Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí

Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí

Foi criada em 1985 para dar suporte à performance dos estudantes da área de cordas sinfônicas da instituição. O grupo é formado por professores e alunos bolsistas, dando a estes últimos a oportunidade de oferecer uma ampla experiência do repertório sinfônico e também uma antevisão de um possível ambiente de trabalho.
A Orquestra do Conservatório de Tatuí possui uma bagagem artística invejável. Recebe regularmente diversos regentes consagrados, como Roberto Tibiriçá, Felix Krieger, Abel Rocha, Aylton Escobar, Rodrigo de Carvalho e Gottfried Engels. Dentre os solistas estão Arnaldo Cohen, Gilberto Tinetti, Alex Klein, Antonio Lauro Del Claro, Fabio Cury, Tatjana Vassiljeva, Rosana Lamosa, entre muitos outros.
De caráter pedagógico, a orquestra também realiza uma série de concertos didáticos cujo objetivo é fomentar o contato com a música clássica, principalmente entre as crianças das escolas públicas.
Em 1996, a orquestra excursionou em turnê por diferentes estados brasileiros por meio do projeto Banco do Brasil Musical. Nele, o grupo acompanhou músicos como Wagner Tiso, Egberto Gismonti e Arthur Moreira Lima no programa “Cenas Brasileiras”. Neste mesmo ano, gravou dois CDs. O primeiro, em homenagem ao compositor Tom Jobim, e o segundo, denominado Obras Brasileiras, é dedicado inteiramente a peças para saxofone e orquestra, tendo como solista o saxofonista norteamericano Dale Underwood.
A Orquestra do Conservatório de Tatuí, em 2011, tornou-se um dos grupos mais ativos da música clássica brasileira e vem conquistando cada vez mais espaço no cenário musical. Nas temporadas de 2011/2012 fez dezenas de concertos e apresentações marcantes, como os da Sinfonia nº 9 em ré menor, op. 125, “Coral”, de L. van Beethoven, e da cantata cênica “Carmina Burana”, de Carl Orff. Este último apresentado na série de concertos Tucca, na Sala São Paulo.
Nos anos de 2011/2012, a Orquestra do Conservatório de Tatuí desenvolveu o projeto Música Orquestral Alemã, idealizado pelo renomado maestro Felix Krieger (regente convidado), cujo foco de atuação foi uma série de apresentações do alto repertório germânico em concertos no interior e na capital do Estado de São Paulo.
A orquestra vem, ainda, atuando de forma destacada junto ao Núcleo de Ópera do Conservatório de Tatuí. O grupo integrou as óperas “Dido e Enéas”, de Henry Purcell (2009); “La Serva Padrona”, de Giovanni Battista Pergolesi, e “Orfeu no Inferno”, de Jacques Offenbach (2011); e “Orfeu e Eurídice”, de Christoph Willibald Gluck (2012).

Edson Beltrami

Edson Beltrami

Formado em Flauta Transversal no Conservatório de Tatuí, é vencedor de mais de uma dezena de concursos, incluindo o Prêmio Eldorado de Música. Atuou por mais de dez anos como 1ª Flauta Solo convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp). Como flautista e maestro, atuou nos mais importantes palcos do Brasil e do mundo, como Carnegie Hall (NY/EUA), Avery Fisher Hall – Lincoln Center (NY/EUA), MET – Metropolitan (NY/EUA), Bunka Hall (Kobe/Japão), Kobe Shinbun Matsukata Hall (Kobe/Japão), Harris Theater (Chicago/EUA), Broward Center (Florida/EUA), Sala São Paulo (São Paulo/Brasil), Teatro Municipal de São Paulo, Teatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ/Brasil) e outros. Desenvolve, também, intensa carreira como compositor, sendo suas obras editadas e publicadas nos EUA. Foi um dos criadores e regente por 20 anos da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí. Dirigiu inúmeros grupos, incluindo Orquestra da Academia de Lyon (FR), Orquestra Sinfônica Nacional de Paraguai, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Banda Sinfônica Juvenil do Estado de São Paulo, Orquestra de Cordas do Ateneo Paraguayo, Orquestra do Festival de Inverno de Campos do Jordão, Banda Sinfônica do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Atualmente é Regente Associado da Orquestra Filarmônica Bachiana do SESI-SP.  Ao longo da carreira, trabalhou com solistas de renome, como Pinchas Zukerman (Israel), Amanda Forsyth  (Canadá), William Bennett (Inglaterra), Angela Jones-Reus (Alemanha/EUA), além dos brasileiros Arthur Moreira Lima, João Carlos Martins, Marcelo Bratke, Elisa Fukuda, Antonio Lauro Del Claro e muitos outros. Como parte do Projeto Orquestrando São Paulo, foi o responsável pela criação em 2017, do curso “Técnicas e Boas Práticas para Regentes de Orquestras e Grupos Musicais do Sesi-SP”, visando a capacitação e aperfeiçoamento de Regentes, curso de Educação a Distância, realizado através do Portal de Educação do SESI-SP. Em 2018, assume o comando da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

« voltar | Topo da página ↑
Agência Digimeta