitável Público esteve em cartaz na escola em 2022, com direção de Wanderley Martins.

 

 

COMISSÃO DE SELEÇÃO

Integram a Comissão de Seleção do 1º Concurso Estudantil de Dramaturgia do Conservatório de Tatuí: Cristiane Sobral, Érica Pedroso, Flor, Priscila, Marcus Groza, Silvia Gomez e Tadeu Renato, com coordenação de Tadeu Renato e Antonio Salvador.

 

Cristiane Sobral é carioca e vive em Brasília. É Bacharel e Licenciada em Interpretação Teatral e Mestre em Artes (UnB). Tem 11 livros publicados, o mais recente Amar antes que amanheça, contos. Palestrou em 09 universidades estadunidenses, inclusive Harvard. Em 2002 atuou como dramaturga convidada do Grupo Artístico Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí onde concebeu Kitembo – entre nascedouros e poentes. Foi finalista do prêmio Jabuti de Literatura 2022 com o livro Pretos em Contos, volume 2.

 

 

Érica Pedro nasceu em Iperó, interior de São Paulo e reside em Tatuí-SP. É graduada em História e Geografia, pós-graduanda em Arte Educação. É professora da área de Artes Cênicas no Conservatório de Tatuí. Estudou com Zé Renato, Clóvis Garcia, Marcelo Lazzaratto, Gerson Steves, Erika Bodstein, Valéria Marchi, Calixto de Inhamuns, Diego Moschovich, entre outros.

 

 

 

Flor, Priscila (nessa ordem e com vírgula) é o nome artístico de Priscila Assis, escritora e turismóloga nascida em São Roque – SP e atualmente residente em Tatuí. Sua primeira publicação foi o livro de contos curtos A Marcha das Efêmeras. Uma Bandeira para Carlito foi seu romance de estreia, vencedor do concurso #écoisadepreto da Rico Editora. Participou da antologia Raízes: resistência histórica da Venas Abiertas e Vozes Negras do Se Liga Editorial. Experimentou a dramaturgia com os espetáculos Opinião Conta Dandaras, contemplado pelo ProAc e com Canavial da Esperança, contemplado pelo ProAc Lab.

 

 

Marcus Groza nasceu em São José dos Campos-SP e reside em São Bento do Sapucaí-SP. É escritor, dramaturgo e pesquisador. Autor das peças como Não Urine no Chão e Tambor de Couro Vivo assim como dos livros Museu da Higiene (poemas) e Pular no Rio até o Rio secar (romance). Participou com oralização de poemas do programa Manos e Minas da TV Cultura (SP), do Inverno Cultural da UFSJ (MG), do Tercer Jueves (Buenos Aires – ARG). O seu ensaio Para uma poética do esquecimento foi traduzido para o espanhol e publicado em Olvidar — Brumaria Works #9, coletânea impressa publicada em Madrid, Espanha.

 

 

Sílvia Gomez nasceu em Belo Horizonte- MG e reside em São Paulo- SP. É jornalista, dramaturga e roteirista. Autora das peças teatrais Mantenha fora do alcance do bebê (ganhadora dos prêmios APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte, na categoria de melhor dramaturgia, e Aplauso Brasil) e Neste mundo louco, nesta noite brilhante (indicada ao Prêmio Shell) e A Árvore (Editora Cobogó), entre outras. Suas peças foram traduzidas para o alemão, espanhol, francês, inglês, italiano, mandarim e sueco, tendo sido encenadas e lidas em países como Argentina, Bolívia, Colômbia, Escócia, Espanha, Inglaterra, México e Portugal. Mestranda na Escola de Comunicações e Artes na Universidade de São Paulo.

 

 

Tadeu Renato nasceu em São Paulo, é mestrando em Letras na UNIFESP. Graduado em Filosofia e Artes Visuais. Formado em Dramaturgia na SP Escola de Teatro. É autor de 20 textos encenados por grupos da capital paulista e do interior do Estado. Tem 04 livros, entre poesia, prosa e dramaturgia, entre eles lenz, um outro (dramaturgia, Edições de Risco) e Licantropia (dramaturgia, Selo Cesura). É professor de Dramaturgia no Conservatório de Tatuí.

 

 

Antonio Salvador é sul-mato-grossense, ator e pesquisador de teatro. É mestrando em Artes Cênicas na ECA-USP. Lecionou na Escola Livre de Teatro de Santo André, Núcleo Experimental de Artes Cênicas do Sesi-SP e PUC-SP. Como ator, integra a Cia Teatro Balagan. Atuou ainda em Um panorama visto da ponte, direção de Zé Henrique de Paula; Trilogia Abnegação, Grupo Tablado de Arruar e Cassandra, direção de João das Neves. Recebeu o Prêmio APCA, pela atuação em Recusa, também indicado ao Prêmio Shell de Teatro. Desde 2021 é Gerente Artísitico e Pedagógico de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí.

 

Conservatório de Tatuí
Site: VSEIS
Governo do Estado de SP