Secretaria da Cultura
5º Seminário de Regência
Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1
Conservatório Dramático e Musical de Tatuí

Piano

Um dos mais tradicionais da instituição, o curso teve sua primeira classe de alunos formados no final da década de 50. Grandes pianistas atuantes no cenário musical nacional e internacional construíram suas carreiras com base no ensino de excelência proporcionado pelo Conservatório de Tatuí. Nesse sentido, diversas pesquisas indicam que os alunos de piano dessa instituição têm obtido importantes premiações nos principais concursos nacionais, sem deixar de citar a grande relação com a área acadêmica com o frequente ingresso nas principais Universidades Estaduais e Federais do país.
O curso está fundamentado em uma ampla visão do campo de atuação do pianista aliada a uma especialização suficiente, ou seja, prioriza a formação de um músico reflexivo e dinâmico, capaz de atender às demandas impostas pelas transformações econômicas, sociais e do mercado de trabalho atuando como solista, camerista, correpetidor e/ou participando de grupos de diversas formações como orquestras e bandas sinfônicas. Para tanto, o curso conta com um quadro de professores de excelência, que unem subsídios pedagógicos em constante atualização à experiência como intérpretes profissionais podendo gerir com criatividade e autonomia o processo de ensino-aprendizagem.
Durante o início de 2009, o curso passou por mudanças estruturais. O curso de piano regular tem seu conteúdo programático distribuído em 18 (dezoito) semestres, sendo que os dois primeiros correspondem ao preparatório.

Grade Curricular

Matérias obrigatórias Todas as matérias teóricas comuns aos cursos de instrumento/canto
Matérias optativas – Apreciação e Crítica Musical
– Metodologia do Estudo do Piano
– Oficina de Técnica Pianística
– Performance em Duos Pianísticos
– Interpretação da Música Brasileira para Piano
– Noções de Pedagogia Pianística
– Música Contemporânea para Piano: Estilo e Interpretação
– Seminários de Colaboração Pianística
– Técnicas de Leitura a Primeira Vista
– Oficina de Performance em Piano I
– Oficina de Performance em Piano II
– Oficina de Performance em Piano III
– Oficina de Performance em Piano IV

Pequeno Histórico do instrumento

O piano – A primeira referência sobre o piano foi publicada no “Giornale dei Litterati Italiana”, em 1711, citando o “Gravicembalo col piano e forte”, a propósito da invenção de Bartolomeo Cristofori. A partir desse momento sucedem-se uma série de aperfeiçoamentos até chegar ao piano atual. A essência da nova invenção, residia na possibilidade de dar diferentes intensidades aos sons e por isso recebeu o nome de “piano-forte” na Itália, na França e nos países germânicos e “forte-piano” na Inglaterra. Mais tarde,durante o advento da era industrial esse termo foi aos poucos reduzido para “piano”. Em 1817, Beethoven, curiosamente numa carta a um de seus editores, von Steiner, determina o fim da terminologia “piano-forte” substituindo a terminologia italiana por “Hammerklavier” tendo como um dos principais objetivos nacionalizar a linguagem musical. No mesmo ano o compositor publicou sua primeira sonata “für das Hammerklavier” (Opus 101). As grandes possiblidades de matizes sonoras acabou por orientar a preferência de muitos compositores face ao clavicembalo. Os sons, criados pelo choque dos martelos, originam-se nas cordas que são amplificados pela tábua de harmonia e que podem ser modificáveis pela ação dos pedais.

O piano no Brasil – O piano chegou ao Brasil na segunda década do século XIX e era privilégio de poucos. No estado de São Paulo, o primeiro piano chegou na cidade de Sorocaba, em 1811, trazido por um banguê de carga (padiola) e às costas dos escravos por meio da serra e pelos caminhos do interior. Os principais centros musicais do país no século XIX, Rio de Janeiro e São Paulo, foram cenários do desenvolvimento do instrumento e sua crescente acessibilidade social. Em 1856 a cidade do Rio de Janeiro era conhecida como “A Cidade dos Pianos” e São Paulo, por volta de 1870, foi denominada de “Pianópolis” devido à grande importação e comércio de pianos novos e usados. No decorrer de seu desenvolvimento no Brasil o piano encontrou intérpretes que fizeram escola e criaram uma tradição de renome internacional que é seguida até os dias atuais.

