Curso Livre - Confecção de Instrumentos Musicais
Curso Livre - Programas Performativos
Curso Livre - O conto, quem conta
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1
Conservatório Dramático e Musical de Tatuí

Educação Musical

O Conservatório de Tatuí iniciou suas atividades na área de educação musical na década de 1960, quando instituiu o curso de Iniciação Musical, atendendo crianças de seis, sete e oito anos de idade. A partir de 1990 foi implantado o curso de Musicalização Infantil, voltado para a faixa etária de cinco anos e, posteriormente, de quatro anos. Em 2004 passou a oferecer o curso de Musicalização para Educadores e, em 2009, o curso de Musicografia Braille.
Atualmente, o setor é coordenado pela professora Tania Tonus e é formado por corpo docente altamente qualificado, com vasta experiência na área da Educação Musical.
Todos os cursos oferecidos pelo setor estão fundamentados nos princípios pedagógicos de importantes educadores musicais, como: Carl Orff (valorização da expressão e criação); Edgar Willems (desenvolvimento do ouvido musical); Émile Jacques Dalcroze (importância da movimentação corporal); Hans-Joachim Koellreutter (improvisação e liberdade criativa); Keith Swanwick (considerar a música enquanto discurso); Zoltán Kodály (utilização do canto como importante recurso para a iniciação musical); entre outros.

 

Cursos e disciplinas

O setor de Educação Musical, atualmente, oferece os seguintes cursos: Musicalização Infantil, Iniciação Musical, Musicografia Braille e Musicalização para Educadores; conforme consta na grade curricular.
O curso de Musicalização Infantil atende crianças de 4 e 5 anos e desenvolve estratégias de ensino por meio de atividades musicais para movimento e expressão corporal, apreciação musical, introdução à leitura e escrita musical, execução instrumental e repertório.
As aulas dos cursos da Iniciação Musical são desenvolvidas a partir de vivências e atividades lúdicas que estimulam os alunos a participarem ativamente do processo de ensino e aprendizagem. Apresenta quatro disciplinas: Consciência Corporal, Prática de Música em Conjunto, Prática Vocal e Treinamento Auditivo:
– Disciplina Consciência Corporal – A disciplina é estruturada dentro da seguinte rotina: alongamento, aquecimento, improviso, repertório e projetos bimestrais. Essa rotina é trabalhada ao longo do curso com as crianças de seis a oito anos para que se estimule e desenvolva no aluno o cuidado com o próprio corpo e suas possibilidades.
– Disciplina Prática de Música em Conjunto – Esta disciplina pretende oferecer o conhecimento elementar da prática de música em conjunto, por meio da apresentação e exploração dos instrumentos: flauta doce soprano, percussão leve e instrumental Orff. Proporcionará a sensibilização da percepção auditiva, bem como desenvolverá a consciência corporal através do processo de controle respiratório na execução instrumental (flauta doce soprano) e manulação (percussão).
– Disciplina Prática Vocal – A disciplina está estruturada na seguinte rotina: alongamento corporal, aquecimento vocal e repertório. Essa rotina é trabalhada com as classes de crianças de seis a oito anos de idade, com o intuito de estimular e desenvolver o cuidado com a voz e compreensão das possibilidades vocais de cada aluno.
– Disciplina Treinamento Auditivo – Esta disciplina pretende oferecer o conhecimento básico dos elementos musicais (rítmicos e melódicos) e o desenvolvimento da percepção auditiva. O aluno entrará em contato com a simbologia musical por meio de materiais pedagógicos específicos para alfabetização musical infantil.
O curso de Musicografia Braille possibilita o aluno com deficiência visual desenvolver plenamente suas atividades de escrita e leitura musical no Sistema Braille, dando-lhe o suporte necessário dentro de suas especificidades na execução instrumental.
O curso Musicalização para educadores foi estruturado em 2004 atendendo à demanda de professores da rede de ensino, interessados em conhecer os procedimentos da musicalização infantil após constatarem que a música, em razão de seu poder criador e liberador, é um poderoso recurso disponível para ser usado no processo educacional. Da mesma forma, a volta do ensino de música nas escolas despertou também o interesse de músicos em conhecer práticas pedagógicas que facilitassem o exercício da profissão.

