Secretaria da Cultura
XII CONCURSO INTERNO DE PIANO DO CONSERVATÓRIO DE TATUÍ – EDIÇÃO 2017
Jornada de Regência Coral do Conservatório de Tatuí
Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1
Conservatório Dramático e Musical de Tatuí

MPB & Jazz

O curso de MPB & Jazz do Conservatório de Tatuí foi fundado em 1989, pelo professor Paulo Braga, e é um dos mais concorridos da instituição. Em seu primeiro ano letivo (1990), o curso era formado pelo seguinte corpo docente: Paulo Braga (piano e prática de conjunto), Paulo Flores (prática de conjunto, piano complementar e música eletrônica), Paulo Hildebrand (guitarra), Mário Campos (baixo elétrico), Ricardo Lobo (harmonia e arranjo), Rui Carvalho (bateria e rítmica) e Hudson Nogueira (saxofone).
Em princípio, o curso de MPB&Jazz seguiu como modelo a “Berkeley School”e, a partir de 1994, passou a ter como prioridade a construção de uma escola de música brasileira popular, o que se tornou o diferencial da área de MPB&Jazz do Conservatório de Tatuí, desenvolvendo também um importante departamento de choro que, em 2009, passou a funcionar como uma área independente.
Atualmente, o curso coordenado pela professora Érica Masson tem corpo docente altamente qualificado e de renome na música instrumental brasileira.
O curso tem como objetivo desenvolver a capacidade técnica e perceptiva do aluno em seu instrumento possibilitando-lhe tocar em grupos e fornecendo suporte necessário para que o mesmo entenda e aplique seus conhecimentos no cenário musical, tornando-o apto para enfrentar o mercado de trabalho tendo como foco principal a improvisação.
Durante todo o curso são abordadas as características de diversos estilos musicais enfatizando os ritmos brasileiros. Com o intuito de auxiliar na compreensão e no desempenho do conteúdo programático a principal característica do curso é a integração dos conteúdos programáticos entre todas as matérias, ou seja, o conteúdo que o aluno estuda na aula de instrumento também é abordado nas aulas de percepção e harmonia, além das aulas de prática de conjunto nas quais o aluno executará músicas com o mesmo conteúdo.
Durante o curso o aluno tem a possibilidade de participar de grupos com os mais diversos tipos de formações, tais como duos, trios, quartetos, combos, big bands reduzidas até big bands com formação completa. Essa oportunidade possibilita que o aluno coloque em prática todo o material fornecido pelos professores nas aulas de instrumento e de matérias teóricas melhorando a parte técnica, perceptiva e até mesmo expressiva do seu instrumento.
Além dos grupos formados nas aulas de prática de conjunto o curso também agrega a Big Band Jovem do Conservatório de Tatuí.

Cursos e disciplinas
A área de MPB & Jazz compreende os seguintes cursos: bateria, baixo acústico, baixo elétrico, canto, clarinete, flauta transversal, guitarra, piano, saxofone, trompete, trombone, percussão e violão.
Os cursos de instrumento e canto têm fixo na grade as disciplinas: Instrumento ou Canto; teoria e percepção, harmonia popular, história da música popular e arranjo; prática de conjunto.
São previstas ainda as seguintes disciplinas eletivas: maracatu, ritmos brasileiros, piano ou violão complementar, percussão complementar, prática de big band.

Grade Curricular
Com duração total de 14 semestres – com exceção do curso de canto, que tem 10 semestres -, o curso está divido em níveis básico, intermediário e avançado. As aulas de instrumentos têm duração de 50 minutos e as aulas de matérias teóricas e prática de conjunto têm duração de 140 minutos.

 

CONTRABAIXO ACÚSTICO/ELÉTRICO E SOPROS

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINA SELETIVAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS
Instrumento 1 a 4 Teoria 1 e 2
Instrumento 5 a 10 Harmonia 1 a 4 Prática de Conjunto 1 a 6 Instrumento Harmônico Complementar 1 a 4
Percepção 1 a 4 Percussão Complementar 1 e 2
Instrumento 11 a 14 História da Música 1 a 4 Prática de Conjunto 7 a 10 Ritmos Brasileiros1 e 2
Arranjo 1 a 4

 

 

 

PIANO

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS ELETIVAS
Instrumento 1 a 4 Teoria 1 e 2
Instrumento 5 a 10 Harmonia 1 a 4 Prática de Conjunto 1 a 6 Percussão Complementar 1 e 2 Técnica pianística1 a 4
Percepção 1 a 4
Instrumento 11 a 14 História da Música 1 a 4 Prática de Conjunto 7 a 10 Ritmos Brasileiros 1 e 2
Arranjo 1 a 4

 

 

 

VIOLÃO

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OPTATIVAS DISCIPLINAS ELETIVAS
Instrumento 1 a 4 Teoria 1 e 2
Instrumento 5 a 10 Harmonia 1 a 4 Prática de Conjunto1 a 6 Percussão Complementar 1 e 2
Percepção 1 a 4
Instrumento 11 a 14 História da Música 1 a 4 Prática de Conjunto7  a 10 Ritmos Brasileiros1 e 2
Arranjo 1 a 4

 

 

 

GUITARRA

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS
Instrumento 1 a 4 Teoria 1 e 2
Instrumento 5 a 10 Harmonia 1 a 4 Prática de Conjunto 1 a 6 Percussão Complementar 1 e 2
Percepção 1 a 4
Instrumento 11 a 14 História da Música 1 a 4 Prática de Conjunto 7 a 10 Ritmos Brasileiros 1 e 2
Arranjo 1 a 4

 

 

 

BATERIA E PERCUSSÃO

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS DISCIPLINAS OPTATIVAS
Instrumento 1 a 4 Teoria 1 e 2
Instrumento 5 a 10 Harmonia 1 e 2 Prática de Conjunto1 a 6 Instrumento Harmônico Complementar 1 a 4 Bateria Brasileira
Percepção 1 e 2
Instrumento 11 a 14 História da Música 1 a 4 Prática de Conjunto7 a 10 Ritmos Brasileiros 1 e  2 Bateria Brasileira

 

 

 

CANTO

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS ELETIVAS
Instrumento 1 Teoria 1
Instrumento 2 Teoria 2 Piano Complementar 1
Instrumento 3 Harmonia 1 Percepção 1 Prática de conjunto improvisação 1 Piano Complementar 3
Instrumento 4 Harmonia 2 Percepção 2 Prática de conjunto improvisação 2 Piano Complementar 3
Instrumento 5 Harmonia 3 Percepção 3 Prática de conjunto improvisação 3

Prática de conjunto 1

Piano Complementar 4
Instrumento 6 Harmonia  4 Percepção 4 Prática de conjunto improvisação 4

Prática de conjunto 2

Percussão Complementar 1
Instrumento 7 História da Música 1 Prática de conjunto 3 Percussão Complementar 2
Instrumento 8 História da Música 2 Prática de conjunto 4 Ritmos Brasileiros 1 e 2
Instrumento 9 História da Música 3
Instrumento 10 História da Música 4

Érica Masson

Érica Masson

Coordenadora

Érica Masson é mestre em música pela Unicamp (Universidade de Campinas), tendo desenvolvido como dissertação “Elementos da Escrita de Nailor Azevedo ‘Proveta’ para Instrumentos de Sopro em seus Arranjos para Big Band”, sob orientação do professor-doutor Antônio Rafael Carvalho dos Santos. Desde 2000, atua como professora de Piano, Arranjo, Harmonia e Prática de Conjunto “Repertório” no curso de MPB&Jazz do Conservatório de Tatuí, sendo também a atual coordenadora da área de MPB&Jazz. É formada em música – habilitação piano pela faculdade “Carlos Gomes”, em São Paulo. Também formou-se pelo Conservatório de Tatuí no curso de piano MPB&Jazz. Lecionou Piano Popular e Prática de Repertório durante o I Festival de Música de Ourinhos (2001); ministrou aulas de harmonia, piano popular e performance no Conservatório Allegro em São Carlos (SP); integrou o Duo de pianos, juntamente com o pianista Paulo Braga (1999-2002); e participou, como convidada especial de algumas apresentações do grupo Bonsai Machine, formado pelo saxofonista Mané Silveira, o pianista Paulo Braga e o percussionista Guello.