Cristiane Bloes

Cristiane Bloes

Coordenação - Piano, Interpretação da Música Brasileira para Piano e Música Contemporânea para Piano: Estilo e Interpretação

Premiada em diversos concursos como solista e camerista com destaque para o “X Prêmio Eldorado de Música” em que obteve premiação com o “Duo Sonâncias” (piano e percussão) e o primeiro lugar na 1ª Edição do Concurso de Nacional de Piano de Música Brasileira Spartaco Rossi (Tatuí-1994). Mestre em Música e Bacharel em piano pela Unesp-SP, é também formada em piano erudito e popular pelo Conservatório de Tatuí. Discípula de Catarina Domenici, Beatriz Balzi, Homero Magalhães, André Rangel, Peter Dausberg (música de câmara), atuou como pianista convidada em diversos eventos internacionais destacando-se todas as edições do Encontro Internacional de Flautistas e Percussionistas do Conservatório de Tatuí. Acompanhou renomados instrumentistas como os flautistas Daniela Troiani (Itália), Michel Hazel (Alemanha), Felix Hengli (Suíça), Vieri Botazzini (Itália), Victor Mendoza (vibrafone-EUA), Daniel Barry (trompete - EUA), Miguel Villafruela (saxofone – Chile) entre outros. Gravou vários CDs destacando-se o CD “Raros e Inéditos” (prêmio APCA de Música de 1996), acompanhando Zizi Possi, Ney Matogrosso, Carlos Vergueiro e Virgínia Rosa. Gravou nove CDs institucionais produzidos pelo Conservatório de Tatuí atuando com os principais grupos da instituição. Tocou sob regência de Edson Beltrami, Dario Sotelo, A. C. Neves Campos, Adriano Machado, John Boudler (EUA), Ciro Pereira, Lazlo Marosi (Hungria) e Dwight Satterwhite (EUA). Acompanhou, também, nomes da música popular como Leila Pinheiro, Toquinho, Altamiro Carrilho, Francis Hime, Alceu Valença e os ingleses Alice Cooper, Joe Henderson e Alan Parsons. No ano de 2007 realizou a estréia nas Américas do “Concerto nº 1 para piano e Sopros” do compositor húngaro Frigyes Hidas solando frente à Orquestra de Sopros Brasileira com regência de Lazlo Marosi (Hungria) e em 2010 realizou a estréia latino-americana do Concerto para Piano, Sopros e Percussão de David Ghilingham sob regência de Dario Sotelo. É coordenadora e professora da Área de Piano do Conservatório de Tatuí. Desde 2009 coordena o Encontro Internacional de Pianistas do Conservatório de Tatuí e Concurso Nacional de Música Brasileira Maestro Spartaco Rossi. É pianista titular da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

Ana Ingrid Lisboa de Almeida

Ana Ingrid Lisboa de Almeida

Piano e Oficina de Performance em Piano

Formada em Piano Erudito pelo Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí e em Licenciatura Plena em Música pela Faculdade Paulista de Artes. Realizou todos os níveis dos Cursos Internacionais sobre o Método Kodály e sua aplicação na Escola Brasileira. Tem participado de cursos de extensão universitária com especialização em musicalização, didática pianística, improvisação e metodologias fundamentadas nas idéias de Edgar Willems e Jaques Dalcroze. Como associada da ABRAORFF (Associação Orff do Brasil), participa mensalmente dos encontros “Música e Movimento na Educação segundo Orff Schulwerk” em São Paulo e Campinas. Realizou estudos sobre “Improvisação Musical como Técnica Pedagógica” com Violeta Hemsy de Gainza e “Improvisação ao Piano segundo os princípios de base da Pedagogia Dalcroze” com Iramar Rodrigues, professor do Instituto Jaques Dalcroze de Genebra (Suíça). No VIII Encontro de Rítmica Dalcroze participou das oficinas “Iniciação ao Piano: da Audição à Criação” e “Pedagogia Musical”. Em 2009, no Encontro Internacional de Pianistas do Conservatório de Tatuí, atuou como professora de performance para adolescentes. Em 2010 concluiu o curso de pós-graduação “Especialização em Psicopedagogia Institucional” pela Educon. É professora de Artes Visuais e História da Arte no Ensino Fundamental e Médio do Colégio Objetivo de Tatuí e integra o corpo docente de Performance e Piano Erudito do Conservatório de Tatuí.

