Secretaria da Cultura
XII CONCURSO INTERNO DE PIANO DO CONSERVATÓRIO DE TATUÍ – EDIÇÃO 2017
Jornada de Regência Coral do Conservatório de Tatuí
Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1
Conservatório Dramático e Musical de Tatuí

Música de Câmara

A Área de Música de Câmara do Conservatório de Tatuí se apresenta como um ponto de função exponencial para interlocução interdisciplinar de âmbito musical assim como sócio-cultural do aluno por meio da prática em conjuntos musicais.
A área tem por objetivo possibilitar, por meio da interação das diferentes sonoridades dos conjuntos camerísticos, o observar do desenvolvimento da técnica instrumental, da disciplina corporal, da dicotomia tensão/relaxamento, do direcionamento gestual e respiratório em função do discurso musical, e assim facilitar o emergir de uma consciência consistente e expressiva.
A área pretende incentivar a pesquisa objetiva e disciplinada, propor o estudo dirigido da produção musical para conjuntos camerísticos dos diversos períodos, buscando fazer com que o aluno vivencie atividades que despertem o controle musical e valores como hierarquia, ética e disciplina em função da melhor organização racional do trabalho em conjunto, ensaios e apresentações.
Também são objetivos o incentivo do controle auditivo (percepção e vivência no diálogo musical) e a dramaticidade vocal, instrumental e cênica (imaginação, comunicabilidade, rapidez de reação em palco).
Com classes de 50 minutos, os alunos dos diversos níveis participam de atividades que propiciam vivências do conteúdo musical em conjunto e visam a formação total do aluno no sentido de conduzi-lo a um trabalho final que valorize a iniciativa pessoal e independente.

 

Grade curricular
De acordo com o número de vagas disponíveis, a partir do 1° semestre no instrumento/canto o aluno matricular-se-á também em Iniciação à Música de Câmara Música de Câmara. A partir de semestralidade especificada no Regimento Escolar os alunos deverão participar da Disciplina obrigatoriamente. Ao final de seu curso, o aluno  deverá ter cursado oito semestres de Música de Câmara, com exceção a flauta-doce na qual a Música de Câmara deve contar com o total de seis semestres.
As aulas têm 50 minutos de duração por semana. A área oferece aulas de música de câmara, jogos teatrais e um grupo de performance de palco.

Miriam Braga

Miriam Braga

Coordenação, performance de palco para músicos e música de câmara

Míriam Braga Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Bacharel em Piano pelas Faculdades São Judas. Seus principais mestres foram Bernard Flavigny, Arnaldo Cohen, Heitor Alimonda, Homero Magalhães, Lina Pires de Campos, Amaral Vieira, Magda Tagliaferro, Jacques Klein, Iara Bernette. Foi várias vezes premiada como solista e camerista. Atuou como solista sob regência de Eleazar de Carvalho, Alceo Bocchino Ernani Aguiar, Thomas O'Neall, Benito Juarez, Roberto Garcia Mareco, Henrique Gregori, Edson Beltrami, Florentin Gimenez, Gonzalo Bustos, Dario Sotelo, Juliano de Arruda Campos, entre outros. Gravou para a RTC/SP, Rádio MEC/RJ, TVE/RJ, TV Brasil/RJ no Brasil, para BBC/Londres e TV/México. Tem em sua discografia uma série de CDs dedicados à música brasileira, gravados pela Meridian Records (Inglaterra), Tons e Sons, Rádio MEC, entre outras. Como pianista correpetidora tem sido amplamente reconhecida. Seus concertos internacionais incluem América Latina, Estados Unidos e Europa. No Conservatório de Tatuí é coordenadora da Área de Música de Câmara e integra o corpo docente da Área de Piano e Música de Câmara. Atua também como clinician e pianista exclusiva no projeto “Sopro Novo Bandas", da Yamaha Musical do Brasil.

Angela Muner

Angela Muner

Música de Câmara

Uma das intérpretes de maior destaque no cenário violonístico brasileiro, atuando como solista e camerista. Iniciou seus estudos de música sob a orientação de seus pais, professores Ilso e Tereza Muner. Seu primeiro recital aconteceu aos dez anos de idade, quando também gravou seu primeiro disco. Posteriormente, recebeu de Isaias Sávio, Geraldo Ribeiro e Henrique Pinto, orientações sobre técnica e interpretação violonística. Completou sua formação musical (Harmonia, Contraponto, História da Música, Estética e Composição) com os professores Ângelo Camin, Wenceslau Nasari Campos, Marília Pini, Ricardo Risek, Mário Ficarelli, Reinaldo Garrido Russo e Sérgio Vasconcellos Corrêa. Bacharel em instrumento, obteve o “Licentiate in Guitar Performance” pelo Trinity College of Music de Londres. Formou duos com Gisela Nogueira (violão), Henry Schumann (oboé), Ilka Machado (soprano) e Ilso Muner Jr. (cravo). Foi integrante do Violão Câmara Trio e Camerata de Violões do Conservatório de Tatuí. Também formou o Duo “Violoníssimo” com o violonista popular brasileiro Paulinho Nogueira, encontro inédito do violão erudito com o popular. Com a OSESP, sob regência do Maestro Eleazar de Carvalho, Angela foi a solista na estreia mundial do “Concerto do Agreste”, obra do compositor Sérgio Vasconcellos Corrêa, dedicada a ela. O CD “Angela Muner – Interpreta Música Espanhola” lançado em 1996 é considerado referência, colocando-a numa posição de destaque entre os violonistas de sua geração. Gravou com os violonistas Henrique Pinto e Giácomo Bartoloni o primeiro CD do “Violão Câmara Trio,” sendo este considerado pelo maestro Júlio Medaglia “...um dos melhores discos de música instrumental do ano”. Lançou em 2010 com a cravista Helena Jank o "Tocandyra", primeiro CD de cravo e violão gravado no Brasil. Atualmente, faz participação como convidada especial em encontros, seminários e festivais nacionais e internacionais de violão. No Conservatório de Tatuí, é professora de violão clássico, música de câmara e forma o "Violão Artes Duo" com o violonista Edson Lopes. Também em Tatuí, ministra aulas particulares no seu Studio de Música e administra empresa especializada em realizar eventos com a missão de difundir a arte do violão. (www.angelamunerinconcert.com)