 

Grade curricular

Curso

Faixa Etária

Duração

Disciplinas

Musicalização Infantil

4 e 5 anos

4 semestres

– Musicalização Infantil

Iniciação Musical

6 a 8 anos

6 semestres

– Consciência Corporal
– Prática em Conjunto
– Prática Vocal
– Treinamento Auditivo

Musicalização para Educadores

Adultos

4 semestres

– Iniciação Musical
– Musicalização Infantil
– Música e Inclusão
– Prática de Música em Conjunto

Musicografia Braille

Adultos

8 semestres

– Musicografia braille

Adriano Felício da Costa

Adriano Felício da Costa

Prática de Música em Conjunto e Treinamento Auditivo

Mestre em Educação (Uniso), tendo desenvolvido pesquisa sob o tema "Ensino da Música em Pauta - Contextos e dilemas na educação básica". É bacharel em Violão pela UFSM (RS). Foi bolsista das professoras Luciane Wilke Garbosa e Claudia Bellochio (UFSM). Realizou cursos de organização de eventos, tendo sido curador do evento "Encontro – Ensino da Música em Pauta: Contexto e Dilemas na Educação Básica" (Uniso - 2011). Atuou também como coordenador artístico da Mostra Violonística de Votorantim (2007 e 2008), e do Encontro de Orquestra de Violões (2008 e 2010). Participou da III Semana da Educação Musical UNESP (Oficina com Murray Scheifer); II Festival de Música Erudita de Piracicaba - Curso de Rítmica Dalcroz (prof. Iramar Rodrigues); Oficina de Educação Musical e Percussão Corporal com Lu Horta (Barbatuques); Oficinas Via Cultura Che Ro Momaiteí, Brasil! e Dinâmica de Ensaio para Coral Infantil com Thelma Chan; Seminário Internacional de Educação Superior UNISO; XVIII e XIX Festival Internacional de Inverno da Universidade Federal de Santa Maria / Vale Vêneto; VII Seminário de Violão Souza Lima; I FIVO Festival Internacional de Violão em Osasco; III, V e VI Festival Nacional de Violão de Guaratinguetá Dilermando Reis; I Festival Nacional de Violão de Votorantim; e II Simpósio Internacional de Guitarra Del Litoral na Argentina (Universidad Autónoma de Entre Ríos). Dentre os recitais realizados, destacam-se atuações como solista da Orquestra de Câmara de Campinas em Votorantim, sob regência Rogério Santos (2001) e estréia da obra Toada (opus 18b) para 2 violões de Dimitri Cervo (2005). Assina ainda a trilha sonora "Quando se desprendem as partes", Coletivo O12 (Prêmio Funarte de Dança Klaus Vianna-2008) e a do documentário "Sociedade Autônoma Fábrica Votorantim", organizado por Werinton Kermes. Atualmente é professor do Conservatório de Tatuí nas disciplinas Prática de Música em Conjunto e Treinamento Auditivo; também é professor do Conservatório Municipal Maestro Henrique Castellari e de pós-graduação em Arte-Educação do Nobre - Instituto de Desenvolvimento Educacional.