Ana Maria Teixeira de Almeida

Ana Maria Teixeira de Almeida

Piano e Noções de Pedagogia Pianística

Formada em piano pelo Conservatório de Tatuí, aperfeiçoando-se com Fritz Yank, João Carlos Martins, Caio Pagno e Charles Dobler. Licenciada em educação artística, com habilitação em música, tendo realizado cursos de extensão universitária em regência e estética da arte ministrados por H.J. Kollreuter, na Unicamp. Habilitada em iniciação musical pelo método Orff, tendo realizado cursos com professores do Instituto Orff, Heid Weidlich e Herman Regner na Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Também foi aluna de Edgar Willems, em curso intensivo de educação musical, em Tatuí. Realizou cursos sobre “Técnicas Atuais de Composição Musical”, ministrados pelo professor Leon Biriotti. Sempre participou de Grupos de Música de Câmara, possuindo curso de extensão universitária, ministrado pelo professor Peter Feuchtvanger nas Faculdades Integradas Alcântara Machado e em Tatuí. É professora do Conservatório de Tatuí desde 1968. Foi presidente da Comissão de Organização e Programa de 1971 a 1982. É professora de piano para alunos portadores de deficiência visual, total ou parcial, desde 1994, desenvolvendo trabalho metodológico específico com resultados positivos. Em 1998 foi agraciada com Certificado de Honra ao Mérito conferido pelo diretor do Conservatório de Tatuí. Em sua messe pedagógica, seus alunos têm obtido várias láureas em concurso de piano e, ainda, têm sido promovidos com distinção em vestibulares da Unesp, Unicamp, Universidade Federal de Porto Alegre e USP, participando com êxito no mercado de trabalho musical.

Carlos Roberto Moraes

Carlos Roberto Moraes

Piano e Apreciação e Crítica Musical

Formado em piano e canto pelo Conservatório de Tatuí e em Letras pela Faculdade de Ciências e Letras de Sorocaba. Aperfeiçoou-se em piano com Yara Bernetti, Homero Magalhães e Magda Tagliaferro. Na área de canto, participou da montagem da ópera “Bastião e Bastiana”, de Mozart, e no Réquiem do mesmo, com a Orquestra Sinfônica Paulista. É professor da área de piano desde 1987.

Déborah Melissa dos Santos Kerber

Déborah Melissa dos Santos Kerber

Piano

Natural da cidade de São Paulo, fez curso de piano em nível de aperfeiçoamento no Conservatório de Tatuí e bacharelado na Unesp (Universidade Estadual Paulista) em Música - Instrumento Piano - com Nahim Marum e André Rangel. Foi bolsista em ambas as instituições onde desenvolveu atividade como camerista e pianista correpetidora, principalmente nas áreas de canto e sopros. Realizou diversos recitais de música de câmara e, junto à Orquestra Sinfônica Nacional do Paraguai, foi pianista solista sob regência de Lowell Graham. Participou de masterclasses com os pianistas Gerald Robbins (EUA) e Olga Kium, entre outros. Foi professora de música de câmara do Conservatório de Tatuí entre 2003 e 2008. Atualmente é professora de piano da mesma instituição e pianista correpetidora da Organização Santa Marcelina e do Grupo de Pianistas Correpetidores do Conservatório de Tatuí.

Eliana Wagner

Eliana Wagner

Piano e Oficina de Performance em Piano

Formada em piano e canto pelo Conservatório Dramático e Musical de Tatuí "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí e em licenciatura plena em música pela Faculdade Santa Marcelina (FASM). Participou de cursos de interpretação pianística com Magdalena Tagliaferro, Arnaldo Cohen, Olga Kiun; de música de câmara com Maria José Carrasqueira, Lucia Barrenechea, Gerald Robins; e musicoterapia com Rolando Benenzon. Participou da gravação de dois CDs com Dorothea Kerr e atualmente está cursando especialização em música de câmara. Faz parte do corpo docente do Conservatório de Tatuí nas áreas de piano, música de câmara e performance de palco.