Alberto Bento Dias

Alberto Bento Dias

Violão

Formado em violão erudito e guitarra no curso de MPB&Jazz do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí. Na mesma instituição, foi integrante da orquestra Violões e Cia, e de vários grupos na área de MPB&Jazz, pela qual foi o terceiro colocado no 1º Concurso Estímulo de Violão. É graduando em educação musical pela Universidade Federal de São Carlos. Ainda como estudante, foi aluno dos mestres Mozart Mello e Ulisses Rocha, principais influências em sua metodologia de ensino. Dentre seus trabalhos instrumentais, destacam-se arranjos para musicais de dança e violão com o Balleteatro Fred Astaire, além de trabalhos com o trio Tatuvirado e o duo Com Fusão. Como solista, realizou apresentações em projetos sociais, shows, congressos, encontros e escolas, nas quais, invariavelmente, apresenta arranjos e composições próprias. Foi professor da Escola de Música Atenas, em Botucatu, e da Escola Camargo Guarnieri, em Tietê. Atualmente, trabalha como professor efetivo de música na Prefeitura de Tatuí; no Fundo Social de Solidariedade de Tatuí e no Conservatório de Tatuí. Mais informações: www.betinhodias.com

Alberto Sodré (Betinho Sodré)

Alberto Sodré (Betinho Sodré)

Percussão

Arquiteto formado pela Universidade de Mogi das Cruzes, iniciou sua carreira de percussionista no começo dos anos 80. Em meados dessa mesma década já trabalhava como músico de estúdio e em shows de artistas como Moreira da Silva, Altamiro Carrilho e Eduardo Gudim, em São Paulo. Em seguida, ampliou suas atividades trabalhando em espetáculos teatrais como “Almanaque Brasil”, “Salomé”, “Mambembe”, “A Megera Domada”, “A Estrela Dalva” e, também, em espetáculos que mostram a cultura brasileira através da dança e da música (como OMSTRAB e Fábrica). Já se apresentou na China, Estados Unidos e Arábia Saudita. Estudou com Carlos Tarcha na US P (Universidade de São Paulo) e freqüentou por dois anos o Instituto de Artes da Unesp (Universidade Estadual Paulista), tendo aulas com Carlos Stasi e Eduardo Gianesella. Participou de eventos como Percussões do Brasil (1999), da reinauguração dos estúdios Vera Cruz (1998) e também de megaespetáculos como “A Paixão de Cristo” (Pernambuco - 1998). Gravou e apresentou-se com artistas das mais variadas tendências como Chico César, Pena Branca & Xavantinho, Elizeth Cardoso, Inezita Barroso, Ná Ozzeti, Emilinha Borba, Jamelão, Zeca Baleiro, Eliete Negreiros, Zé Ketti etc. Leciona no Conservatório de Tatuí 1996 e tem ministrado workshops e oficinas de percussão, sonoplastia e expressão corporal.

Ana Malta

Ana Malta

Canto

Iniciou seus estudos musicais no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí em 2000, no curso de canto lírico. Em 2006, na mesma instituição, formou-se em canto popular, sob a orientação da professora Andréa dos Guimarães. De 2002 até 2008 foi integrante do Coro do Conservatório de Tatuí (Da Boca Pra Fora), sob a regência do maestro Cadmo Fausto. Em 2004, no nível intermediário do curso de canto lírico, passou a ter aulas com a professora Mariana Cioromilla. Atualmente faz aulas com a professora Suely Freitas, prosseguindo assim os estudos do curso de canto lírico (nível avançado). Realizou cursos complementares no Conservatório de Tatuí como o de Ritmos Brasileiros, sob a orientação do professor André Marques. Em 2003, foi convidada por ele a integrar a Vintena Brasileira, sendo a única cantora do grupo. Com esse mesmo grupo gravou o CD “De Baque às Avessas”, lançado em junho de 2008. Também participou de cursos extracurriculares, workshops e festivais realizados no Conservatório de Tatuí na área instrumental e erudita desde 2000. Outros cursos que merecem destaque são o de percussão complementar com o professor Cléber Almeida (Trio Curupira), oficina com Itiberê Zwarg, piano complementar, teoria e solfejo, percepção musical, estruturação musical (harmonia funcional) e história da música. Em 2008 ingressou na Universidade Federal de São Carlos, no curso de Licenciatura em Educação Musical, obtendo a primeira colocação. No mesmo ano começou a ministrar aulas de canto popular na escola municipal de música de Porto Feliz. Em 2009, passou a exercer o cargo de professora de música na especialidade canto popular, no Conservatório de Tatuí.

André Marques

André Marques

Piano, Prática de Conjunto e Ritmos Brasileiros

Pianista, arranjador e compositor, iniciou sua carreira em 1992. Desde 1994 integra o grupo de Hermeto Pascoal com quem já viajou pelo mundo todo. Em 1996 formou o Trio Curupira, com o qual já tocou em todo Brasil, América do Sul, Europa e EUA, com destaque para o Rock in Rio – Lisboa de 2004. O trio tem quatro CDs gravados e o seu terceiro CD “Pés no Brasil, cabeça no mundo” obteve uma indicação para o Grammy Latino e para o Prêmio de Música Brasileira. Como arranjador, já participou de diversos projetos, entre eles o projeto “Obra Viva – Homenagem a Tom Jobim”, convidado pelo SESC Pompéia, no qual fez a direção musical e todos os arranjos que tiveram como intérpretes: Danilo Caymmi, Rosa Passos, Elza Soares, Thalma de Freitas e Max de Castro. Em 2012, também como arranjador, foi vencedor do I Festival Ars Brasilis, que premiou os melhores arranjos instrumentais de músicas de Milton Nascimento para Big Bands. Também dirige a orquestra Vintena Brasileira, com quem tem dois CDs lançados e tem diversos projetos solo, o atual é com um sexteto. Entre o Trio Curupira, Vintena Brasileira e trabalhos solos, já possui 9 CDs gravados e nesse ano de 2014 deve lançar mais dois. Leciona no Conservatório de Tatuí e na Faculdade Souza Lima, além de dar aulas em oficinas por todo Brasil. Além desses grupos, teve participações ao lado Ari Hoenig, Adonis Rose, Arismar do Espírito Santo, Jane Duboc, Ithamara Koorax, Danilo Caymmi, Izabel Padovani, Dominguinhos, Kiko Freitas, Elza Soares, Renato Teixeira, Nenê, Mestre Salustiano, Hamilton de Holanda, entre outros.

Andrea dos Guimarães

Andrea dos Guimarães

Canto

Cantora, compositora e arranjadora, é Bacharel em Música Popular e Mestre em Música pela Unicamp. Em 2001, conquistou o 2º lugar no concurso público para docente em Canto Popular na Unicamp. Foi professora de Canto Popular durante quatro anos na Faculdade Cantareira (SP) e cinco anos na Escola Canto do Brasil (SP). Atuou também com docente de Canto Popular no curso de extensão oferecido pela Secretaria de Cultura e Turismo de Americana- SP, na Escola Municipal de Música Heitor Villa-Lobos (2004); no curso de extensão oferecido pela Universidade Federal de São João Del Rei/MG (2008); no X Festival de Música de Ourinhos (2010) e no XVIII Festival de Inverno de Domingos Martins/ES (2011). Fez a direção artística e musical dos espetáculos “A canção no tempo – da Época de Ouro à Bossa Nova” (Americana-SP 2004) e “Circuladô” apresentado nas cidades de Tatuí, Campinas, Presidente Prudente e Botucatu, em parceria com o compositor e arranjador Paulo Flores, com a participação do grupo artístico-pedagógico Jazz Combo do Conservatório de Tatuí (2010). Foi membro do júri dos festivais de Jaú (2006), Americana (2007), Ourinhos e Jundiaí (2010). Integra o grupo Conversa Ribeira, atuante desde 2002, com o qual representou o Brasil em festivais no México e em Portugal. Após lançar seu 1º CD em 2007, o Conversa Ribeira foi selecionado no Projeto Pixinguinha (FUNARTE, 2007) e no programa Rumos Itaucultural (2008). Também recebeu o prêmio Inovação do Festival Voa Viola (2011). Em 2012, o grupo dividiu o palco com a Orquestra Municipal de Jundiaí – os próprios integrantes do trio escreveram arranjos para incorporar a orquestra de cordas à sua concepção peculiar da música caipira. Ao longo de sua história, apresentou-se ao lado de artistas consagrados como Guinga, Monica Salmaso, Paulo Freire, Inezita Barroso. O Conversa Ribeira lançou em 2013 seu 2º CD intitulado “Águas Memórias”. Durante seis anos compôs o Garimpo Quarteto, grupo de música instrumental com voz, com o qual tem 01 CD gravado, tendo se apresentado no Auditório do Ibirapuera (SP); no IX Festival Brasil Instrumental; no SESC Pinheiros ao lado da cantora portuguesa de jazz Sara Serpa, entre outros. Atualmente é professora de Canto Popular no Conservatório de Tatuí, na Escola de Música do Estado de São Paulo - EMESP Tom Jobim (São Paulo), na Faculdade Souza Lima (São Paulo) e no curso de Educação Musical da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atualmente, está em fase de produção de seu 1º CD solo intitulado Desvelo, no qual Andrea canta e toca ao piano os arranjos que criou para canções da música popular brasileira.