Ana Paula Zambon Gambini

Ana Paula Zambon Gambini

Treinamento Auditivo

Formada em Canto Lírico pelo Conservatório de Tatuí integrou os corais "Da Boca Pra Fora" e o "Coro de Câmara do Conservatório de Tatuí" sob a regência do maestro Cadmo Fausto (2002 a 2008). Com os corais teve a oportunidade de se apresentar em locais de grande importância no cenário musical, tais como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, o Memorial da América Latina (SP) e no Teatro Procópio Ferreira (Tatuí), com repertório Erudito e Popular. Estudou Canto na Escola Municipal de São Paulo - Tom Jobim/SP, sob orientação do professor Marcos Thadeu. Formada em pedagogia pela UniSEB e está cursando Licenciatura em Educação Musical (UFSCAR ). Participou em janeiro de 2014 do VIII Curso Internacional-Orff Schulwerk no Brasil: Estevão Marques (Brasil), Verena Maschat (Espanha) e Pollo Vallejo (Espanha). Atua desde 1998 como Educadora Musical (Musicalização e Canto-Coral infantil) em Araras (SP) no Colégio Monteiro Lobato (Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II). É Coordenadora Pedagógica/Musical da Escola de Música Carlos Viganó (Projeto pertencente à Cooperativa de Música Maestro Francisco Paulo Russo, mantida pela Prefeitura Municipal de Araras-SP). É Professora de Teoria e Percepção Infanto- Juvenil do departamento das Disciplinas Teóricas, e também de Treinamento Auditivo da Área de Iniciação Musical no Conservatório de Tatuí.

Isabel Cristina de Campos

Isabel Cristina de Campos

Musicalização Infantil, Musicalização para Educadores e Treinamento Auditivo

Pós-Graduada em Educação Musical pela Faculdade Paulista de Artes, formada em Pedagogia e Piano Erudito. Faz parte do corpo docente do Conservatório de Tatuí desde 2000, no setor de Educação Musical. Na área de sua especialidade, estudou com os professores: Josette Feres, Enny Parejo, Violeta Hemsy de Gainza, Lásló Ordog, Carlos Miró, Thelma Chan e Uirá Kuhlmann. Tem participado também de diversas oficinas, encontros e congressos de Educação Musical, destacando-se dentre eles: VII Curso Internacional sobre Método Kodály de Aprendizagem Musical (2002); Jogos e Brincadeiras Musicais sobre o Método Dalcroze (2008); XVII Encontro Anual da Associação Brasileira de Educação Musical - ABEM (2008); Congresso de Educação Musical Willems (2009); IV Encontro de Educação Musical do Instituto de Artes – UNICAMP (2011), entre outros. Como educadora musical, tem se dedicado a pesquisas e estudos sobre a música na educação infantil e o processo de alfabetização musical. Ministrou as oficinas: "Música e Movimento na Educação Infantil" e "Princípios da Alfabetização musical através de Jogos e Brincadeiras", dentro da 1ª Semana de Educação Musical do Conservatório de Tatuí (2013). Atualmente é professora no curso de Musicalização Infantil, na disciplina de Treinamento Auditivo no curso de Iniciação Musical e Musicalização para Educadores.

Karla Cremonez Gambarotto

Karla Cremonez Gambarotto

Musicografia Braille

Clarinetista, Pós-Graduada em Metodologia do Ensino da Música, Especialista em Musicografia Braille, formada em Pedagogia. Como Educadora Musical se interessou em pesquisar e estudar: Música e Inclusão, onde se especializou em Inclusão do Aluno com Deficiência no Ensino Regular - Braille e Libras (USP); Educação Especial com habilitação nas Áreas: Deficiência Visual; Deficiência Auditiva; Deficiência Intelectual e Deficiência Física; Psicopedagogia Educacional e Psicopedagogia Clínica (UNAR). Em suas especialidades estudou e recebeu orientações de: Dolores Tomé; Beatriz Ilari; Bernardete Zagonel; Lydio Roberto; Cassiana Zamith; entre outros. Desde 2005 é Professora de Educação Musical Infantil do Colégio Objetivo de Tatuí na Educação Infantil e Ensino Fundamental. Desenvolveu trabalhos nessa mesma área de Musicalização em vários Projetos Sociais, Ongs, Bandas e Fanfarras e Associações para Portadores de Deficiências. Em seu Currículo constam participações em diversos cursos, workshops; palestras com Enny Parejo; Josette Feres; Beatriz Ilari; Thelma Chan etc. Passou a integrar em 2007, o Corpo Docente do Conservatório de Tatuí, onde implantou o Curso de Musicografia Braille e nesse ano de 2012, a convite do Coordenador Ronaldo Silva passou a ministrar as disciplinas de Prática de Música em Conjunto Infantil e Musicalização para Educadores – Música e Inclusão na Realidade Escolar. Ministra aulas em Cursos de Capacitação, Aperfeiçoamento e Especialização em Deficiência Visual (Braille) nas cidades do Estado de São Paulo à Profissionais das áreas de Educação Especial; APAES e Instituições de Reabilitação juntamente com o Centro de Educação Especial e Orientação Profissional "Lilian Carla" – Bauru/SP em parceria com diversas Faculdades e Universidades. Também é graduanda do curso de Produção Fonográfica da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo, onde realiza pesquisas sob orientação da professora-doutora Élide Vivan.