Fanny de Souza Lima

Fanny de Souza Lima

Piano e Oficina de Performance em Piano

Pós-graduada em Metodologia do Ensino das Artes pela Universidade de Curitiba, Bacharel em Piano pelo Instituto de Artes da Unesp e formada em piano erudito pelo Conservatório de Tatuí. Desenvolve sua carreira como pianista, acompanhando instrumentistas das áreas de madeiras e percussão. Trabalhou em diversos Festivais de Inverno do Conservatório de Tatuí, atuando como pianista de Coro infantil e pianista correpetidora por vários anos consecutivos. Ainda no Conservatório de Tatuí foi convidada a ministrar oficinas na área de Performance – Repertório no V Encontro Internacional de Pianistas. Trabalhou junto aos compositores Murray Schaffer (Canadá) e Edson Zampronha (Brasil - Espanha) na execução de suas obras. Com Murray Schafer, participou da “Floresta Encantada”, sob a coordenação do próprio compositor e de Marisa Trench de Oliveira Fonterrada. Como pianista participou do III Encuentro Internacional de Flautas em Bariloche (Argentina). Não somente como correpetidora mas também como professora de piano, lecionou no III FESTMAP – Amapá. Como integrante do grupo Gargântua divulga o Cinema Mudo apresentando “Silhuetas Sonoras”, “Tesouros do Cinema Latino-Americano” e “Reis da Comédia” em diversas cidades do Brasil. Com o trio Bem Brasil vem pesquisando o repertório de música erudita brasileira, apresentando-se não somente no Brasil, mas também em alguns estados dos Estados Unidos. Atualmente é professora da área de Piano e Performance-Repertório do Conservatório de Tatuí, onde também integra o Grupo de Pianistas Correpetidores.

Juliano Brito Kerber

Juliano Brito Kerber

Piano, Metodologia do Estudo do Piano e Seminários de Colaboração Pianística

Juliano Kerber nasceu em Concórdia, Santa Catarina, onde realizou seus primeiros estudos de música. Possui Mestrado em Música pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP (2007) e graduação em Música Habilitação em Piano pela mesma universidade (1997). Fez o curso básico de piano (1992) no Conservatório Musical Concórdia e os níveis Avançado (1997) e Aperfeiçoamento (1999) no Conservatório de Tatuí. Como solista, atuou junto a Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica Paulista, Orquestra Sinfônica Jovem, Orquestra Sinfônica de Botucatu e Grupo Experimental Villa-Lobos. Desde 1998 é professor do Conservatório de Tatuí, onde ministra as disciplinas de Piano e Metodologia do Estudo. É também professor da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), antiga ULM, e coordenador do Grupo de Pianistas Correpetidores do Conservatório de Tatuí.

Lúcia Elisabeth Pavanelli Galvão

Lúcia Elisabeth Pavanelli Galvão

Piano e Oficina de Performance em Piano

Pós-graduada em Educação Musical pela Faculdade Paulista de Artes e graduada em Licenciatura Plena em Música pela FMU (Faculdade de Artes Alcântara Machado), em São Paulo, é formada em piano pelo Conservatório de Tatuí, onde concluiu também o curso de Musicalização para Educadores. Atua como professora de piano no Conservatório de Tatuí há 16 anos. No período de 2003 a 2005 atuou nas áreas de musicalização e piano, na Escola Adventista do bairro da Liberdade em São Paulo. Realizou aperfeiçoamento em pedagogia infantil e técnicas pedagógicas para estudo e aprendizagem do instrumento com a professora Maria Elisa Leal Cardoso (discípula e assessora da professora Lina Pires de Campos), em São Caetano do Sul, de 1993 a 1996. Participou do Simpósio Internacional de Educação Musical, com o educador Keith Swanwick, em 2008, e do XI Curso Internacional sobre o Método Kodaly de Aprendizagem Musical. Participou de cursos de extensão universitária em psicomotricidade e musicalização e de Curso de Difusão Cultural na Universidade de São Paulo.