Dagma Eid

Dagma Eid

Professora de violão, cordas dedilhadas históricas e música de câmara

Iniciou seus estudos musicais em 1981 no Conservatório de Tatuí, e teve como seus principais professores  - Márcia Braga, Giácomo Bartoloni e Paulo Porto Alegre. É bacharel em violão pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) e mestre em música pela Universidade de São Paulo (USP), onde realizou a pesquisa "Miguel Llobet – Canciones Catalanas para violão (1899-1927)", sob a orientação de Edelton Gloeden. Complementando sua formação em instrumentos de cordas dedilhadas, estudou alaúde e arquialaúde com Carin Swilling (USP - Curso de Difusão Cultural) e recebeu orientação de Francisco Gato, Regina Albanez, Dolores Costoyas, Hopkinson Smith, Luciano Contini, Eugène Ferré e David Miller. Participou como bolsista de diversos cursos de extensão universitária e festivais internacionais, com destaque para o Dartington International Summer School, na Inglaterra. Premiada em concursos na categoria música de câmara como o V Concurso Nacional Souza Lima (1º lugar, categoria duo de violões, 1994) e o XI Concurso Nacional Souza Lima (3º lugar, categoria camerata de violões, 2000), realiza intensa atividade camerística integrando orquestras de violões e diversas formações instrumentais, entre elas o Duo Favoriti - cujo repertório é formado por obras do período clássico-romântico e executado com guitarras românticas modelo Lacôte - e colabora com diversos agrupamentos de música antiga, tocando alaúde, vihuela e guitarra barroca. Dentro do Conservatório de Tatuí, trabalhou por dez anos à frente da orquestra de violões “Fazendo Fita”, por onde passaram mais de 50 alunos, proporcionando o contato com transcrições e obras originais do repertório moderno para grupos de violão. A partir de 2001 iniciou sua pesquisa acerca da música instrumental e vocal do século XVI, adaptando algumas obras do repertório de alaúde e conjunto de música antiga para a orquestra. Gravou com a Camerata de Violões os CDs “Vê se te Agrada” e “Octopus Convida” e atuou como solista (alaúde) no 3º Festival de Música Barroca de Assunção (Paraguai), junto com a Orquestra de la Universidad del Norte. Atualmente é professora de violão, cordas dedilhadas históricas, música de câmara e orienta um grupo de estudos de baixo contínuo no Conservatório de Tatuí.

Dalila Ribeiro

Dalila Ribeiro

Montagem- Curso de Maquiagem- Grupo De Performance – Jogos Teatrais para Músicos

Atriz, diretora, maquiadora e professora do Departamento de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí. Formada em Artes Plásticas e pós-graduada em Psicopedagogia pela ASSETA – Faculdades de Tatuí/SP. Iniciou seus estudos de teatro em 1991 no Conservatório de Tatuí por meio do curso de formação de atores, ministrado por Antonio Mendes e Carlos Ribeiro. Participou de cursos com vários profissionais de teatro, dentre os quais se destacam Augusto Boal, Roberto Gil Camargo, Edu Silva, Semi Lutfi, Alberto Gaus, Robert Francis Mc”Crea e Zé Renato. Dos trabalhos que realizou como atriz destacam-se “Paixão Segundo Nelson Rodrigues” (1992) “Édipo Rei” (1995/1996), “Santa Joaninha” (1998) e “O Desconhecido” (1999/2000), Rosa de Cabriúna (2011). Foi premiada como atriz coadjuvante nas peças “O Desconhecido”, “Santa Joaninha” e “Édipo Rei” e como melhor atriz “Rosa de Cabriúna”. Entre os trabalhos como diretora destacam-se: “A Gata Borralheira” (1998), “Dois Corações e Quatro Segredos” (2015), “O Menino que Virou História” (2016) Atualmente integra a equipe técnica/artística da Área de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí, é a professora responsável pela Oficina de Maquiagem do departamento de Artes Cênicas,  professora de prática teatral e montagem no curso de Teatro Juvenil, professora e criadora da disciplina Jogos Teatrais para Músicos e professora do Grupo de Performance da área de Música de Câmara, sob a coordenação de Miriam Braga.