Luiz Rafael Moretto Giorgetti

Luiz Rafael Moretto Giorgetti

Teoria e Percepção (Matérias Teóricas) e Prática Vocal (Educação Musical)

Mestre em Música pelo Programa de Pós-Graduação do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (IA-Unesp/ SP) na área de Musicologia, Etnomusicologia e Educação Musical, com tema que versa sobre as práticas pedagógicas de auxílio ao desenvolvimento da escuta musical no âmbito da disciplina de percepção e teoria musical. Durante o mestrado, teve o prazer de ser contemplado com uma bolsa Capes. Possui pós-graduação em Metodologia do Ensino na Educação Superior/ Especialização Lato Sensu (2013) pela UNINTER (Curitiba/ PR); Bacharelado em Instrumento - Violão (2004) sob orientação dos violonistas Cláudio Corradi e José Marcelo Martins; e Licenciatura em Educação Musical (2009), ambos pela Universidade do Sagrado Coração (USC/ Bauru - SP), onde também cursou piano complementar. Tem experiência na área de artes, com ênfase em Música, atuando principalmente no campo da Teoria/Percepção Musical, Harmonia (funcional e tradicional), violão, guitarra e educação musical. Participou da VI e VII semana de educação musical (IA-Unesp-SP), onde apresentou trabalhos, artigos acadêmicos e a comunicação oral intitulada "Desafinação vocal no contexto da disciplina de percepção musical", sob coordenação dos professores Dra. Marisa Trench de Oliveira Fonterrada, Dr. Fábio Miguel e Dra. Maria Consiglia Raphaela Carrozo Latorre. Em 2015, também apresentou trabalho oral no 5º Simpósio Internacional de Linguagens Educativas da USC, abordando a seguinte proposta: "Apontamentos Sobre a Disciplina de Percepção Musical no Ensino Superior de Música". Desde 2013 é integrante como guitarrista da Pederneira's Jazz Band e vem se apresentando em vários espaços da região. Atualmente leciona Teoria e Percepção Musical e atua na Área de Educação Musical do Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí, onde também estudou no curso de guitarra MPB/Jazz. Foi professor de Violão e Teoria/Percepção pela Prefeitura Municipal de São Manuel (1999-2008). Nos anos de 2010 e 2011, foi contratado pela Associação Amigos das Oficinas Culturais do Estado de São Paulo para ministrar dois cursos voltados ao ensino coletivo de violão. Lecionou na Associação dos Amigos do Projeto Guri (AAPG) de agosto de 2009 a março de 2013, as disciplinas Fundamentos da Música e Violão. Classificado em primeiro lugar como professor de ensino básico da disciplina "Arte" no município de Areiópolis-SP, onde foi funcionário público entre os anos de 2009 e 2015. Concluiu como aluno especial da Pós-Graduação (Mestrado) da Unicamp as disciplinas Tópicos Especiais em Composição/Arranjo (2006) e Música e Tecnologia (2014), com os professores Dr. Rafael dos Santos e Dr. José Eduardo R. de Paiva respectivamente. Já atuou como solista e também acompanhando cantores. Participou de vários festivais e workshops, entre eles Festivais de Ourinhos e do Conservatório de Tatuí. Desde 2019 vem se aprofundando no estudo da polirritmia por meio do curso online do Prof Dr. Marcelo Coelho. Como premiação, conquistou em 2001 o 3º lugar no XX Concurso Latino Rosa Mística de Música Curitiba/PR de Violão Erudito (Grupo 3 – Adulto).