Luís Carlos Morales Sanches

Luís Carlos Morales Sanches

Piano e Oficina de Técnica Pianística

Formou-se em piano e matérias complementares pelo Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí e concluiu bacharelado pela Faculdade Paulista de Arte de São Paulo. No Brasil estudou com os professores Laís Kauffmann, Fernando Miguel Chaves, Alfredo Cerquinho, Antonio de Lorenzo e Daisy de Luca. Na Espanha trabalhou com Manuel Carra e Antonio Iglesias e nos Estados Unidos estudou Performance com a doutora Heather Coltman na Florida Atlantic University. Participou de cursos de Alta Interpretação Pianística ministrados por renomados pianistas como Yara Bernetti, Magda Tagliaferro, Homero de Magalhães, Gilberto Tinetti, Olga Kium, Gerald Robbins entre outros, e curso de Análise Musical com Hans Joachim Koellreuter. Obteve vários prêmios de âmbito nacional como "Jovens Solistas Brasileiros" (1982), 2º lugar e prêmio de "Melhor Intérprete de Música Brasileira" no III Concurso Nacional "Villa Lobos" em Vitória (ES-1984). Em 1985 participou do "Encontro Nacional de Música Barroca" em Vitória (ES) apresentando um recital com Sonatas de Scarlatti. Em 1999 foi convidado a integrar o corpo docente do "Teaching Outstanding Performers" da Florida Atlantic University (USA). Já atuou como solista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo sob a regência de Eleazar de Carvalho, da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira) sob regência de Dario Sotelo e da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí sob regência de Edson Beltrami. Participou como solista da gravação das obras premiadas em concurso de arranjos da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (ano 2000). Como professor, trabalhou na Escola "Magda Tagliaferro" em São Paulo, no Conservatório Estadual "Juscelino Kubitschek de Oliveira" em Pouso Alegre (MG) e na Universidade Livre de Música em São Paulo. Fez gravações para a TV Cultura de São Paulo, TV Gazeta do Espírito Santo e TV da Galicia na Espanha. Suas atuações como solista, recitalista e camerista pelo Brasil e exterior têm recebido referências elogiosas da crítica especializada. Em 2010, concluiu a pós-graduação em Psicopedagogia pela Educom, com nota máxima no trabalho de conclusão de curso sob o tema "A Influência da Motivação no Processo Ensino-Aprendizagem". Atualmente trabalha como professor de piano erudito no Conservatório de Tatuí.

Marina Aparecida de Camargo Campos

Marina Aparecida de Camargo Campos

Piano, Oficina de Performance em Piano e Performance em Duos Pianísticos

Pós-graduada em psicopedagogia pela Asseta (Associação de Ensino Tatuiense) e graduada pela Faculdade Paulista de Arte em Música, desenvolveu seus estudos pianísticos sob a orientação de renomados pianistas como Amaral Vieira, Lina Pires de Campos e Maria José Carrasqueira. Como camerista, realizou diversos trabalhos com a violoncelista Tânia Lisboa, com destaque para sua participação no concurso Jovens Intérpretes da Música. Participou como convidada especial em concertos da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra Sinfônica Paulista) e Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira), nas quais atuou sob a regência de Arnald Gabriel, Jan Van Der Roost, Matthew George, Adriano Machado e Dario Sotelo. Na área de educação musical, participou de diversos cursos com destaque ao XVII Encontro Anual da Associação Brasileira de Educação Musical, XI Curso Internacional sobre o Método Kodaly, Seminário Internacional de Educação Musical e VII Curso Internacional Sobre Método Kodaly. Atualmente é professora no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, professora de educação musical no Colégio Objetivo de Tatuí e pianista acompanhadora do coral Pequenos Cantores.

Marisa Angela Gurgel Vicente

Piano

Miriam Braga

Miriam Braga

Piano

Míriam Braga Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Bacharel em Piano pelas Faculdades São Judas. Seus principais mestres foram Bernard Flavigny, Arnaldo Cohen, Heitor Alimonda, Homero Magalhães, Lina Pires de Campos, Amaral Vieira, Magda Tagliaferro, Jacques Klein, Iara Bernette. Foi várias vezes premiada como solista e camerista. Atuou como solista sob regência de Eleazar de Carvalho, Alceo Bocchino Ernani Aguiar, Thomas O'Neall, Benito Juarez, Roberto Garcia Mareco, Henrique Gregori, Edson Beltrami, Florentin Gimenez, Gonzalo Bustos, Dario Sotelo, Juliano de Arruda Campos, entre outros. Gravou para a RTC/SP, Rádio MEC/RJ, TVE/RJ, TV Brasil/RJ no Brasil, para BBC/Londres e TV/México. Tem em sua discografia uma série de CDs dedicados à música brasileira, gravados pela Meridian Records (Inglaterra), Tons e Sons, Rádio MEC, entre outras. Como pianista correpetidora tem sido amplamente reconhecida. Seus concertos internacionais incluem América Latina, Estados Unidos e Europa. No Conservatório de Tatuí é coordenadora da Área de Música de Câmara e integra o corpo docente da Área de Piano e Música de Câmara. Atua também como clinician e pianista exclusiva no projeto “Sopro Novo Bandas", da Yamaha Musical do Brasil.