Elaine Graziela G. Pagotto

Elaine Graziela G. Pagotto

Música de Câmara

É Bacharel em Violino pela Unesp (Universidade Estadual “Julio de Mesquita Filho”) na classe do Professor Ayrton Pinto, onde graduou-se com nota máxima. Foi aluna de Maria Lúcia Z. Krug na escola de música de Piracicaba(EMPEM), e tocou na orquestra de câmera sob a regência de Ernst Mahle ainda nos primeiros anos de estudo do violino. Participou de masterclasses e aulas com Paulo Bosísio (UNIRIO), Geraldo Ribeiro (Northwestern University), Malcom Lowe (New England Conservatory of Music-Boston) e Eliane Tokeshi (USP). Participou da primeira edição do Festival Eleazar de Carvalho em Fortaleza-CE. Teve formação camerística com Zigmunt Kubala, Emerson de Biaggi, Peter Dausberg, Quarteto Leontovich, entre outros. Foi violinista concertino da Orquestra Sinfônica Paulista durante seis anos. É professora convidada no Encontro de Músicos que acontece anualmente no Centro Universitário Adventista-EC ministrando aulas de prática instrumental e pedagogia do violino. Atualmente cursa o mestrado em práticas interpretativas na Unicamp, sob orientação do professor-doutor Esdras Rodrigues da Silva. No Conservatório de Tatuí, é professora de violino com ênfase em ensino avançado.

Elen Ramos Pires

Elen Ramos Pires

Coordenadora e professora de Violoncelo

Ingressou no curso de violoncelo no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí, onde se formou, em 1997, sob orientação do professor Luís Hernane de Carvalho. Nesse mesmo ano foi vencedora do VII Concurso Nacional de Cordas de Juiz de Fora (MG). Em 2000, recebeu o terceiro lugar no XIII Concurso Nacional de Piano “Art Livre”, na categoria Música de Câmera, em São Paulo. Foi integrante da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, da Orquestra Sinfônica de Campinas, da Orquestra de Câmara da Unesp, Camerata Fukuda e Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. Atuou como recitalista em diversas cidades brasileiras e também como solista frente à Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra Sinfônica Paulista), Orquestra de Câmara Tatuí, Orquestra Sinfônica da Unicamp, Orquestra Sinfônica Municipal de Sorocaba e Camerata Fukuda. Foi aluna do professor Wilson Sampaio e, na Unesp (Universidade Estadual de São Paulo), recebeu orientação do professor Zygmunt Kubala. No ano de 2005 foi convidada a cursar a classe de concerto na Musikhochschule de Lucerna (Suíça), sob orientação do professor Marek Jerie, onde se formou em 2007 com “excelência”. Durante esse período tocou em diversas orquestras como “Luzerner Sinfonieorchester” e Basel Sinfonietta, apresentando-se como recitalista em Basel e Lucerna. Atualmente é professora de violoncelo no Conservatório de Tatuí e coordenadora da área de cordas da mesma instituição.

Eliana Wagner

Eliana Wagner

Performance de palco e grupos de câmara

Formada em piano e canto pelo Conservatório Dramático e Musical de Tatuí "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí e em licenciatura plena em música pela Faculdade Santa Marcelina (FASM). Participou de cursos de interpretação pianística com Magdalena Tagliaferro, Arnaldo Cohen, Olga Kiun; de música de câmara com Maria José Carrasqueira, Lucia Barrenechea, Gerald Robins; e musicoterapia com Rolando Benenzon. Participou da gravação de dois CDs com Dorothea Kerr e atualmente está cursando especialização em música de câmara. Faz parte do corpo docente do Conservatório de Tatuí nas áreas de piano, música de câmara e performance de palco.

Jefferson da Silva Perez

Jefferson da Silva Perez

Música de Câmara

Bacharel em Música pela Universidade Estadual Paulista na classe de Zygmunt Kubala, iniciou seus estudos no Conservatório de Tatuí, formando-se na classe de Eduardo Bello. Aperfeiçoou-se com o violoncelista Alceu Reis e é pós-graduado em Música de Câmara pela Uninter, sob orientação de David Chew. Foi convidado a ministrar aulas de violoncelo no Festival Eleazar de Carvalho, em Fortaleza (2013 e 2014), no Festival de Artes de Itu (2012-2014), no 6º Curso de Inverno do Projeto Camerata (2009) - Presidente Prudente - e na 14ª Semana da Música Maestro Gaó, na cidade de Salto. Como integrante do Quarteto Sorocaba foi convidado a participar do “Arianna Chamber Music Festival” na Universidade de Missouri, em St. Louis (EUA), nos anos de 2015, 2016 e 2017, com bolsa integral. Participou do 8º Festival Amazonas de Ópera como músico convidado da Amazonas Filarmônica. Participou do Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão, Festival de Maringá, Festival de Artes de Itu, da Oficina de Música de Curitiba e do Encontro Internacional de Violoncelo do Rio de Janeiro, tendo aulas com Antonio Meneses, Fred Pott, Roman Mekinulov, Antonio Del Claro, Alexander Znachonak, Cláudio Jaffé e Kurt Baldwin. Atuou como solista junto à Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Orquestra Sinfônica Jovem de Tatuí, Orquestra Acadêmica do Festival de Artes de Itu e Orquestra de Câmara de Salto. Atualmente é professor de violoncelo no Conservatório de Tatuí e no Instituto Municipal de Música de Sorocaba. Atua como 1º violoncelo na Orquestra Sinfônica de Sorocaba e é músico convidado da Orquestra Sinfônica de Campinas.

