MOVE
Institucional 2
Banner Institucional 1

Conservatório de Tatuí promove master class gratuita sobre história do choro

Ministrada pela panderista Roberta Valente, a aula será na próxima terça-feira, dia 28, às 13h, no Salão Villa-Lobos

Conservatório de Tatuí promove master class gratuita sobre história do choro

24/03/2023

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria de Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerida pela Sustenidos Organização Social de Cultura e considerada a maior escola de música e artes cênicas da América Latina – traz para a Capital da Música a panderista, produtora e pesquisadora de música popular brasileira, Roberta Valente. A master class, que tem como tema principal a história do choro, será realizada na próxima terça-feira, dia 28, às 13h, no Salão Villa-Lobos.  A entrada é gratuita.

A aula contará um pouco sobre a história do gênero musical, desde a chegada da família real portuguesa no Brasil, em 1808, até a atualidade. “O Choro tem mais de 150 anos e é a base da música popular brasileira. Prestes a virar patrimônio cultural pelo Iphan, nunca foi tão valorizado: temos centenas de chorões, choronas, festivais e Clubes do Choro espalhados pelo Brasil e pelo mundo”, destaca Roberta Valente.

Roberta Valente
Pandeirista, produtora e pesquisadora de música popular brasileira, com 33 anos de carreira, Roberta é referência no samba e no choro de São Paulo. Integra os importantes grupos Chorando as Pitangas, Ó do Borogodó, Bola Preta, Choro Rasgado e o projeto Panorama do Choro, do qual é uma das idealizadoras, além de ter seu próprio quarteto e acompanhar vários cantores de samba e MPB em diversos projetos. Formada em Letras pela Puc/SP, lecionou inglês (básico), literatura e português por cerca de dois anos em escolas públicas. Participou da série de shows Cantando e Contando, como pesquisadora, redatora e percussionista, projeto que tem por finalidade divulgar a vida e a obra de grandes nomes da MPB dos anos 1920, 1930 e 1940, com seu grupo Bando da Rua.

Foi diretora do Clube do Choro de São Paulo e editora de notícias do importante site samba-choro (www.samba-choro.com.br), o primeiro especializado no gênero. Escreveu artigos para a Revista Violão Pro, Revista Raça, jornal Estadão, Sesc, etc. É co-autora do livro Antologia Musical Popular Brasileira-As marchinhas de carnaval (Musa Editora) e organizadora e co-autora do livro Brasil Toca Choro, lançado em comemoração aos 50 anos da TV Cultura.

Roberta é citada em livros, cds, artigos de jornal, programas de shows e textos diversos como importante referência de pesquisa sobre música brasileira. Já ministrou cursos sobre a história do choro, a história do samba e da música brasileira e cursos sobre literatura em casas de cultura, unidades do Sesc, eventos da prefeitura, escolas públicas e particulares (como Móbile, Equipe, Santa Cruz, etc.). É professora de História do Choro na Escola de Choro de SP.  Como percussionista já se apresentou ao lado de grandes nomes como Yamandu Costa, Hamilton de Holanda, André Mehmari, Arismar do Espírito Santo, Raul de Souza, Duo Assad, Badi Assad, Banda Mantiqueira, Altamiro Carrilho, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Roberta Sá, Pedro Luiz, Eduardo Dussek, Renato Braz, Izaías do Bandolim, Orquestra Jovem Sinfônica, Paulinho Nogueira, Raul de Barros, Wilson das Neves, D. Ivone Lara, Maurício Carrilho e Pedro Amorim, Délcio Carvalho, Carlos Poyares, Wilson Moreira, Carmen Queiroz, Família Nogueira (Gisa, Diogo e Didu Nogueira), Wanderléa, Alessandro Penezzi, Marcelo D2, Tom Zé, Mariana Aydar, Aldir Blanc, Jovino Santos Neto, S. Jair do Cavaquinho, Laércio de Freitas, Monarco, Alexandre Ribeiro, Nelson Sargento, Nei Lopes, Walter Alfaiate,  Verônica Ferriani, Fabiana Cozza, Riachão, Roque Ferreira, Jussara Silveira, Rita Ribeiro, Antonio Vieira,  Ademilde Fonseca, Toninho Carrasqueira, Zé Paulo Becker, Danilo Brito, Marienne de Castro, Billy Blanco, Baby Consuelo, Pepeu Gomes, Armandinho, Paulo Moura, Juçara Marçal, Kiko Dinucci, Rômulo Fróes, Giana Viscardi, Izabel Padovani e Ronaldo Saggioratto, Zé Luiz Mazziotti,  Marcos Sacramento, Tia Surica, Anaí Rosa, Pedro Miranda, Beatriz Faria, Luiz Nassif, Léa Freire, Eliane Faria, Vitor Lopes, Odésio Jericó, Daisy Cordeiro, Luizinho 7 Cordas e Euclides Marques, Antônio Rago, Fábio Peron, Daniella Spielmann, Sheila Zagury, Pablo Fagundes, Ruy Weber, Luiz Filipe de Lima, Charles da Flauta, João Poleto, os internacionais Nicolas Krassik, Ted Falcon, John Berman, Willy Gonzalez, Micaela Vita, Gabriele Mirabassi, Jane Lenoir, Ami Molinelli, Brian Rice, etc.