Solange Aparecida Coelho

Solange Aparecida Coelho

Piano Complementar para estudantes de Regência de Banda, Regência de Orquestra Sinfônica e Canto

Iniciou seus estudos musicais aos nove anos de idade no Conservatório de Tatuí, estudando piano por oito anos e, mais tarde, fagote, instrumento pelo qual se formou em 1986 na classe do professor Clóvis Franco. Formou-se em Direito em 1982. Participou de vários Festivais de Inverno de Campos do Jordão tendo aulas com renomados professores de fagote, tais como Paulo Justi, Hary Schweizer, Gary Echos, Sidney Rosenberg, entre outros. Nos Festivais de Inverno de Campos do Jordão, dos quais participou como bolsista de fagote, trabalhou sob a regência dos maestros John Neschling, Gerard Devos, Julio Medaglia, Jamil Maluf, Eleazar de Carvalho e Hans-Martin Schneidt. Freqüentou também o Curso de Música de Câmara na Oficina de Música de Curitiba-PR com o professor Noel Devos. Foi fagotista integrante da Orquestra Sinfônica do Paraná; da Orquestra Filarmônica de Joinville; Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira), Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra Sinfônica Paulista), entre outras, como Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Municipal de Botucatu e Rio Claro. Participou da gravação do CD “Compositores Brasileiros” como fagotista integrante da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí em 1995. No ano seguinte, como integrante da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí participou de turnê com Wagner Tiso (piano) e Victor Biglione (violão), percorrendo 13 cidades de todo o país. Também participou de gravação do CD “Obras Brasileiras para Saxofone e Orquestra”, como fagotista integrante da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Participou de masterclasses no 2º e 3º Encontro Internacional de Pianistas, além de aulas com o Quinteto Villa-Lobos, Francisco Formiga e Aloysio Fagerlande no 1º Encontro Internacional de Madeiras. Atualmente é professora de Piano Complementar e professora do Curso de Fagote do Conservatório de Tatuí, onde também freqüenta o Curso de Musicalização para Educadores, visando maior conhecimento pedagógico na área infantil.

Talita Martins

Talita Martins

Harpa

Natural de Santos (SP), iniciou seus estudos ao piano aos cinco anos e, aos 17, na harpa sinfônica, na Escola Municipal de Música de São Paulo e Escola Superior de Música das Faculdades Integradas Cantareira. Premiada em vários concursos, apresenta-se frequentemente como correpetidora, camerista e solista nas principais salas de concerto do país e exterior. Obteve aulas de piano com o pianista Renato Figueiredo e Diana Kacso (radicada em Nova Iorque), harpa com Silas Lima, Délcia Coelho, Angélica Vianna e Rita Costanzi (Estados Unidos). Residiu em Jaraguá do Sul (SC), onde ministrou aulas de piano e harpa na Sociedade de Cultura Artística. Atualmente, em São Paulo, é harpista convidada de diversas orquestras como Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, Orquestra Sinfônica Municipal de Santos, Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas e ministra aulas no Conservatório de Tatuí. Desde 2010, é organizadora artística e coordenadora do CONHARPA (Conferência Internacional de Harpistas e Concurso Latino - Americano de Harpas), realizado em Jaraguá do Sul (SC) pelo Femusc – Festival de Música de Santa Catarina - e juntamente com a harpista Paola Baron, organizadoras do Encontro de Harpas 2013 na Emesp. Mantém intensa atividade ao lado do pianista Felipe Krelling com o "Das Musikanten Duo", explorando o repertório nacional de piano a quatro mãos e dois pianos, realizando a primeira turnê na Europa no segundo semestre de 2010 e em 2014, pela aprovação do projeto "Brasilianos" pela Lei Rouanet, uma turnê sul com o mesmo projeto. Atualmente vem desenvolvendo um duo com o fagotista Osvanilson Castro.