Joaquim Antonio das Dores

Joaquim Antonio das Dores

Música de Câmara

Iniciou seus estudos musicais no Conservatório de Tatuí em 1979, tendo aulas de trompa com a professora Kathy Boggs Havens e música de câmara com Maria José Carrasqueira, Homero Magalhães e Lais Kauffmann. No Conservatório, participou da Orquestra Sinfônica (regida por Jamil Maluf), Banda Sinfônica (regida por José Coelho de Almeida), Big Band SamJazz (regida por Antônio Carlos Neves Campos), Orquestra Projeto 75 (regida por José Antônio Pereira) e Conjunto de Metais (professor Edgar B. Santos). Participou de vários Festivais de Música, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival de Verão do Guarujá e Oficina de Música de Curitiba. Estudou Trompa com Ozeas Arantes, David Kappy, James Chambers, Edwin Theyrs, Daniel Havens, Phill Mayers e Enzo Pedini. Trabalhou Música de Câmara com Walter Bianchi, Henry Schumann e Noel Devos. Atuou em várias orquestras, entre elas a Orquestra Sinfônica Jovem Municipal de São Paulo (regida por Jamil Maluf), Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (regida por Isaak Karabtchevisk), Orquestra Sinfônica do Paraná (regida por Alceo Bocchino), Orquestra Sinfônica de São José dos Campos (regida por Rogério Santos) e Orquestra de Sopros Brasileira (regida por Dario Sotelo). Como professor, lecionou no Festival Internacional de Londrina (11° Festival), Escola de Música de Joinville, Encontro de Metais de Foz do Iguaçú, Festival de Campos do Jordão (núcleo Tatuí), Projeto Pró-Bandas Hortolândia, Festival Corn Products (Mogi-Guaçu) e Festival de Férias de Tatuí. Atualmente, é professor de trompa no Conservatório de Tatuí; trompista solista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo; e coordenador de metais e trompista solista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí.

José Antonio Pereira

José Antonio Pereira

Grupos de Câmara e Banda Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí

É mestre em música pelo Instituto de Artes da Unesp (Universidade Estadual Paulista), cujo trabalho acadêmico foi premiado pela Academia Brasileira de Música. Foi aprovado em concurso para professor de práticas instrumentais na Unesp. Foi coordenador musical do projeto da Faculdade de Música na Asseta de Tatuí, aprovado pelo Ministério da Educação em Brasília. Fez cursos de pós–graduação - latu senso - em metodologia de ensino e psico-pedagogia, tendo sido, posteriormente, professor de métodos e técnicas de pesquisa em cursos de pós-graduação. É maestro do Conservatório de Tatuí desde 1975 e da Orquestra de Botucatu desde 1986. Entre seus inúmeros prêmios e apresentações que se destacam estão o Prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e a apresentação para o Rei da Suécia em 1985. É artista eclético, atuando nas mais diferentes áreas da música e literatura. Atualmente, é regente da Banda Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí e professor de música de câmara e prática de conjunto da mesma instituição.

Juan Marino Carneiro A. Elias

Juan Marino Carneiro A. Elias

Música de Câmara

Natural de Santo André, é graduado em Pedagogia (FAPI-PR, 2012) e atulamente está cursando pós-graduação em Música de Câmara (Uninter-SP). É formado em violino pelo Conservatório de Tatuí-SP (2001). Iniciou seus estudos de violino aos 14 anos com um dos idealizadores do Conservatório, professor João Del Fiol. Mais tarde estudou com os professores Adriano Machado, Dario Sotelo, Pedro Delarole e Paulo Bosísio (RJ). Participou de diversos festivais em Maringá, Curitiba (PR) e Juiz de Fora (MG) tendo como professores: Marco Damm (PR), Edson Queirós (MG), Ole Bohn (Noruega), Simone Savitzk (PR), Paulo Bosísio (RJ), entre outros. Participou do curso de extensão “O Ensino Coletivo de Cordas”, coordenado pelo professor-doutor Luiz Amato e ministrado pela professora Liu Man Ying no Instituto de Artes da UNESP (2011). Trabalhou como professor titular (violino) em Itapetininga na Oficina de Música (1997 a 2004). Foi chefe de naipe - 2º violino da Orquestra Sinfônica Paulista (atual Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí), de 2001 a 2008. Esteve frente à Orquestra Sinfônica de Poços de Caldas (MG) em sua reativação, como spalla e professor de violino (2003-2005). Desenvolveu trabalho pedagógico e coordenou a área de cordas em São José do Rio Pardo (SP), de 2004 a 2008. Atuou na gravação de CDs/DVDs de Bruno & Marrone, Marcos e Belutti, Fabio Jr., entre outros artistas. Atualmente, é docente da área de violino coletivo, individual e música de câmara no Conservatório de Tatuí e participa da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí no naipe dos 1os. violinos.

Juliano de Arruda Campos

Juliano de Arruda Campos

Música de Câmara

Formado pelo Conservatório de Tatuí e Bacharel em Música pela USP (Universidade de São Paulo), sob orientação de Toninho Carrasqueira. É vencedor do II Concurso Nacional de Música da FASM e primeiro flautista brasileiro a ministrar masterclass na ECA-USP. Representou no ano de 1999 o Conservatório de Tatuí na “The Midwest Clinic” em Chicago – Illinois (EUA). Em Milão (Itália), assistiu à masterclass de James Galway. Vem desenvolvendo estudo de aperfeiçoamento com Raffaele Trevisani desde 2002, participando das International Flute Masterclass com James Galway em Interlaken (2006) e Weggis (2007) na Suíça. Estiveram sob sua batuta renomados solistas, entre eles Raffaele Trevisani (Itália), Toninho Carrasqueira, Fabio Witkowski (Brasil-EUA), Gisele Nacif Witkowski (Brasil-EUA), Miriam Braga, entre outros. No Brasil, tem atuado como jurado e flautista em festivais de MPB, sendo flautista da orquestra do Festival de Tatuí, no qual tocou com Johnny Alf, Théo de Barros, Paulo César Pinheiro, Roberto Menescal, Aldyr Blanc, Inezita Barroso, Francis Hime, Toquinho, Luiz Melodia, Elba Ramalho, Alceu Valença, Oswaldo Montenegro, Altamiro Carrilho, Leila Pinheiro, Pepeu Gomes, entre outros. Participou da gravação de mais de 20 CDs, Dvds e programas de TV. No Conservatório de Tatuí, é professor de flauta transversal desde 1994, integrante da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra Sinfônica Paulista), professor de música de câmara e regente da Orquestra de Flautas Brasileira “João Dias Carrasqueira”. É Artista Powell Flutes (EUA).