Maria Eugênia Sacco

Maria Eugênia Sacco

Prática de Música em Conjunto

Bacharela em cravo pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e licenciada em Harpsichord Performance pelo Trinity College London. Aperfeiçoou-se em Amsterdã, Holanda, no Conservatorium Sweelinck, com Anneke Uittenbosch (1994-95), e na Academie voor Oude Muziek, com Patrick Ayrton (1995-96). Participou de cursos ministrados pelo cravista Ilton Wjuniski no Conservatorio Superior de Salamanca (Espanha), Musica para teclas de los siglos XVI y XVII (2001), e na Académie Musicale de Villecroze (França), Stage de Clavecin (2001) e Atelier de Musicologie (2003). De 2000 a 2003 foi assistente do professor Ilton Wjuniski na Fundação e Escola Magda Tagliaferro, em São Paulo (projeto pedagógico apoiado pela Fundação Vitae), sendo por ele orientada nos estudos de cravo, baixo contínuo e música de câmara barroca. Foi professora de cravo e baixo contínuo na mesma instituição por quase dez anos. É professora de cravo, baixo contínuo e música de câmara no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, em Tatuí, desde 1998, exercendo ainda o cargo de docente na disciplina prática de música em conjunto na área de educação musical. Além das atividades como docente, atua como cravista do Grupo de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí, o qual é coordenado pela professora e flautista Selma Marino. Realizou diversos trabalhos como cravista correpetidora em cursos e master classes além de festivais em várias cidades do Brasil, nos quais exerceu o acompanhamento para cantores e instrumentistas dos cursos da área de música antiga. Ministrou master classes pelo Brasil e exterior: Prática de Música Barroca e Oficina de Ópera Barroca- Festival de Música de Londrina (2004), Cravo e Prática de Música Barroca - II Festival de Música Antiga de Porto Alegre (2005); Cravo - Escuela Universitaria de Música - Montevideo, Uruguai (2005); Cravo- Escola de Música de Blumenau do Teatro Carlos Gomes (2008). Foi selecionada para participar da master class de cravo realizada no PERFORMA CLAVIS (Evento organizado pelos Programas de Pós- Graduação em Música da UNICAMP- UNESP e USP) em 2010, na UNESP e, em 2012, na UNICAMP. Paralelamente à carreira pedagógica, realiza concertos com o DUO AULEUM (cravo e viola da gamba) em vários estados do Brasil.

Miriam Gonçalves Diniz Ferreira

Miriam Gonçalves Diniz Ferreira

Prática vocal

Formada em educação artística com pós-graduação em Psicopedagogia e Educação Musical. Regente de canto-coral, com trabalho voltado ao coro infantil. Foi semifinalista do Concurso Funarte na cidade do Rio de Janeiro, com o coro infantil “Moléculas”. Com o mesmo coro ganhou em primeiro lugar, com o tema “Amor e Infância”, o concurso do 1º Encontro Latino-Americano de Jacareí, além de ter sido semifinalista do Mapa Cultural Paulista (fase municipal). Fez curso com Dulce Leandro, Gisele Cruz, Violeta Gainza, Henry Leck, Marisa Fonterrada, Erik Westemberg e Angelo Fernandes. Atualmente, realiza trabalho vocal na área de Educação Musical do Conservatório de Tatuí e é regente do Coro Infantil do Conservatório de Tatuí, além de atuar na área de Canto Coral da Emesp-SP.