Tocando e ministrando workshops de pandeiro, da história do choro, do samba e da música popular brasileira, realizou turnês por todo o Brasil e pelo exterior – Austrália, Índia (com Yamandu Costa), Nova Zelândia, EUA (Seattle, Califórnia, Northtampton, Denver, NY), Argentina, Uruguai, França, Itália, Portugal, Espanha, Londres e Holanda. Apresentou-se nos últimos 21 anos duas vezes por semana no bar Ó do Borogodó, em Pinheiros (SP), importante reduto de música brasileira, considerado um dos melhores bares com música ao vivo de São Paulo. Gravou como percussionista várias edições dos programas Sr. Brasil, do Rolando Boldrin, Mosaicos e Brasil Toca Choro, este último como pesquisadora e instrumentista (todos da TV Cultura). Em parceria com o percussionista Yves Finzetto, Roberta ganhou três edições do prêmio Proac com o projeto Panorama do Choro Paulistano Contemporâneo, que resultou em dois CDs com aproximadamente 50 instrumentistas de SP. Em 2020, o Panorama lançou seu primeiro DVD, pelo Selo Sesc, no ar pelo Sesc Digital. A convite da empresa Amana-Key, Roberta e o gaitista Vitor Lopes, como integrantes do grupo Chorando as Pitangas, apresentam e produzem uma aula-espetáculo por todo o Brasil, para executivos de grandes empresas como a Vale do Rio Doce, Nestlé, Bradesco, Amil, Itaú, Petrobrás, Correios, Bosch, Rede Globo, Supremo Tribunal Federal etc.

Atua como produtora no cenário instrumental de São Paulo, sendo responsável por importantes shows em unidades do Sesc, Sesi, prefeituras, empresas, televisão, eventos, casamentos, etc. Dentre centenas de espetáculos, alguns destaques: Roberta produziu e montou um grupo pra se apresentar no espetáculo Garrincha, do famoso teatrólogo americano Bob Wilson, no Sesc Pinheiros; Em 2013, em parceria com o Sesc Pompeia, criou o bem-sucedido projeto Choro Cantado, com um octeto, do qual foi integrante e produtora, e os cantores Giana Viscardi, Maurício e Wanderléa. Produziu o palco de Choro da Virada Cultural por 4 anos, sendo que um deles contou com a participação de cerca de 150 chorões da cidade, que se revezaram durante 24 horas; Em 2018 produziu o centenário do Jacob do Bandolim para o Sesc Pinheiros, com diversas participações, dentre elas a do bandolinista Hamilton de Holanda; Em 2019, numa parceria com o Sesc 24 de Maio, criou o projeto Choraço que teve, nesse ano, 7 apresentações ao longo de doze horas de Choro. No ano seguinte, idealizou, produziu e apresentou uma série de podcasts sobre o choro, o Choraço Virtual, com 8 episódios e 65 convidados; Em 2022 participou novamente do Choraço como pandeirista, produtora e apresentadora, além de escrever um roteiro de rodas de Choro em SP e um texto sobre a história do Choro.

Serviço

Master class de história do choro com Roberta Valente
Data: 28 de março de 2023, terça-feira
Horário: 13h
Local: Salão Villa-Lobos
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí-SP
Entrada gratuita

**

Agradecemos aos patrocinadores do Conservatório de Tatuí e da Sustenidos Organização Social de Cultura que apoiam nossas atividades por meio da Lei Federal de Incentivo e por verba direta.

 

Sobre o Conservatório de Tatuí: Fundado em 11 de agosto de 1954, o Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí – ou apenas Conservatório de Tatuí (SP), como é conhecido internacionalmente – é uma das mais respeitadas escolas de música e artes cênicas da América Latina. Oferece mais de 100 cursos regulares, livres e de aperfeiçoamento gratuitos nas áreas de Música Erudita (instrumentos, canto e regência), Música Popular Brasileira, Artes Cênicas e Luteria. Atende aproximadamente 2 mil alunos anualmente, vindos de todas as regiões do Brasil e, também, de outros países, como Argentina, Chile, Coreia do Sul, Equador, Estados Unidos, Japão, México, Peru, Portugal, Síria, Uruguai e Venezuela. É considerado uma das mais bem-sucedidas ações culturais do Estado, oferece ensino de excelência, com a missão de formar instrumentistas, cantores, atores, regentes, educadores e luthiers de alto nível. Sua importância no cenário musical é tão acentuada que garantiu à cidade de Tatuí o título de Capital da Música, aprovado por lei em janeiro de 2007. A instituição é gerida pela Sustenidos Organização Social de Cultura.

Sobre a Sustenidos: A Sustenidos é uma organização referência na concepção, implantação e gestão de políticas públicas na área de educação musical. Atualmente, é gestora do Complexo Theatro Municipal e do Conservatório de Tatuí, além dos projetos especiais: Musicou, MOVE, Ethno Brazil e Imagine Brazil. De 2004 a 2021, também foi gestora do Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro. Eleita a Melhor ONG de Cultura em 2018, a Sustenidos conta com o apoio do Governo do Estado de São Paulo, de prefeituras, empresas e pessoas físicas. As instituições interessadas em investir na Sustenidos podem contribuir por verba livre ou através das Leis de Incentivo à Cultura (Federal e Estadual). Pessoas físicas também podem ajudar de diferentes maneiras. Saiba como contribuir no site da Sustenidos.


Site: VSEIS