Juliano Kerber

Juliano Kerber

Música de Câmara

Juliano Kerber nasceu em Concórdia, Santa Catarina, onde realizou seus primeiros estudos de música. Possui Mestrado em Música pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP (2007) e graduação em Música Habilitação em Piano pela mesma universidade (1997). Fez o curso básico de piano (1992) no Conservatório Musical Concórdia e os níveis Avançado (1997) e Aperfeiçoamento (1999) no Conservatório de Tatuí. Como solista, atuou junto a Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica Paulista, Orquestra Sinfônica Jovem, Orquestra Sinfônica de Botucatu e Grupo Experimental Villa-Lobos. Desde 1998 é professor do Conservatório de Tatuí, onde ministra as disciplinas de Piano e Metodologia do Estudo. É também professor da Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), antiga ULM, e coordenador do Grupo de Pianistas Correpetidores do Conservatório de Tatuí.

Luciano Vaz

Luciano Vaz

Música de Câmara

Membro do conselho da diretoria da ITEA (Associação Internacional de Tubistas e Eufonistas), na qual é o representante da América do Sul. Atualmente é o tubista solista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e, também, professor de tuba e de música de câmara do Conservatório de Tatuí. Formado pelo Conservatório de Tatuí no curso de tuba, teve como seus principais professores Gian Marco de Aquino, Marcos dos Anjos Jr.  e James Gourlay. Como instrumentista convidado, tem trabalhado ativamente nas principais orquestras sinfônicas do país. Pedagogo e pós-graduado em Educação Musical pela Faculdade Paulista de Artes, também desenvolve intensa carreira como docente. Frequentemente participa como professor convidado ministrando aulas de tuba e eufônio em vários festivais e projetos de destaque como Pró-Bandas, Coreto Paulista, Curso de Férias de Tatuí, Festival de Música de Ourinhos, Painel de Bandas da Funarte, Oficina de Música de Curitiba (PR), Festival de Música de Sarzedo (MG), Festival Internacional Música das Américas (PA), Seminário Música e Transformação (SP), Encontro de Metais do Sul Fluminense (RJ), Encontro Internacional de Metais de Tatuí e Projeto Brasil Presente (Costa Rica). Foi principal tubista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí sob a regência de João Maurício Galindo, e da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí sob a regência de Dario Sotelo, com a qual gravou oito CDs e um DVD, tendo atuado neste último como solista. Também foi tubista da Orquestra Sinfônica de Santo André, sob a regência de Carlos Moreno, com a qual teve a oportunidade de gravar dois CDs. Atuou como músico convidado das gravações  das Sinfonias Nº 3 e 4 de Villa-Lobos com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Como solista, atuou frente à Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Banda Sinfônica de São José (Costa Rica), Grupo de Metais do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica Henrique Marques de Limeira, Banda Sinfônica de Barra Mansa, Banda Sinfônica de Sorocaba FUNDEC e da Banda Sinfônica da Oficina de Música de Curitiba. Luciano Vaz é artista da marca suíça de instrumentos Willson.

Luis Marcos Caldana

Luis Marcos Caldana

Música de Câmara

Formado em tímpanos, percussão e acessórios pelo Conservatório de Tatuí e em Educação Artística pela Faculdade Asseta, frequentou aulas com alguns dos principais percussionistas do país, entre eles Javier Calvino, John Boudler, Elisabeth Del Grande, Luis Almeida D’Anunciação, Carlos Tarcha, Eduardo Gianesella e Ricardo Bolonha. Atuou como solista na Ópera Infantil "A Peste e a Intrigante", de Mário Ficarelli (em 1986). Em 1997, em parceria com o saxofonista Erik Heimann Pais - formando o "Duo Áries" – conquistou o primeiro prêmio do I Concurso Nacional de Música de Câmara "Henrique Niremberg", na cidade do Rio de Janeiro. Como professor de percussão, trabalhou na área de banda em oito diferentes edições do Festival de Inverno de Campos do Jordão, bem como no projeto Pró Bandas (1997 a 2007). Por dois anos, representou o Conservatório de Tatuí na Midwest Clinic (Conferência Internacional para Bandas e Orquestras), em Chicago, nos Estados Unidos. Também ministrou palestras sobre ritmos brasileiros e dirigiu um Grupo de Percussão em Budapeste, na Hungria. O mesmo trabalho foi desenvolvido no Encontro Internacional de Percussão em Monterrey, no México. Ainda como professor, imprimiu sua marca na Conferência de Educadores Musicais do Estado do Kentucky (Estados Unidos), onde executou a primeira audição mundial da obra de Hudson Nogueira - "Cinco Variações Para Um Percussionista Solo e Banda" -, dedicada a ele e também gravou o mesmo trabalho com a Banda Sinfônica Municipal de Sumaré no ano de 2007. Detectando a necessidade de unir percussionistas de todo o país, criou e organizou por seis edições o Encontro Internacional de Percussão, mantido pelo Conservatório de Tatuí. Em 2010, participou de turnê pela Costa Rica com a Camerata Tatuí, ministrando aulas de percussão e abordando ritmos brasileiros. Em 2009 ministrou palestra de percussão sinfônica e popular em Boa Vista (Roraima), 2011 em João Pessoa (PB), 2012 em Vigia (PA) e 2013 em Guaíba (PA) dentro do Painel Funarte de Bandas (RJ). Em 2011 também lecionou na Semana da Música na Universidade Federal de Natal (RN). Na área popular trabalhou como baterista e percussionista acompanhando artistas como Alceu Valença, Leila Pinheiro, Elba Ramalho, Benito di Paula, Guilherme Arantes, Fafá de Belém, Luiz Airão, Luis Melodia, Tânia Alves, dentre outros. Em 2013 e 2014 foi jurado do quesito “bateria” no carnaval paulistano pela Liga das Escolas de Samba de São Paulo. Atualmente, além de coordenar o Grupo de Percussão, é professor e coordenador da área de percussão sinfônica, timpanista da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e ministra aulas de bateria e percussão há 26 anos na Escola Livre de Música, em Itapetininga.