Beto Corrêa

Beto Corrêa

Piano e Prática de Conjunto

Mineiro natural de Poços de Caldas teve seu primeiro contato com a música por meio do violão. Aos 9 anos começou a estudar piano erudito e em 1995 ingressou no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos de Tatuí”. Começou sua carreira na música instrumental com o grupo Mente Clara, com o registro de dois CDs. Na música instrumental já tocou com Hermeto Pascoal, Heraldo do Monte, Toninho Horta, Arismar do Espírito Santo e Vera Figueiredo. Como sanfoneiro desenvolve trabalho de pesquisa da música nordestina com o Trio Macaíba. O trio tem como registro dois CDs, e em 2014 viajou à Europa em turnê de shows e oficinas sobre música brasileira. O trio já gravou e tocou com Dominguinhos, Nailor Proveta, Anastácia, Oswaldinho do Acordeon e Hermeto Pascoal. É professor de piano e prática de conjunto no curso de MPB e Jazz no Conservatório de Tatuí, onde em 2014 foi também coordenador da Big Band Jovem. Instrumentista, compositor e arranjador, produziu, gravou e tocou com vários nomes da música brasileira como: Dominguinhos, Djavan, Antônio Nobrega, Hermeto Pascoal, Heraldo do Monte, Arismar do Espírito Santo, Oswaldinho do Acordeon, Monarco da Portela, Nelson Sargento, Toninho Horta, Vera Figueiredo, Natan Marques, Flavia Virgínia, João Alexandre, Pena Branca, e outros. Como músico, viajou por todo o Brasil e também Uruguai, Grécia, Alemanha, Holanda, França, Suíça, Inglaterra e Portugal.

Celso Veagnoli

Celso Veagnoli

Saxofone e Prática de Conjunto

Graduado em Educação Artística pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Tatuí, e em saxofone erudito pelo Conservatório de Tatuí. É docente do Departamento de Música da Unicamp desde 2001. Foi colaborador na criação e formatação do curso de MPB/Jazz do Conservatório de Tatuí, no qual leciona desde 1990. Foi arranjador do "Festival de MPB – Certame da Canção" de Tatuí nos anos 2010, 2011, 2012 e 2014. Dirigiu, de 1991 a 1994, a Big Band "Semifúsica", formada por alunos do Conservatório de Tatuí. Participou de concertos com a Orquestra Sinfônica de Campinas, sob a regência dos maestros Aylton Escobar, Jamil Maluf e Victor Hugo Toro. Atuou como primeiro sax alto e soprano na Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira) por 12 anos, tendo gravado oito CDs com o grupo. Integrou a primeira formação do madrigal cênico "Da Boca Pra Fora" (hoje Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí), atuando também como regente coral. Integrou vários outros grupos do conservatório, como a Big Band "Prata da Casa", "Projeto Sinfônico", quartetos de saxofone, etc. Por seis anos integrou o Jazz Combo do Conservatório ("Cambanda Jazz Combo"), grupo com o qual gravou um CD atuando como músico e assistente de produção. Foi um dos organizadores do "Primeiro Encontro de MPB Instrumental de Tatuí" (hoje "Painel Instrumental"), atuando, da terceira à oitava edição, também como músico da Banda "Brasil Instrumental". Desde 2006 é integrante da Big Band do Conservatório de Tatuí, passando em 2010 a atuar como coordenador do grupo.

Cláudio Sampaio “Cambé”

Cláudio Sampaio “Cambé”

Trompete

Iniciou seus estudos em 1979 com o professor Francisco Belculfiné, o “Chiquito”, na cidade de Itu, na Corporação Musical União dos Artistas. Posteriormente, continuou estudos com o professor Edgar Baptista dos Santos, “Capitão”, no Conservatório de Tatuí. Atualmente é professor de trompete na área de MPB&Jazz e o primeiro trompete da Big Band do Conservatório de Tatuí. Em 2007, participou de uma turnê pela Escandinávia, tocando em dois festivais de Jazz, no “Copenhagen Jazz Festival” e no “Aarhus International Jazz Festival”, com a Brazilian-Scandinavian Jazz Orchestra, liderada pelo músico brasileiro Magno Bissoli.

Darli Margarete Ventura Paulillo

Darli Margarete Ventura Paulillo

Teoria e Percepção

Formada em regência pela Unicamp, e piano erudito. Estudou também flauta transversal, fagote e percussão. Foi aluna do maestro e compositor Ernst Mahle na Escola de Música de Piracicaba. Atuou como fagotista da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí.
Desde 1999 trabalha no Núcleo de Educação Musical Infantil do Conservatório de Tatuí na área de musicalização a partir dos quatro anos de idade, e na Prática Infantil de Música em Conjunto para crianças de seis a 12 anos de idade.
Em 2002, publicou, em parceria com a professora Irene Almeida, o livro “A Arte de Musicalizar” incluindo um CD, como parte do projeto de capacitação de educadores.
Também ministra, juntamente com a professora Irene Almeida, workshops e oficinas de Musicalização Infantil para Educadores. Em 2003, participou da equipe de professores do 34º Festival de Inverno de Campos do Jordão, a convite da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

Dauri da Silva

Dauri da Silva

Guitarra

Pós-graduado em Música Popular (FACCAMP) cuja pesquisa e artigo teve como tema o estudo da guitarra, questionando fatores determinantes para a formação e profissionalização do músico como a sistematização do ensino da guitarra, a prática formal e informal, diferentes processos didáticos, atuações de professores e alunos, talento, vocação e criatividade entre outros. Na graduação, em Pedagogia, seu Trabalho de Conclusão de Curso teve como tema a Música-Educação, sua história, a implantação do ensino musical no ensino regular, as implicações da música afetiva, cognitiva e socialmente, e sua relevância na opção profissional, embasada por pesquisa/entrevistas com alunos, professores e profissionais da música. Dauri atua como instrumentista desde a adolescência, tendo como bagagem, desde o aprendizado prático em bandas de baile no idos anos 1970 até cursos de formação, pesquisa e aperfeiçoamento. Estudou violão erudito, popular e guitarra com especialização em MPB/Jazz e Fusion. Atuou como instrumentista em vários grupos com diferentes formações e Big Bands, acompanhou vários artistas relevantes do cenário nacional, participou de gravações em estúdios etc. No entanto, seu grande interesse volta-se para a área pedagógica que vê de maneira holística. Atua neste campo desde o inicio de sua trajetória profissional e no ano 2000 integrou-se ao quadro de docentes do CDMCC como professor de guitarra, repertório e harmonia. Está em constante processo de pesquisa e aprimoramento de estratégias e metodologias do ensino da guitarra, elabora materiais didáticos específicos, sendo autor dos Métodos de Guitarra Básico, Intermediário, Avançado e material de apoio.

Edmo Guimarães

Edmo Guimarães

Canto Popular

Professor de canto, regente coral e preparador vocal no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí/SP, atuando nas áreas de Artes Cênicas, Canto Coral e MPB&Jazz. É especialista em voz pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo/SP, no curso de fonoaudiologia. Desde 1989 se dedica ao estudo e à pesquisa da voz, tendo como fontes iniciais as Técnicas de Alexander e os exercícios tradicionais de postura e respiração do canto lírico. Por meio do esporte (triathlon), realizou uma experiência única acerca do mecanismo corporal e respiratório durante atividade física intensa, o que resultou na elaboração de exercícios corporais/vocais específicos, visando a adequação respiratória e a manutenção da voz profissional/artística. Em São Paulo foi professor de voz na Escola de Atores Wolf Maya e no CEM –  Centro Experimental de Música – Sesc Consolação. Atualmente se especializa em Belting Contemporâneo pelo Studio Marconi Araújo (São Paulo), onde também faz parte da grade de professores.