Zoraide Mazzulli Nunes

Zoraide Mazzulli Nunes

Piano e Técnicas de Leitura à Primeira Vista

Brasileira, natural de Sorocaba (SP), professora de piano, técnicas de leitura à primeira vista e performance em duos pianísticos. Pianista e professora de piano, teve sua formação artística e pedagógica com renomados mestres como Menininha Lobo, Yves Rudner Schimidt, Eudóxia de Barros, Homero Magalhães, Charles Dobler, Peter Feutchwanger, Jacques Klein, Magdalena Tagliaferro, entre outros. Como solista, tocou sob regência de José Coelho de Almeida, Spartaco Rossi, Lutero Rodrigues, Adriano Machado, Dario Sotelo, Arnald Gabriel, Márcio Beltrami e Pamela Bowen Bustos. Como camerista, atuou em vários cursos e festivais de nível nacional destacando-se os XXV, XXVI, XXX, e XXXIV Festivais de inverno de Campos do Jordão. Em julho de 2005, foi convidada para participar, como professora de música de câmara do 2º Curso de Férias, de Tatuí. De 1984 a 2008 foi coordenadora da área de piano. Foi diretora de assuntos sócio-culturais da ABPP (Associação de Professores de Piano), com sede em Curitiba (PR). Integrou o Conselho Municipal de Educação do Município de Tatuí, como conselheira em seus primeiros anos de formação. Participou da gravação de disco evangélico “Regrade”, como tecladista, em 2002. Foi uma das solistas da peça “Tecladofonia”, de Amaral Vieira, no l Encontro Sul Americano de Regentes de Bandas e Arranjadores, em novembro de 2002. Integrou, como presidente do júri, o V Concurso Estímulo de Piano “José Mandelli” em Laranjal Paulista (SP) e os IV e V Concursos Estímulo de Piano “Professor Aécio da Silva de Souza Salvador” em Botucatu, bem como o XX Concurso Nacional de Araçatuba (SP), em junho de 2003. Coordenou quatro edições dos Encontros Internacionais de Pianistas e os Concursos Internos Estímulo de Piano, todos realizados no Conservatório de Tatuí. Foi coordenadora e organizadora do Concurso Nacional de Piano “Maestro Spartaco Rossi”. Autora do Dicionário de Terminologia, Instrumentos e Formas Musicais. É Professora do Curso de Piano no Conservatório de Tatuí, onde também desenvolve Curso de Leitura à Primeira Vista, nos mais diferentes níveis. Em 1998 recebeu homenagens do Rotary Club de Tatuí. Em 2003, foi citada no livro de Eni Toledo (SCOR Editora Tecci), “Engatinhando...” (Aos que buscam a Esperança), na crônica L´elisir D´amore, quando se desempenhou como pianista co-repetidora, da Ópera de Caetano Donizetti (pág.44). Em 2004, recebeu o título de cidadã tatuiana outorgado pela Câmara de Tatuí. Em 2005 seu nome foi apontado como representante de Tatuí no concurso “1000 mulheres” para o Prêmio Nobel da Paz, na Suíça. Em 2009 e 2011 foi homenageada nos VI e VII Concursos Nacionais de Piano de Música Brasileira “Maestro Spartaco Rossi” com a entrega do prêmio especial que leva seu nome. Recebeu composições em seu nome de compositores como Sérgio Vasconcelos-Corrêa, Nilson Lombardi, Jair Teodoro de Paula, Edson Beltrami, Edson Lopes, Adriano Machado e Clodomiro José Paschoal. Na área pedagógica, elaborou apostila de piano complementar e de normas e procedimentos de leitura à primeira vista utilizadas no Conservatório de Tatuí. Concluiu em 2010 pós-graduação em psicopedagogia pela Educom com apresentação de trabalho de conclusão do curso sobre o tema “Dislexia-Dificuldade de Leitura e Aprendizagem”. Efetuou mais de uma dezenas de cursos de extensão, ministrados por professores como J.H. Koellreutter, Edgar Williams, Leon Biriotti, Bridget Moura Castro, Sheila Uricoecheia, Adelaide Moritz, Arnaldo Cohen, Luiz Medalha, João Carlos Martins, Mário Ficarelli, Francisco B. Ferry e Nilson Lombardi.

Digimeta