Marcel Ricardo Villa

Marcel Ricardo Villa

Música de Câmara

Marcel Ricardo Villa Iniciou seus estudos musicais em Leme (SP), sua cidade natal, na Banda Musical “Maestro Angelo Cosentino” com o maestro e professor Hary Bacciotti no ano de 1985. Na mesma banda atuou como músico clarinetista no período de 1991 a 1997. Ainda em Leme, buscando aperfeiçoamento e informações sobre o estudo do saxofone, foi aluno do mestre Geraldo Azevedo (pai do grande saxofonista “Proveta”, o qual também foi um de seus mestres). Participou do Festival de Inverno de Campos do Jordão - Núcleo Tatuí nos anos de 1993 (como clarinetista na classe de Ely Jacob Hessel e Maurício Loureiro) e 1998 (na classe do professor Dale Underwood - USA). Formado em saxofone clássico pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí, Licenciado em Música pela Unasp-EC (Universidade Adventista de São Paulo núcleo Engenheiro Coelho) e pós-graduado em formação de professores para o Ensino Superior pela Universidade Paulista (Unip). Participou como músico da atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, na qual atuou como clarinetista em inúmeros concertos e gravações. Atuou ainda em diversas gravações e shows com vários artistas. Foi regente da Banda Marcial Joana Troise Fernandes (Conchal-SP) e Banda Musical Professor Lauro Aparecido Borelli (Porto Ferreira-SP). Participou de inúmeros workshops com grandes nomes da música instrumental. Foi jurado do programa Viola de Todos os Cantos, da Rede Globo de Televisão; integrante e fundador do Sexteto Sopra Sax, com o qual fez homenagem à apresentadora Eliana (SBT). Também frequentou seminários de regência com maestros de diversos países. Estudou regência com Dario Sotelo (BRA) e Dr. Jetro Meira de Oliveira (BRA/USA), entre outros. Atualmente é regente da Banda Musical Zequinha de Abreu e do Coral “Professor Octávio Bueno de Camargo”, ambos de Santa Rita do Passa Quatro (SP). Também é solista e chefe de naipe dos saxofones da Banda Musical Pirassununguense (de Pirassununga-SP), professor de música de câmara e saxofone clássico do Conservatório de Tatuí (SP) e ministra workshops e masterclasses por diversas cidades sobre regência e saxofone.

Marcelo de Jesus da Silva

Marcelo de Jesus da Silva

Música de Câmara

Mais conhecido no meio musical como Marcelo “Bam Bam Trombone”, formou-se no curso de trombone e no curso de aperfeiçoamento no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, em Tatuí, com o professor Gilberto Gagliardi. Participou de vários concursos, sendo premiado e recebendo várias homenagens destacando-se as de 1998 e 1999 pela Ordem dos Músicos do Brasil por sua dedicação e desempenho profissional. Atua como solista em recitais, com bandas sinfônicas e orquestras sinfônicas desde 1996, tendo trabalhado sob a regência de renomados maestros brasileiros e internacionais, se apresentando em importantes salas de concertos no Brasil e em outros países, como Peru, Espanha e Estados Unidos. Dentre as apresentações, destaca-se a realizada em 2009 no Avery Fisher Hall no Lincoln Center, em New York, com o pianista David Brubeck, sob regência de João Carlos Martins. Participou da gravação de 14 Cds e 2 DVDs com grupos sinfônicos. Professor do curso de trombone do Conservatório de Tatuí desde 1996. Ministrou aulas em importantes cursos como Festival de Inverno de Campos do Jordão - Núcleo Tatuí, II Encontro regional da ATBS do Brasil (realizado na Unicamp-SP); 1° e 3° Festival Internacional de Trombón (Lima/Peru); 3°, 4° e 10° Festival de Musica de Ourinhos-SP; 3° Curso de Férias de Tatuí-SP; 1° Seminário de Orquestras e Coros Sinfônicos de Campos do Goytacazes-RJ; Encontro de Trombones na Universidade Nacional de San Augustin em Arequipa (Peru); Painéis Funarte de Bandas de Música, realizado pelo Ministério da Cultura do Brasil; Projeto Pró Bandas (realizado até 2007 pelo Governo de São Paulo); e Programa Coreto Paulista, realizado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. Nos cursos de música destacam-se as participações no Festival Internacional de Inverno de Domingos Martins (ES); Festival Internacional de Verão de Brasília; Mid West Clinic (EUA), Internacional Trombone Festival – ITA (Texas/EUA); Encuentro Internacional de Trombón (Bilbao/Espanha); 1° Encontro Sul-Americano de Bandas Sinfônicas e Encontro Brasileiro e Sul Americano de Trombonistas. Coordenou o 1°, 2° e 3° Encontro Internacional de Metais, realizado no Conservatório de Tatuí (2006, 2007 e 2010). Atualmente integra o corpo docente do Conservatório de Tatuí, é 1° trombone e chefe de naipe da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, 1° trombone e solista da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e realiza masterclasses, palestras, concertos e recitais em importantes salas de concertos do Brasil. Marcelo “Bam Bam” é trombone clinician da Yamaha Musical do Brasil