Eduardo Maurício Gobi

Eduardo Maurício Gobi

Piano, Piano complementar e Improvisação

Licenciado em Música pela Universidade de Sorocaba (Uniso), formado nos cursos de Piano MPB&Jazz e Clássico pelo Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí, e no curso de Teclado Módulo Avançado do Conservatório Municipal "Maestro Henrique Castellari" de Salto. Atualmente integra o grupo do músico "Gê Tock", com participação no seu terceiro álbum, gravado em 2013, e é aluno especial de Mestrado na Unicamp. Também Integrou o grupo do músico "Fábio Gouvea", no qual teve participação no seu primeiro trabalho autoral gravado em 2011. Com esses trabalhos, percorreu Sesc’s e Sesi’s de Sorocaba, Piracicaba, Santos, São Paulo e já participou de projetos organizados pela Gás Natural, dentre outros. No ano de 2010 participou com o "Fuzuê Trio" do Mapa Cultural Paulista ficando entre os finalistas. Em 2007 ministrou o seminário "Piano: do Jazz ao Popular" durante a semana da música pela Prefeitura de Porto Feliz. No ano de 2004 participou do XI Festival de Artes de Itu, e acompanhou a regente de coral Thelma Tchan. Em 2001 produziu e coordenou o CD da cantora Cláudia Sanches e, no mesmo ano, foi convidado para trabalhar no Transatlântico Splendor Of The Seas, onde permaneceu durante os meses de novembro de 2001 a janeiro de 2002, percorrendo a costa brasileira, Uruguai e Argentina. No período de 1999 a 2008, ministrou aulas na Escola Municipal de Música "Romário Antônio Barbosa" de Porto Feliz (SP), onde formou e coordenou o grupo "Aracaia", projeto voltado para a pesquisa e divulgação da música brasileira. Com o trio "Pra Quinteto faltam Dois" homenageou o pianista cubano Michel Camilo, repercutindo convites para se apresentar na Dinamarca e em Berlim (Alemanha). Mais: eduardogobi.wix.com/edu

Fabio Antonio Xavier da Silva

Fabio Antonio Xavier da Silva

Saxofone

É formado nos cursos de saxofone e clarineta do Conservatório de Tatuí, tendo estudado com os professores José Teixeira Barbosa (clarineta e saxofone), Ely Jacob Hessel (clarineta) e Luis Carlos Rodrigues (saxofone). É professor de saxofone, desenvolvendo trabalho de formação técnica e de conhecimento de linguagem da música popular. Participou de cursos de aperfeiçoamento e workshops com importantes professores de renome tais como Eduardo Pecci (Lambari), Naylor Azevedo (Proveta), Vinicius Dorin, Miles Osland, Dale Underwood, Roberto Sion, entre outros. Integra a Big Band do Conservatório de Tatuí, tendo participado da gravação do CD “Big Band SamJazz 30 Anos”. Foi durante anos clarinetista e saxofonista da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com a qual participou da gravação de vários CDs. Mantém trabalhos eventuais em shows e gravações com importantes artistas da MPB.

Fábio Gouvêa

Fábio Gouvêa

Guitarra e Baixo Elétrico

O músico sorocabano Fabio Gouvea tem 34 anos de idade, sendo mais de 20 deles dedicados à música instrumental. Guitarrista e baixista, é professor do Conservatório de Tatuí e do Conservatório “Enoque da Silva”, de Alumínio. Formado em “Bacharel em Instrumento” pela Faculdade Carlos Gomes, tem seu trajeto pontuado por importantes momentos como ser integrante do grupo Trio Curupira, com o qual gravou três CDs, sendo um deles indicado ao Grammy Latino 2008 na categoria “Melhor álbum de música contemporânea e/ou raízes brasileiras” e o último lançado em 2013. Já tocou e participou de festivais em países como Portugal, Argentina, Cuba, EUA e República Dominicana. Desenvolve trabalhos com o músico e compositor Arrigo Barnabé, toca esporadicamente como integrante do grupo do multiinstrumentista Hermeto Pascoal e com músicos do calibre de Vinícius Dorin, Arismar do Espírito Santo, Hamilton de Holanda, Jane Duboc, entre outros. Em 2013 lançou também o CD “So Close, So Far”, o segundo da carreira solo, gravado na cidade de Nova Iorque EUA, com participações do pianista francês Jean Michel Pilc e do saxofonista norte americano Donny McCaslin. Saiba mais em: www.fabiogouvea.com

Fábio Leal

Fábio Leal

Guitarra e Prática de Conjunto

Iniciou seus estudos musicais aos 15 anos com Aldo Landi. Estudou na ULM (Universidade Livre de Música Tom Jobim) e no Conservatório de Tatuí. Há dez anos vem desenvolvendo uma nova concepção de guitarra brasileira - tanto no campo da improvisação como da composição. Em 2000, formou o grupo Mente Clara, que lançou seu primeiro CD em 2007. Em 2002, tocou no Festival de Jazz em Havana (Cuba) e, em 2006, participou do projeto “Obra viva: Homenagem a Tom Jobim”, com direção de André Marques e que teve como intérpretes Elza Soares, Thalma de Freitas, Max de Castro, Danilo Caymmi e Rosa Passos. Leciona desde 1995 e há cinco anos atua como professor de prática de conjunto e guitarra no Conservatório de Tatuí. Fez participações ao lado de grandes nomes da música instrumental brasileira como Fernando Corrêa, Nenê, Vinicius Dorin, André Marques, Mônica Salmaso, Teco Cardoso, além da Cambanda Jazz Combo (com direção de Paulo Flores) e Banda Savana (com regência do maestro Branco). Em 2009 gravou o segundo CD do grupo Mente Clara e seu primeiro trabalho solo intitulado “Fábio Leal Quarteto”.

Felipe Brisola

Contrabaixo

Iniciou sua vida musical aos dez anos tocando violão como autodidata. Posteriormente estudou violão erudito no Conservatório de Tatuí. Aos 13 anos descobriu seu interesse pelo contrabaixo, e logo após ingressou no curso de Contrabaixo Acústico, também em Tatuí. Em 2000 começou a estudar Contrabaixo Elétrico no curso de MPB/ JAZZ, no qual se formou em 2005. Acompanhou e gravou o 2º CD da cantora Flávia Virginia, tendo participado de shows na Espanha e Angola. Participou como músico convidado do XVI Festival Jazz em Lima, no Peru, onde se apresentou junto ao pianista Jeff Gardner. Atualmente atua na Jazz Combo do Conservatório de Tatuí e na banda Trupe em São Paulo.

Heverton Silveira

Heverton Silveira

Bateria, Percussão Complementar e Prática de Conjunto

Atua desde 2001 como professor de bateria, percussão complementar e prática de conjunto no curso de MPB&Jazz do Conservatório de Tatuí. De 2009 a 2011, foi também professor de rítmica na EMESP (SP). É formado pelo Conservatório de Tatuí, no curso de MPB&Jazz, em bateria e percussão. Graduado em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas pela Asseta (Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Tatuí). Tem participado como aluno especial das aulas de mestrado em música da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Atualmente é baterista do “Joseval Paes Jazz Trio”, Artuzo Musical Sexteto, Outside Grupo Musical, Outside Big Band e Banda Reveillon. Apresentou-se em julho de 2013 com Joseval Paes Jazz Trio no Conservatório de Tatuí – Festival Painel Instrumental no Projeto Vitrine do Painel. Em 2012, foi convidado a acompanhar o Tenor Paulo Szot junto à Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com a qual se apresentou na Sala São Paulo. No ano de 2011 participou do 3º Painel Instrumental acompanhando o contrabaixista Thiago Espírito Santo e Outside Big Band. No mesmo ano teve participação especial no Tributo a Sylvio Mazzuca e Orquestra na cidade de São Paulo. Em 2010, foi convidado para participar como professor de bateria do projeto Coreto Paulista “Oficinas Técnicas Itinerantes para Maestros e Músicos de Bandas” e baterista da Lexo Big Band, Banda Tatuí Jazz Sinfônica, Outside Big Band e Fuzuê Trio. Participou de vários grupos de música instrumental, orquestras, bandas e cantores como Big Band Jovem do Conservatório de Tatuí, Jazz Trio Tatuí, Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí, Baraká Trio, Ticutuco Jazz Trio, Jazz Combo do Conservatório de Tatuí, Set Instrumental, Big Band Curare, Big Band Plano de Expansão, Banda Reveillon, Afonso Nigro e Gislaine Antonelli. Tem participação como percussionista da gravação do CD do Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí em comemoração aos 30 anos de existência do grupo e como baterista do 1º CD do cantor Michel Kary. Tem vários artigos publicados pela revista Playmusic, tendo como objetivo a pesquisa sobre a origem dos ritmos brasileiros para percussão e bateria. Participou de diferentes festivais de música como I Painel Instrumental (Tatuí-SP); II Curso de Férias de Tatuí; I Encontro Internacional de Percussão; Percussive Arts Society do Brasil (Campinas-SP); Conferência Regional Sul-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica; I e II Brasil Instrumental, (Tatuí-SP); I Expo Universo Brasil (Milão – Itália); I Encontro de Bateristas (Jaú-SP); III Batuca (São Paulo-SP); I Open Music Festival Berklee e Sousa Lima (São Paulo-SP), V Festival de Bateristas do Vale do Paraíba (Cachoeira Paulista – SP) e workshops com Hermeto Pascoal, Yaniel Mattos, Fernando Corrêa, Celso Pixinga, Bob Wyatt, Michel Leme, Nailor Proveta” Azevedo, Itiberê e Orquestra Família, Tutty Moreno, Rogério Bocato, Trio Curupira, Cleber Almeida, Guello, Nenê, Arrigo Barnabé, Edu Ribeiro entre outros.