Patrícia Vieira de Moraes

Patrícia Vieira de Moraes

Prática de Música em Conjunto e Treinamento Auditivo

Iniciou seus estudos de música – piano - no Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí tendo como professores Hélia Jordão, Irene Almeida, Catarina Domenici e Leila Mutanen Tai. Em 1993 ingressou na Unicamp, graduando-se em piano na classe de Mauricy Martin. Manteve paralelamente ao estudo de piano esteve o canto erudito e popular, participando ativamente de corais e aulas de canto tendo como professores Adriana Giarola Koyama, Cíntia Borgani, Mirtes Lomba e Cláudio Casarini. Participou de workshop de Musicalização Infantil realizado pelas professoras Darli Paulillo e Irene Almeida; de Curso de Interpretação e Leitura Pianística realizado por Míriam Braga; do Concurso de Incentivo para Piano; do 2º Concurso Interno de Estímulo de Piano; do Curso de Performance e Voz na área cênica; do Seminário de Atualização Didática na área de Teclado; e de diversos congressos na área da educação sempre focando a educação musical, além do curso “Psicomotricidade como Auxiliar na Educação Musical” tendo como facilitadores Maria Zei Biagioni, Márcia Visconti, Monique Mayumi e Públio Gimenes. Fez parte do grupo teatral Falsa Modéstia atuando como cantora e sonoplasta realizando espetáculos de diversos gêneros. Em 2008, finalizou a pós-graduação em Educação Especial – Especialização em Deficiência Intelectual no Centro Universitário Claretiano, cujo tema da monografia foi: "Educação Musical e Inclusão", atuando amplamente na área da Educação Musical com pessoas especiais desde 2002. Em 2008 ingressou na UAB – UFSCar no curso de Licenciatura em Educação Musical. Em 2010 participou do VII Simpósio de Educação Musical Especial com Viviane Louro. Em 2013 graduou-se em Licenciatura em Educação Musical pela UAB – UFSCar.

Selma Marino

Selma Marino

Prática de Música em Conjunto

Iniciou seus estudos musicais em São Paulo, estudou flauta doce com as professoras Cléa Galhano na Pró-Música – Escola de Arte, e com Terezinha Saghaard na Escola Municipal de Música de São Paulo. Formada em flauta doce pelo Conservatório de Tatuí, onde estudou com os professores Bernardo Toledo Piza e William Takahashi. Completando sua formação, recebeu orientação dos flautistas: Ricardo Kanji, Bernardo Toledo Piza, David Castelo e Valéria Bittar. Participou do curso de cravo, baixo contínuo e música de câmara ministrado por Ilton Wjuniski (FR) na Fundação Magda Tagliaferro, em São Paulo; do workshop de Dança Barroca ministrado por Ricardo Barros (BR/UK) no Conservatório de Tatuí; e do 24º Festival de Música de Londrina (PR), frequentando cursos de Flauta Doce e Prática de Música Medieval e Renascentista com o professor Pedro Hasselmann Novaes, Oficina de Ópera Barroca ministrada por Marília Vargas (BR/CH). Na Itália, participou do 46º Corso di Musica Antica di Urbino na classe de flauta doce e música de câmara do professor Stefano Braguetti. Estudou cravo e baixo contínuo no Conservatório de Tatuí com a professora Maria Eugênia Sacco. Atuou como tutora presencial do curso de Licenciatura em Educação Musical da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar-EAD). É Licenciada em Educação Artística, com especialização em Metodologia do Ensino da Música e em Música de Câmara. Atualmente, é professora de Flauta Doce dos setores de Performance Histórica, Música de Câmara e Prática de Conjunto para Iniciação Musical no Conservatório de Tatuí.

Sílvia Salles Leite Lombardi

Sílvia Salles Leite Lombardi

Musicalização Infantil

Mestre em Música pela UNESP. Possui larga experiência no ensino musical, tendo se dedicado principalmente a crianças de 4 a 8 anos. Graduada em Educação Artística, tem formação musical em flauta-doce e violão. Pós graduou-se no curso Capacitação Docente em Música Brasileira pela Universidade Anhembi-Morumbi. Participou de diversos cursos na área de musicalização e flauta-doce, incluindo as metodologias e ideias dos pedagogos musicais como Dalcroze, Kodaly, Willems, Suzuki e principalmente Orff. Dedica-se ao estudo da música da cultura infantil, tendo a pesquisadora e etnomusicóloga Lydia Hortélio como referência. Foi sócio-fundadora da Abraorff, Associação Orff Brasil, onde atuou até 2009. Ao longo de sua trajetória, lecionou em escolas de ensino regular, escolas de música, instituições e OnGs, dedicando-se também à formação docente, na capital e interior paulista. Atualmente, além do Conservatório, leciona na Escola Municipal de Musica, Colégio Alpis Veredas e Lar das Meninas Célia Teresa, em Itapetininga.