Márcia Braga

Márcia Braga

Música de Câmara

Professora de Violão, Música de Câmara e Prática de Conjunto É educadora, psicopedagoga, terapeuta familiar e de casais, PLP, professora de violão e de música de câmara. Maestrina carioca de orquestras de violões, é radicada desde menina em Tatuí, onde teve seu primeiro contato com o violão no Conservatório de Tatuí. Faz parte do corpo docente da mesma instituição desde 1982, e nela foi, ainda, uma das criadoras e maestrina, desde 1990, das primeiras orquestras de violões de Tatuí: Corda Toda e Violões & Cia. Estudou e se formou na classe de violão com Pedro Cameron e aperfeiçoou-se principalmente com Henrique Pinto, Carlos Alberto de Carvalho e Geraldo Ribeiro, seu mestre eterno. Seu trabalho didático sempre foi prioritário, nos últimos anos na formação de alunos solistas e na orientação de suas escolhas, muitas vezes estimulando, inspirando-os  a tornarem-se ótimos professores, a tornarem-se cameristas. Como maestrina de orquestras de violões aborda com carinho uma atenção especial aos detalhes e minúcias da interpretação e da ética musical. A Camerata Jovem de Violões está sob sua direção musical desde sua criação em 1991, tendo lançado em 2002 seu primeiro CD, “Carinhoso”. As Cameratas Juvenis existem para preparar o futuro violonista a saber se relacionar não só com partes musicais de outros instrumentos mas com outros artistas músicos (instrumentistas, cantores, coralistas), bailarinos, atores cênicos, plásticos e poetas. Enfim, a saber se relacionar com suas mais variadas famílias artísticas. Na música de câmara trabalha há quase nove anos com outras formações e pela necessidade da demanda dos alunos da área de violão ou por sua experiência em trabalhar duos acabou se fixando em grupos com menor número de participantes (duos, trios, quartetos e quintetos).

Maria Eugênia Sacco

Maria Eugênia Sacco

Música de câmara na performance histórica

Bacharela em cravo pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e licenciada em Harpsichord Performance pelo Trinity College London. Aperfeiçoou-se em Amsterdã, Holanda, no Conservatorium Sweelinck, com Anneke Uittenbosch (1994-95), e na Academie voor Oude Muziek, com Patrick Ayrton (1995-96). Participou de cursos ministrados pelo cravista Ilton Wjuniski no Conservatorio Superior de Salamanca (Espanha), Musica para teclas de los siglos XVI y XVII (2001), e na Académie Musicale de Villecroze (França), Stage de Clavecin (2001) e Atelier de Musicologie (2003). De 2000 a 2003 foi assistente do professor Ilton Wjuniski na Fundação e Escola Magda Tagliaferro, em São Paulo (projeto pedagógico apoiado pela Fundação Vitae), sendo por ele orientada nos estudos de cravo, baixo contínuo e música de câmara barroca. Foi professora de cravo e baixo contínuo na mesma instituição por quase dez anos. É professora de cravo, baixo contínuo e música de câmara no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, em Tatuí, desde 1998, exercendo ainda o cargo de docente na disciplina prática de música em conjunto na área de educação musical. Além das atividades como docente, atua como cravista do Grupo de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí, o qual é coordenado pela professora e flautista Selma Marino. Realizou diversos trabalhos como cravista correpetidora em cursos e master classes além de festivais em várias cidades do Brasil, nos quais exerceu o acompanhamento para cantores e instrumentistas dos cursos da área de música antiga. Ministrou master classes pelo Brasil e exterior: Prática de Música Barroca e Oficina de Ópera Barroca- Festival de Música de Londrina (2004), Cravo e Prática de Música Barroca - II Festival de Música Antiga de Porto Alegre (2005); Cravo - Escuela Universitaria de Música - Montevideo, Uruguai (2005); Cravo- Escola de Música de Blumenau do Teatro Carlos Gomes (2008). Foi selecionada para participar da master class de cravo realizada no PERFORMA CLAVIS (Evento organizado pelos Programas de Pós- Graduação em Música da UNICAMP- UNESP e USP) em 2010, na UNESP e, em 2012, na UNICAMP. Paralelamente à carreira pedagógica, realiza concertos com o DUO AULEUM (cravo e viola da gamba) em vários estados do Brasil.