Hudson Nogueira

Hudson Nogueira

Arranjo

Bacharel em clarinete pela Faculdade Mozarteum, estudou contraponto e composição com Edmundo Villani-Côrtes. Como clarinetista integrou durante sete anos a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, e como saxofonista foi integrante da Banda Savana, com a qual participou de dois CDs (“Brazilian Moviments” e “Arranjadores”). Dentre seus arranjos destacam-se trabalhos no projeto Pró-Bandas (CD Compositores Brasileiros), Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Banda Savana, quinteto de clarinetes Sujeito a Guincho (CD Die Klarinetmaschine), para o trompetista norte-americano Marvin Stamm, para o saxofonista norte-americano Dale Underwood junto a Banda Sinfônica da CSN. Já escreveu para Beth Carvalho, Nana Caymmi, Ivan Lins e o musical “A Lira da Existência”, de Moraes Moreira. Na área das composições, destacam-se trabalhos para Quinteto de Sopros da Paraíba, quarteto de saxofones Saxofonia, Quinteto D´Elas, Big Band Bissanblass (CD Abracadabra), para o trompetista Fernando Dissenha, para o saxofonista norte-americano Dale Underwood (CD da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí), quinteto de clarinetes Madeira de Vento (CD Cartografia Musical Brasileira São Paulo), Orquestra Sinfonia Cultura e Fred Mills. Suas obras já foram executadas na Hungria, Rússia, Argentina, Estados Unidos, França e Espanha. Atua como professor de arranjo do Conservatório de Tatuí.

José Geraldo Finatti Parducci (Gê Tock)

José Geraldo Finatti Parducci (Gê Tock)

Guitarra

Guitarrista, paulista de Tietê, formado na Área de MPB & Jazz e Arranjo para música popular e big bands pelo Conservatório de Tatuí. Também estudou em São Paulo, tendo como professor o guitarrista Jarbas Barbosa (Banda Mantiqueira). Possui dois CDs de música instrumental brasileira com composições próprias, intitulados “Por Caminhos Diferentes” (1999) e “Lunar” (2003). Nestes CDs, explora a variedade de aspectos musicais do Brasil, focalizando principalmente elementos do interior do país, não deixando, no entanto, de citar aspectos urbanos. Há também influências do jazz em seu trabalho recebidas de Milton Nascimento, Toninho Horta e do guitarrista Pat Metheny. Seus CDs foram destaques em matérias publicadas por revistas especializadas em música como “Guitar Player” e “Guitar Class”, além de terem sido destaque nos programas “Retrato do Artista” (Rádio UNESP FM, Bauru-SP) e “Terra Brasilis” (Rádio Cultura AM, São Paulo-SP). Recebeu da Câmara Municipal de Tietê em 2001 “Votos de Congratulação” pelo trabalho realizado através do CD “Por Caminhos Diferentes”, aprovado por unanimidade. Foi também homenageado pela Prefeitura de Tietê em 2000 por ocasião das comemorações da XXVIII Semana Camargo Guarnieri. Em 2010, venceu a 28ª edição da FAMPOP – Festival de Avaré, na categoria música instrumental, com a composição “Na Canção do Vento”. Em 2012, venceu a 30ª edição do mesmo festival com a composição “Céu de BH”, recebendo o prêmio de melhor música instrumental. É professor de Guitarra e Harmonia no Curso de Música Popular (MPB&Jazz) do Conservatório de Tatuí desde 2005. Foi guitarrista das Big Bands “Prata da Casa” e “SamJazz”. Além disso, apresenta-se com seu grupo em diversas cidades pelo Brasil, em shows, festivais e outros eventos musicais, tais como “ I Encontro da MPB Instrumental” – Conservatório de Tatuí; “Projeto Sol Maior” – SESC/Santos; “Projeto Campos das Artes” – Campos do Jordão-SP; “Festival de Jazz do Jardim Suspenso da Babilônia/Spa Musical” - Santo Antonio do Pinhal-SP; “FAMPOP – Feira Avareense de Música Popular” – Avaré-SP; “Projeto Sons da Cidade” – São Bernardo do Campo-SP; “4ª Mostra SESI de Música Instrumental” – Piracicaba-SP; entre outros. Suas músicas têm sido executadas em diversas emissoras de rádio e TV do Brasil, Estados Unidos e Portugal. Participou da gravação dos CDs “Gravura” do compositor/instrumentista cearense Jr. Faheina (2001) e “Sophisticated Choro” do compositor/arranjador/instrumentista piracicabano Marco Abreu (2003). Com a Big Band Prata da Casa, gravou o CD “Raízes, Tradição e Extensões” (1997). Com a Big Band SamJazz gravou o CD “SamJazz 30 anos” (2006) e, com esta, apresentou-se em várias cidades do país e América do Sul, além da oportunidade de trabalhar com regentes internacionais como Ed Sarath (diretor do departamento de jazz da Universidade de Michigan/USA); John Rapson (Universidade de Iowa/USA); Daniel Barry (PHD em Composição, Arranjo e Regência e professor na Northwest Music Works – Seattle/USA); Miles Osland (diretor do departamento de Jazz da Universidade de Kentucky/USA); Niels Neergaard (regente da Rádio Jazz Orchestra de Copenhagen/Dinamarca); Martin Winiger (Universidade de Zurique/Suíça), e mais: maestro Branco; Leny Andrade; Oswaldinho da Cuíca com a bateria da Escola de Samba Vai-Vai; Pery Ribeiro; Os Cariocas; Célia; Zé Luiz Mazziotti; Hector Costita; Altair Martins; Vittor Santos; Jorginho do Trompete; Benito di Paula; Tânia Alves, Altemar Dutra Jr. entre outros. Contato: www.myspace.com/getock / ge.tock@uol.com.br

