Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1

Banda Sinfônica Infantojuvenil do Conservatório de Tatuí

A Banda Sinfônica Infantojuvenil é formada por alunos da área de sopros e percussão que estão entre o 4º e 6º semestre de seus cursos. A proposta pedagógica foi elaborada pelo maestro Dario Sotelo e consiste numa ação pedagógica coordenada entre as matérias às quais o aluno iniciante tem acesso: Teoria e Percepção, Canto Coral e aula de instrumento. Somando o aprendizado de Prática de Conjunto a essas matérias iniciais, o processo de aprendizado vivenciado pelo aluno se torna muito mais dinâmico e prazeroso, pois dá ao aluno a oportunidade de estar no palco desde seu primeiro semestre de curso. Um dos diferenciais do Conservatório de Tatuí é a possibilidade dada ao aluno de participar em diferentes grupos instrumentais desde o início de sua formação até a formatura, escalando degrau a degrau os diferentes grupos. Sendo assim, o aluno de sopros e percussão tem a possibilidade de tocar na Banda Sinfônica Infantojuvenil, Jovem e chegar como bolsista à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Toda a atividade da Banda Sinfônica Infantojuvenil tem por objetivo a capacitação do aluno desde o início de seu curso para o mercado de trabalho. Desta forma, o trabalho começa por desenvolver suas habilidades perceptivas de conjunto, e não apenas individuais como ele já faz nas aulas de instrumento. As habilidades são desenvolvidas através do procedimento regular de afinação, execução de escalas em conjunto, formação de acordes em conjunto e o desenvolvimento de repertório específico de nível 1 para banda sinfônica (não sendo arranjos de músicas populares conhecidas ou adaptações). As habilidades de conjunto que competem aos alunos desenvolverem são as seguintes: afinação, equilíbrio de vozes, igualdade de articulação, sonoridade, desenvolvimento técnico geral, lidar com a relação dinâmica-afinação, homogeneidade e precisão de ataques e finalizações de notas, respiração planejada, leitura e reação ao gesto do regente, fraseado, musicalidade, bem como conhecimento e respeito à hierarquia, atitude, pontualidade, constância e responsabilidade, fatores determinantes para o futuro sucesso profissional dos alunos envolvidos. O resultado dessa prática de conjunto tem sido o melhor, uma vez que são gerados pelos professores diagnósticos positivos da evolução desses alunos até mesmo em outras matérias que eles cursam dentro da instituição.

Marco Antonio de Almeida Junior, regente

Marco Antonio de Almeida Junior

Bacharel em euphonium pela Faculdade Mozarteum de SP (Famosp) e formado em regência pelo Conservatório de Tatuí, na classe do maestro Dario Sotelo, iniciou os estudos aos 10 anos com o pai na Igreja Evangélica Assembleia de Deus. Mais tarde passou a ter aulas com o professor Wilson Dias. Enquanto estudante ingressou em diversas bandas paulistas e participou de importantes festivais, oficinas de música, masterclasses e workshops sob orientações de professores de renome internacional, como Steven Mead, Adam Frey, David Childs, Rafael Mendes, Fernando Deddos e Henrique Crespo.

Em 2004, aos 15 anos, foi finalista do 6° Premio Weril para Instrumentos de Sopros. Em abril de 2009 foi aprovado como eufonista chefe de naipe junto à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

Como músico-convidado atuou junto à Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica da Unicamp, Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Enquanto artista-convidado, participou do: 2º Encontro de Tubas Y Eufônios na Argentina (2008); 2ª Conferência de Tubas e Eufônios do Sul, em Porto Alegre (2010); I, II e III Festival Internacional de Metais Carlos Gomes, em Campinas (2009, 2010 e 2011); I Conferência de Música nas  Américas, em Belém do Pará, junto a BSESP (2013); Oficinas Itinerantes do programa Coreto Paulista (2014); II Masterclass de  Euphonium;  projeto Musica nas Escolas –  Barra Mansa RJ.

Se tratando de Música de Câmara, faz parte do Sexteto Carlos Gomes, Quarteto Euphonismo e Quinteto Só Metal.

Por diversas vezes integrou bancas examinadoras de audições, testes, tanto de âmbito interno como externo e também a nível nacional. Já esteve – enquanto solista – à frente de vários grupos sinfônicos, tais como: Banda Carlos Gomes de Campinas, Banda Sinfônica de Nova Odessa, Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Municipal de Americana, Conjunto de Metais do Conservatório de Tatuí e Orquestra Sinfônica de Campinas, em que fez a estreia mundial da obra “Cuatro Intenciones para Tuba, Eufônio e Orquestra de Cordas”.

Na trajetória de instrumentista muitas foram suas participações trabalhos especiais. Entre eles: DVD em comemoração aos 15 anos da Orquestra de Sopros Brasileira; DVD em comemoração aos 20 anos da Banda Sinfônica de Sumaré; CD Edições de Partituras para Banda – Funarte; CD em comemoração aos 20 anos da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí; CD em comemoração aos 25 anos da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Como regente convidado atuou frente à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica de Nova Odessa; Banda Sinfônica de Sumaré; e Banda Henrique Marques de Limeira. Em 2014, foi aprovado como eufonista junto a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo. Participou também em 2014 da Conferência “The Midwest Clinic” em Chicago – EUA.

Atualmente atua na Banda Sinfônica de Nova Odessa, Felipe Coelho Octeto e Big Band na Gaveta. É professor de instrumento e regente titular da Banda Sinfônica Infantil e Infantojuvenil no Conservatório de Tatuí.

« voltar | Topo da página ↑
Site: Agência Digimeta