Joseval Paes

Joseval Paes

Guitarra e Baixo Elétrico

Natural de São Paulo, iniciou seus estudos musicais aos 10 anos de idade pelas mãos de seu pai, José Paes (Pernambuco), tendo o violão como seu primeiro instrumento. Junto a seu pai, habituou-se a partir de 1981 a frequentar o “ponto dos músicos”, tradicional encontro de artistas na Praça da Sé, assim como o famoso ponto da Ipiranga com a avenida São João, onde acostumou-se a ouvir histórias musicais dos assíduos frequentadores. Ainda em 1981 começava a “dar canjas” na vida noturna e a tocar instrumentos de percussão em bandinhas (grupos especializados em shows circenses e eventos comerciais). A vida de um músico “da noite” exigia um repertório bastante diversificado com aproximadamente: 200 sambas, 50 boleros, 50 standars de filmes norte-americanos, 100 bossas, 50 chá chá chás, 20 tangos, 20 mambos, 20 maxixes, choros diversos, marchas de carnaval, valsas, músicas italianas, francesas, entre músicas da “moda”. A exigência de se tocar todas as músicas em todos os tons, conferia a Joseval uma infinidade de elementos harmônicos, melódicos e rítmicos, decisivos em seu aprendizado musical. Estudou o método “Isaías Sávio” de violão erudito, um compêndio de peças para violão solo, e “Escola Moderna do Violão”, do mesmo autor. Esses métodos viriam reforçar e ampliar em Joseval sua habilidade técnica com as mãos. Em 1982, surge uma grande paixão musical que iria marcar sua vida: o jazz norte-americano. A partir daí, iniciou na busca pelos grandes mestres do estilo, passando a ouvir milhares de discos na tentativa de reproduzir aqueles sons e tendo influência de Wes Montgomery, George Benson, Joe Pass, Oscar Peterson, Chet Baker, Count Basie, Dexter Gordon, Tom Jobim, Lúcio Alves, Dick Farney, Cézar Camargo Mariano, Elis Regina, Johny Alf, Tito Madi, Pixinguinha, Ataulfo Alves, Hermeto Paschoal, Chico Buarque, Noel Rosa, Ivan Lins, dentre muitos outros. Em 1993, encontra a parceria musical que seria a mais intensa e constante em sua vida e que se estende aos dias atuais: com o saxofonista argentino Hector Costita que ao longo desses anos tem como encontro marcado de apresentações a tradicional casa de Jazz “All of Jazz” em São Paulo. Além da grande paixão pelo jazz, com Hector, Joseval participa de uma infinidade de eventos musicais dos mais diversificados possíveis entre Brasil e exterior com Grupos Musicais, Clubes e Orquestras em que atuou como Clube Piratininga, Lillas Clube, Orquestra Colúmbia, Toscano e sua Orquestra, Orquestra Carinhoso, Cantina Vico do Scugnizzo. Karaokê Kyoto, Orquestra de Osmar Milani, Banda Reveillon, Orquestra Francisco Petrônio. Orquestra maestro Tíbor, Clodo e sua Orquestra, Orquestra Show Cubana, Avenida Club, Orquestra Maestro Azevedo, Shining Brass Band, Orquestra Maestro Élcio Álvares, Orquestra Maestro Zezinho, Gallery Band, Orquestra Clóvis e Ely, Grupo Roda Viva, Grupo Saint Paul, Italian Music Show, Shimon Lavi- grupo especializado em festas na colõnia judaica, Sammys Band, Osvaldo Sargenteli e suas mulatas, Osvaldo Sândoli e sua orquestra, Abelardo Figueiredo Shows, Sam Jazz, Big Band Sampa, Ed Costa orquestra, All Stars Jazz Band, Eureka Street Band, André Busik Hot Line Jazz Band, Swiss Collegie Dixie Band entre outras. Atuou tocando música instrumental com Arismar do Espírito Santo, Zé Ro Santos, Wilson Teixeira, Valmir Gil, Odésio Jericó, Bauru, Nahor Gomes, Bob Wyatt, Cuca Teixeira, Edu Ribeiro, Pepa Delia, Conrado Paulino, Pepe Baconau, Silvinho Mazuca, Thiago Costa, Fábio Torres, Celso de Almeida, Paulo Paulelle, Jorge Savedra, Sílvio Fats, Lito Robledo, Michel Leme, Jarbas Barbosa, Moacir Peixoto, Rubens Barsotti, Luís Chaves, Itamar Colaso, Célio Barros, Rodrigo Botermaio, Rogério Botermaio, Ademir Cândido, Laércio de Freitas, Lelo Izar, Vinícius Dorin, Nélson Aires, Roberto Sion, Fernando Correia, Toninho Pinheiro, Boneca, Chu Viana, Roberto Dantas, Rodrigo Ursaia, Roland Wagner, Valter Pinheiro, Arrudinha, João de Deus, Nelson Rubo, Jovito, Alonsito, Roberto Galhardi, Bira, Osmar Barutti, Conrado Paulino, Luiz Chaves, Edmundo Villani Cortês, dentre outros. Nas casas de Jazz atuou em: Ao Vivo Music, Opus 2001, Sanja Jazz Bar, Jazz and Blues, Café Piu Piu, Baiuca, Blue Night, Boubon Street, Melograno Jazz Bar, All off Jazz. Tom Tom Jazz Bar, Teta Jazz Bar, The River Café – New York, entre outros. Cantores com os quais trabalhou: Agnaldo Rayol, Ivete Matos, Ralf, Francisco Petrônio, Cristina Campos, Roberto Leal, Mário Armstrong Jr., David Gordon, Ísis Gordon, Tony Gordon, Celso Miguel, Geana Viscardi, Babi Reis, Vera Lúcia, Mara Melgis, entre outros Escolas de Música de sua atuação: Cosvervatório do Morumbi- 1985, Conservatório da Mooca- 1985, Clam- escola de Música dirigida pelo grupo Zimbo Trio- 1991 a 1993, Conservatório de Tatuí 2002 até os dias atuais. Festivais de Música em que atuou tocando e ministrando aulas: Festival de Inverno de Campos do Jordão- 2002 e 2003, Festival de Inverno de Presidente Epitácio-2003, Festival de Inverno e Curso de Férias de Tatuí - de 2004 a 2006. Desde 1992 desenvolve um método próprio de ensino musical, ministrando aulas em domicílio de violão, guitarra, contrabaixo e piano. Em 2014 completa 20 anos de parceria com o saxofonista Hector Costita, tendo realizado mais de 2 mil apresentações em todo o Brasil. Mantém o “Joseval Paes Trio” (com Heverton Silveira, bateria, e Felipe Brisola, contrabaixo), é professor de guitarra e contrabaixo elétrico de MPB&JAZZ no Conservatório de Tatuí onde também é guitarrista do Jazz Combo da mesma instituição.

Marcelo Silva

Marcelo Silva

Harmonia e Percepção em Música Popular

Violonista, formado em violão popular no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos em Tatuí, graduado no bacharelado em violão na faculdade Mozarteum em São Paulo e pós-graduado em Música Popular na FACCAMP em Campo Limpo Paulista. Em seu trabalho de conclusão de curso na pós-graduação escreveu o artigo "Sistemas de notações harmônicas: música popular brasileira e jazz". Em curso por estas instituições, teve aulas de instrumento com os professores Alexandre Bauab Júnior, Geraldo Ribeiro, Ângela Muner, Paulo Hildebrand, Fernando Corrêa e Luiz Carlos Tessarim. Atua desde 1996 como professor na área de MPB&Jazz no Conservatório de Tatuí, tendo ministrado aulas de violão, harmonia e percepção. Em sua trajetória artística participou de gravações de CDs com os músicos Teco Sead, Anerlindo Mendes e Maurício Moreira atuando como músico e arranjador. Acompanha a cantora Aureluce Santos no gênero Samba de raiz e trabalha eventualmente com outros grupos de samba e choro em eventos em prefeituras, Sesc, Empresas entre outros. Atualmente desenvolve projeto de trilha sonora para o Documentário "Hestória da Psicanálise" com arranjos em composições próprias. Atua também como músico e arranjador no CD de Aureluce Santos, em projeto aprovado pela Prefeitura de Campinas.

Maria Antonia Negrão

Maria Antonia Negrão

Piano, Piano Complementar e Improvisação

Iniciou seus estudos musicais aos oito anos de idade no Conservatório de Tatuí, onde estudou e formou-se em piano clássico, piano MPB & Jazz, música comercial e musicalização infantil para educadores, sob a orientação dos professores Paulo Braga, Cláudio Borici (Federal), Hector Costita, entre outros. Nesses cursos, participou de vários grupos musicais como Big Bands, Bandas Sinfônicas, Trios, Quartetos, além de realizar trabalhos como solista. Em 2003, formou-se em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas. Em 2012, concluiu a pós-graduação em nível de especialização em Metodologia do Ensino da Música pela Faculdade Internacional de Curitiba Facinter. Participou também de vários cursos, workshops e oficinas com músicos de renome internacional como César Camargo Mariano, Hermeto Pascoal, André Mehmari, Benjamim Taubkin, João Donato, Nelson Ayres, Amilton Godoy, Egberto Gismonti, Laércio de Freitas, Débora Gurgel, Eudóxia de Barros, Bohumil Med, entre outros. Participou da palestra sobre manutenção e funcionamento do piano com o especialista George Boyd da Steinway & Sons do Brasil. Como bolsista do Festival de Inverno de Campos do Jordão, participou na concorrida vaga para piano Big Band nas 23ª, 25ª, 33ª e 34ª edições, tendo também participado no Conservatório de Tatuí em algumas edições do Curso de Férias com os maestros Jerry Alcione (USA) e Jorge Costa Pinto (Portugal). Participou das edições do Festival de MPB - Painel Instrumental, realizados no Conservatório de Tatuí, na área de piano com aulas ministradas pelos professores Fábio Torres, Irio Junior e Jether Garotti. Na área didática, atua como professora desde fevereiro de 2009 até o presente momento na área de teclado, piano e piano (complementar), e improvisação MPB & Jazz no Conservatório de Tatuí. Em 2010, participou da premiação do governo do Estado de São Paulo "Ações Inclusivas" para pessoas com deficiência na área de Musicografia Braille como professora de prática de instrumento (piano e teclado) no Conservatório de Tatuí. Em junho de 2011 integrou o corpo de jurados na fase municipal do Mapa Cultural Paulista de Boituva (SP) na categoria de Música Instrumental. De 2007 a 2011, atuou como professora do curso Fundamental e Técnico de Piano Popular no Conservatório Musical Rogério Koury, em Sorocaba. Em março de 2013 participou como pianista na sessão solene de cerimônia de posse e transmissão de funções da Universidade Estadual Paulista (Unesp) "Júlio de Mesquita Filho" - Campus Experimental de Sorocaba. Atualmente, atua também como Pianista e Tecladista solo em bandas, orquestras com diversas formações para casamentos, festas, recepções e música ambiente em eventos por toda região do Estado de São Paulo.

Paulo Malheiros

Paulo Malheiros

Trombone

Estudou com professores como David Richards e Daniel D’Alcantara. Ganhou o Prêmio “Open Berklee/Souza Lima”, realizado em 1997 e, em 2004, venceu o Prêmio de “destaque entre bolsistas” do Festival de Campos do Jordão, MPB/Tatuí. Já participou como músico de diversos grupos de música instrumental e orquestras sinfônicas, entre as quais destacam-se: Maria Schneider; David Liebman; Orquestra Experimental de Repertório; Banda Jazz Sinfônica de Diadema; Sound Scape Big Band Jazz; Mozar Terra Octeto; Reteté Big Band; Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo; Orquestra Sinfônica do Paraná; Banda Savana. Na área pedagógica participou como professor e palestrante em alguns festivais de música como: Ourinhos/2005, 2014 e 2016; Goiânia/2005; Londrina/2006 e 2007; Curitiba/2009, 2012 e 2015; e Tatuí/2012 e 2013. Atualmente, integra como músico e arranjador os grupos Soundscape Big Band, Reteté Big Band, Big Band do Conservatório de Tatuí, e leciona aulas de Trombone MPB/Jazz no Conservatório de Tatuí.

Paulo Signori

Paulo Signori

Harmonia, Percepção e História da Música

Contrabaixista (acústico e elétrico) formado em música popular pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas - 1995). Mestrando em Música pela Unicamp. Em 2000 participou do Five-day-Intensive Course, na Bass Collective (New York). Na área didática, atuou como professor de música no Conservatório Musical Campinas (1990-1991), STBI – Seminário Teológico Batista Independente-curso de Música Sacra (1992-1993), Departamento de Artes do IASP (desde 1993), ministrando disciplinas como Instrumento, Harmonia e História da Música Popular Brasileira. Participa regularmente como instrumentista em gravações em estúdio, tendo realizado trabalhos nos CDs: “Castelo Forte”- Orquestra Filarmônica Nazarena de Campinas (CNP); “Carta de Amor”- IASP (Liberal/Cromus Produções); “Nenhum Outro Caminho” (Tiago Viana-produção independente); “Estação Suburbana” (Aquarela Sonora); “Realizando Sonhos” (Unasp); “Segundo” (Tiago Viana-produção independente); “Olhando o Horizonte”-João Teixeira (Programa de Amparo à Cultura) e “O tempo é Agora” (Grupo VL). Atualmente desenvolve trabalho com o trio de música instrumental “Akustiko Trio” e com o grupo de música brasileira “Catambá”. Participou em outras formações apresentando-se ao lado de músicos como Teco Cardoso, Jayme Pladeval, Marquito Cavalcante, Marco António Ferrari, Marcelo Gomes, Cristiane Neves, Ike Siqueira entre outros. Realizou comunicação no I Congresso Interno de Iniciação Científica (1993) – Unicamp; Seminário “Princípios de arranjo” (1994) – Unicamp; e VIII Congresso IASPM-LA (Lima-Peru).

Rodrigo Braz (“Digão”)

Rodrigo Braz (“Digão”)

Bateria e Percussão Complementar

Formado na Fundação das Artes de São Caetano do Sul e Conservatório de Tatuí, tendo como orientadores Sérgio Gomes, Alexandre Damasceno e José Carlos da Silva. Ainda em sua formação, cursou oficinas em São Bernardo do Campo, com André Freitas (bateria) e com Edilson de Souza Rodrigues (percussão). Participou de vários festivais/encontros, dentre os quais se destacam: I Encontro Instrumental de Tatuí (com os palestrantes Cleber Almeida, Eduardo Contrera, Arrigo Barnabé, Carlos Tarcha e Guello), II Encontro de MPB Brasil Instrumental (com os palestrantes Itiberê & Orquestra Família, Eduardo Contrera, Mario Campos, Claudio Leal Ferreira, Nenê, Hamilton de Holanda, Guello, Guinga, Cleber Almeida), IV Brasil Instrumental e I Mostra Brasil Instrumental – Tatuí. Também participou de workshops com João Donato, Arismar do Espírito Santo, Paulo Russo, Gilson Peranzzetta, Silvia Góes, Teco Cardoso, Cláudio Dauelsberg, Maurício Einhorn, Maestro Neves, Monica Salmaso, Thiago do Espírito Santo e Fernando Correa. Foi professor do Festival de Inverno em Ourinhos (2001, 2002, 2004) ministrando aulas de bateria e prática de conjunto. Atua desde 2001 no Conservatório de Tatuí como professor de bateria, percussão complementar e regente da escola de samba, esta última iniciada em 2013. Sobre sua carreira acadêmica, concedeu entrevistas para revistas e/ou blogs como “Música Contemporânea” e “Informação Musical” falando sobre carreira, concepção e direcionamentos da música mundial e brasileira, enfatizando seu foco de trabalho, a música instrumental improvisada. Fez parte do corpo de Jurados do Carnaval das Escolas de Samba de São Paulo (2013 e 2014), no quesito bateria, avaliando os grupos de Acesso e Grupo Especial. Como representante brasileiro, venceu o XX Festival Jazz Plaza (Havana-Cuba) que contou com a participação de Gonzalo Rubalcaba, Egberto Gismonti, Danilo Perez, Horacio Hernandez, Chucho Valdez, entre outros. Como líder de Banda, apresentou-se com o “Rodrigo Digão Convida” tendo como integrantes Fabio Leal, André Marques, Cesar Roversi e João Paulo Barbosa. Atuou no Projeto “sem pensar, nem pensar” com letras de Itamar Assumpção musicadas pelo compositor e educador Sergio Molina. Já dividiu palco ou gravações com Hélio Delmiro, Fernando Corrêa, Vinícius Dorin, Amilton Godoy, Luiz Chaves, Toninho Ferraguti, Toninho Horta, Monica Salmaso, Arismar do Espírito Santo, Thiago do Espírito Santo, Rodrigo Ursaia, Alessandro Penezzi, Laércio de Freitas, Claudio Cruz, Filó Machado, Caíto Marcondes, André Juarez. Teve destaque como músico na revista Batera&Percussão (festival IP&T) realizado em São Paulo e na revista Modern Drummer em duas edições. Como percussionista gravou DVDs das cantoras Wanderléia no Auditório Ibirapuera (DVD “Trinta”), comemorando seus 30 anos de carreira; Patrícia Marx e acompanhando o CoralUSP (Universidade de São Paulo) com o regente André Juarez. Atualmente, toca com Michel Leme, Renato Consorte, Ai Yazaki Quinteto, Conrado Paulino e com os cantores Fabio Cadore, Patrícia Marx e Tetê Espíndola. Desenvolve trabalho em grupo (“Mente Clara”) com dois CDs gravados – “Mente Clara” e “São Benedito” - tendo como foco a música brasileira contemporânea, intitulada “música universal”. Para alicerçar sua música nesse segmento, em 2014, ministrará workshops e fará shows em trio, juntamente com Salomão Soares e Itiberê Zwarg, complementando com a oficina “Feito na Hora”, de Itiberê. Como líder de grupo e pesquisador, está em atividade com três novos trabalhos: Rodrigo Digão Braz Trio, “Juninos do Brasil” e “Carnavais do Brasil”, esses dois últimos trazendo o folclore das respectivas festas para o contexto da música instrumental improvisada. Pensando na melhoria do seu trabalho como educador voltando ao ensino de música, cursa Licenciatura em Pedagogia, pela UNICID.

Rodrigo Marinônio

Rodrigo Marinônio

Bateria e Percussão Complementar

Formou-se pelo curso de MPB&Jazz do Conservatório de Tatuí, em 1998. Logo após mudou-se para Copenhague, Dinamarca, tendo trabalhado como músico em diversos festivais de jazz, entre eles o Copenhague Jazz Festival. Retornando ao Brasil, após esta experiência de cerca de dois anos no exterior, voltou às atividades no Conservatório de Tatuí, tendo o privilégio de acompanhar os seguintes artistas: Hector Costita, Francis Hime, Leny Andrade, Altamiro Carrilho, Leila Pinheiro e Dori Caymmi. Com a Big Band do Conservatório de Tatuí (Big Band SamJazz) tocou com Jorginho do Trompete, Vittor Santos e Altair Martins. Gravou dois CDs com "Horn Brasil" e com Hudson Nogueira, este lançado no Japão. Foi professor do "Festival de Inverno de Londrina". Atualmente é professor do Conservatório de Tatuí, baterista da Big Band do Conservatório de Tatuí, integrante da Banda do Maestro Azevedo e do grupo Cincado, que realiza pesquisa sobre a música brasileira.

Rodrigo Moura

Rodrigo Moura

Percussão Choro e Percussão MPB&Jazz

Iniciou os estudos de música em 1994 no Conservatório de Tatuí, formando-se em percussão erudita e popular. Como instrumentista atuou em vários grupos musicais, tendo sido percussionista da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira), acompanhando nomes como Elba Ramalho, Luiz Melodia, Alceu Valença, MPB 4 e outros. Tem participação nos CDs da Big Band Prata da Casa, Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e Camerata de Violões do Conservatório de Tatuí. Atualmente é professor de percussão popular dentro do curso de MPB & Jazz do Conservatório de Tatuí.

Rodrigo Ursaia

Rodrigo Ursaia

Flauta e Prática de Conjunto

Saxofonista, flautista e compositor, já se apresentou com importantes nomes do jazz e da música brasileira, tais como Milton Nascimento, Rosa Passos, Ivan Lins, Dom Salvador, Banda Mantiqueira, Heraldo do Monte, Grupo Pau Brasil, Toninho Horta, Nelson Ayres Quarteto, Cláudio Roditi, Arismar do Espírito Santo, Sandro Albert, André Marques, Fabio Gouvea, Jovino Santos Neto, Filó Machado, Matt Wilson, Ohad Talmor, Hélio Alves, Duduka da Fonseca, Sizão Machado, Bob Wyatt, Paulo Braga, Lupa Santiago, Vanderlei Pereira, Santi Debriano, Mossa Bildner, Toninho Ferragutti, Maurício Zottarelli, Portinho, Klaus Mueller, Alex Kautz, Guilherme Monteiro, Maúcha Adnet, David Berkman, Hendrik Meurkens, Joe Martin, Colin Stranahan, Victor Jones, Nir Felder, Cidinho Teixeira e Hector Martignon entre outros. Como membro do grupo de Rosa Passos, participou de várias turnês pela Europa, EUA e Ásia, se apresentando em importantes festivais e clubes de jazz tais como Lincoln Center, Blue Note NY, Umbria Jazz, Copenhagen Jazz Festival, Venetto Jazz, Calle 54, A Trane e Blue Note Milan, entre outros. Como membro do Daniel Marques/Rodrigo Ursaia Duo participou de várias turnês pela Europa, se apresentando inclusive para a família real da Suécia. Foi membro da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo (1997-2000) e se apresentou como solista convidado da Amazonas Jazz Band (2006 e 2010), Iowa University Jazz Band (2002 e 2008) e Jazz Combo do Conservatório de Tatuí (2012). Participou da gravação de vários CDs, dentre eles Canta Caymmi, Amorosa e Samba Dobrado de Rosa Passos; e The Art of Samba Jazz de Dom Salvador, com o qual foi vencedor do Prêmio da Música Brasileira em 2012 – Melhor CD Instrumental. Atualmente, retorna ao Brasil após residir por 12 anos em Nova York, nos Estados Unidos, onde cursou o mestrado na Manhattan School of Music (2002), como recipiente da 'Bolsa Virtuose' do Ministério da Cultura/2000. Além de atuar ativamente como educador – ministrou aulas regularmente e apresentou em 2002 e em 2009 um workshop na Universidade de Iowa sobre improvisação e saxofone brasileiro, em 2003 e 2004 no projeto Global Encounters do Carnegie Hall, em 2005 na Hartt School of Music em Hartford, de 2004 a 2008 como Teaching Artist pela renomada Midori Foundation em Nova York– se apresentou com vários artistas de Jazz e Música Brasileira como Matt Wilson, David Berkman, Sandro Albert, Cláudio Roditi, Santi Debriano, Hélio Alves, Dom Salvador, Hendrik Meurkens, Duduka da Fonseca, Nation Beat, Cidinho Teixeira, Jovino Santos Neto, Vanderlei Pereira, Maurício Zottarelli e Choro Ensemble, além de continuar integrando o Quinteto de Rosa Passos em gravações e turnês internacionais. Lançou em Janeiro de 2015 dois CDs autorais: 'Chamado' com Lupa Santiago e Rodrigo Ursaia Quinteto, com as participações do pianista André Marques, do contrabaixista Bruno Migotto e do baterista Vitor Cabral; e 'O Espantalho' com Daniel Marques e Rodrigo Ursaia Duo. Se apresentou com seu próprio quinteto no festival 'Ilhabela in Jazz' em 2015. Foi professor de saxofone e improvisação na Universidade de Campinas (Unicamp - 1998 a 1999). Apresentou masterclasses sobre improvisação e saxofone brasileiro em 2014 no Festival de Ourinhos, 2012 no Painel Instrumental do Conservatório de Tatuí, BrazilCamp na Califórnia e Berklee on the Road em São Paulo, em 2010 no Conservatório Souza Lima, em 2006 no Liceu Cláudio Santoro em Manaus, em 2002 e 2009 na Universidade de Iowa, em 2005 na Hartt School of Music em Hartford, em 2003 e 2004 no projeto Global Encounters do Carnegie Hall, e em 1999 no Festival de Inverno da Fundação das Artes de São Caetano do Sul, além de atuar em Nova York de 2004 a 2008 como Teaching Artist pela renomada Midori Foundation e de 2002 a 2004 como Program Assistant – Office of Educational Outreach na Manhattan School of Music. Atualmente leciona na Faculdade Souza Lima em São Paulo e no Conservatório de Tatuí.

Sérgio Frigério

Sérgio Frigério

Baixo, Hamonia, Percepção e Prática de Conjunto

É professor da área de MPB&Jazz do Conservatório de Tatuí e integrante da Big Band do Conservatório de Tatuí. Ministrou aulas no I, II e IV Festival de Inverno de Ourinhos, além de participar como integrante dos grupos “Fala Brasileira” e “André Marques & Vintena Brasileira”. Foi um dos fundadores do grupo “Mente Clara”, que desenvolve trabalhos voltados à música brasileira. Participou do CD de Michel Leme, intitulado “Michel Leme Quarteto”, gravado em agosto de 2004 juntamente com Walmir Gil (trompete) e Rodrigo Brás (bateria). Durante sua carreira tocou com renomados músicos, como Sandro Haick, Eduardo Letti, Alex Buck, Victor Mendoza, Bob White, Cuca Teixeira, Wilson Teixeira, Teco Cardoso, John Rampsom, Djalma Lima, André Marques, Fernando Correa, Hudson Nogueira, Realcindo Lima Filho (Nenê), Paulo Braga, Vinícius Dorin, Nailôr de Azevedo (Proveta), Mané Silveira, Roberto Sion, Cléber Almeida, Daniel Barry, Wesley Izar (Lelo), Victor Alcântara, Daniel Alcântara, Moraes Moreira, entre outros. Participou do Latin Culture Festival 2006 na Berklee College (Boston –EUA), com o grupo “Fala Brasileira”, realizando workshops e show. Participou do IV Encontro de Baixistas da Cover Baixo no IB&T, realizado em junho de 2006 do qual também participaram Itamar Colaço, Serginho Carvalho, Chico Gomes, Adriano Gifone, Celso Pixinga, entre outros. Em 2007 fez turnê com o Fala Brasileira pela Argentina e Paraguai. Em 2008 lançou CD com a Vintena Brasileira no Sesc em São Paulo. Atualmente, realiza oficinas de preparação para o curso do Conservatório de Tatuí e sempre se apresenta em Centros Culturais, Casas de Jazz e também em diversas gravações.

Tânia Tonus

Tânia Tonus

Percepção

Natural de São Paulo é graduada pela FMCG (Habilitação- Piano) onde obteve, mediante concurso, bolsa de estudo integral. Teve como professores particulares, durante seus estudos de piano erudito, Beatriz Balzi e Marisa Lacorte. Na sua formação acadêmica (área erudita e popular) estão Escola Municipal de Música de São Paulo, Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí (onde foi aluna de Paulo Braga, piano popular, prática de big band, combo e trio com Paulo Flores e arranjo com Mario Campos), Fundação das Artes de São Caetano do Sul, Conservatório Musical Marcelo Tupinambá (curso de Órgão erudito com Annita Sales), Escola Magda Tagliaferro e USP (curso livre de Música Contemporânea com Beatriz Balzi e Dante Grela), Escola Livre de Música Novo Tempo (História do Jazz com Carlos Calado) e atualmente como aluna especial do mestrado da UNESP-IAP. Atuou como pianista no musical “Candide”, e foi integrante da Banda Instrumental “Alamiré”, duo de jazz Piano-Voz com a cantora Cynthia Tignor Borgani, além de atuar como pianista popular em big band, trio de jazz e outras formações trabalhando com música instrumental popular. Como professora de música atua no ensino há mais de 20 anos. Lecionando piano em diversas escolas em São Paulo e como professora de estruturação e percepção musical (erudita e popular) na Universidade Livre de Música Tom Jobim (ULM) de 2000 a 2008, assumindo nos anos de 2007 e 2008 o cargo de coordenadora do departamento de estruturação a convite do então Diretor Pedagógico e Coordenadora Pedagógica (Arcádio Minczuk e Aida Machado). Atualmente como professora do Conservatório de Tatuí (desde 2009) desenvolve trabalho na área de percepção popular e erudita.

Agência Digimeta