Marilane Bousquet

Marilane Bousquet

Música de Câmara

Marilane Bousquet Soprano. Iniciou seus estudos musicais como pianista. Foi aluna de Dalva Albernaz, Glacy A. Oliveira (UFGO) e Ilara Gomes Grosso (UFRJ) entre outros pianistas. Formada em licenciatura plena em música pela UFRJ e graduação em canto (UFRJ e FAAM/ FMU) São Paulo, onde concluiu o curso como aluna do prof. Carmo Barbosa. Anteriormente estudou canto com Honorina Barra e Edmar Ferreti (GO), Maria Tereza Peixoto, Cilene Fadigas, Inácio de Nonno e Carol Mc Davit (RJ), música de câmara com Henrique Niremberg (UFRJ), canto e dicção coral com os maestros Ray Fleet, David Hodges e Elias Moreira da Silva (SP). Cursou disciplinas como aluna especial na Pós Graduação (mestrado e doutorado) com os doutores Ricardo Ballestero (USP), Martha Herr e Sonia Ray (Unesp), Helena Jang, Amilcar Zani, Lia Tomás e Angelo Fernandes (UNICAMP). Apresentou-se como solista em diversos concertos com coro, orquestra, em Estados brasileiros e norte-americanos; obteve o 2° lugar no Concurso de Interpretação da Canção de Câmara Brasileira (Centro de Música Brasileira) em 1997, São Paulo. Seu repertório inclui obras dos compositores Handel, Bach, Vivaldi, Pergolesi, Haydn, Schubert, T. Dubois, Mozart, Schumann, Brahms, Mendelssohn, Wolf, Lachner, Spohr, Gounod, Puccini, Verdi, Gershwin, V. Williams, Debussy, Fauré, Villa-Lobos, Mignone, Guarnieri entre outros ilustres. Participou como solista na produção americana Vídeo Games Live montada em São Paulo, sob regência do maestro Jack Wall; participou de master class de canto com Laura Rizzo (Argentina) Theatro São Pedro, e com Dominique Moaty (França), em São Paulo, entre outros, além de congressos e cursos com enfoque na pedagogia, interpretação e performance vocal, como: “Do Corpo ao Canto” (Edith de Camargo, Lume Teatro Unicamp), “Elementos de Musicoterapia no Âmbito Educativo - Pedagógico”, (Luca Bernar, FEDIM), “Teatro para Cantores Líricos” (ABTM), Encontros sobre a “Expressão vocal na performance musical” (VOX, Unesp/Unicamp), “Aplicação da Técnica de Alexander para o uso do Canto”(Reinaldo Renzo, Isabel Padovani e Geórgia Molero Dias, S. Paulo, ABTA); “Anatomia e Fisiologia Aplicada à Clínica Vocal na Fala e no Canto” (CEV, S. Paulo); Workshop “A interpretação de canções eruditas em japonês, inglês, alemão e francês: uma abordagem comparativa” com Mutsumi Moteki (University of Colorado, Boulder) pelo LIEDERSTUDIO de São Paulo(2017). Desde 2008 desenvolve trabalho vocal pedagógico junto ao Núcleo Arte e Cultura de Sorocaba. Outros destaques como preparadora vocal : com o MECCA, Meninos Cantores do Conservatório Carlos Gomes de Campinas; com o Coro masculino Camerata Vocal da Academia Concerto de Sorocaba, que teve importante participação no Festival Mundus Cantat na Polônia em 2008; na montagem do Musical “Into the Woods” de Stephen Sondheim, (Cia. Amadores de Teatro de Itu, 2012); na Oficina Cantor em Cena (XXI edição Festival de Artes de Itu, 2014) com Cristine Bello Guse, com quem realizou várias edições do workshop Preparação do performer da ópera (2011 a 2014); no Encontro de Corais das Cascatas, 2014, regência de Sérgio Wernec (Secretaria de Cultura de Votorantim); nas montagens do Núcleo de Ópera do Conservatório de Tatuí, em 2013 com “Bastião & Bastiana” (W. A. Mozart), e em 2014 com “L’Elisir d’amore”(G. Donizetti), ópera que estreou na abertura do III Encontro Nacional de Canto Lírico, do qual fez parte da comissão organizadora e foi ministrante das oficinas de Iniciação ao Canto. Professora no Conservatório de Tatuí desde 2009, nas áreas de Canto Lírico e Música de Câmara.

Rafael Migliani

Rafael Migliani

Música de Câmara

Formado no Curso de Saxofone Clássico do Conservatório Dramático e Musical "Dr. Carlos de Campos" de Tatuí, licenciado na área da Educação e pós-graduado em Metodologia do Ensino da Música. Desde 2003 é integrante da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (antiga Orquestra de Sopros Brasileira), com a qual participou da gravação de cinco CDs e um DVD. Apresentou-se sob a regência de renomadas autoridades, como Arnald Gabriel (EUA), Dario Sotelo (BRA), Dwight Satterwhite (EUA), Francisco Grau Vegara (Espanha), Laszlo Marosi (Hungria), Lowell Graham (EUA), Rafael Sanz-Espert (Espanha), Jan Van der Roost (Bélgica), entre outros. Tem atuado como solista frente a grupos como Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, Banda Sinfônica Municipal de Nova Odessa, Banda Sinfônica da Força Aérea Brasileira, Orquestra de Sopros de Lençóis Paulista e Orquestra do Programa Prelúdio (TV Cultura). Com o Quarteto Brasileiro de Saxofones, participou da gravação do CD “Edição de Partituras para Banda”, viabilizado por meio da Funarte. Obteve bons resultados em diversos concursos, tanto nacionais quanto internacionais, dentre os quais: 1º prêmio no Concurso de Novos Talentos do Saxofone organizado pelo Conservatório e Faculdade Souza Lima e pela fábrica de instrumentos musicais Weril; 1º prêmio no 28º Concurso Latino Americano Rosa Mística, quando concorreu integrando o Quarteto de Saxofones SaxBrasil; 2º prêmio no 3º Concurso Panamericano de Saxofón Clásico, realizado no México; e 3º prêmio no concurso do 4º SaxFest Costa Rica Internacional. Ministrou aulas de saxofone aos participantes do 1º Encontro de Educação Musical por meio da Banda - Festival de Bandas - Coreto Paulista. Também atuou como professor de saxofone em diferentes cidades do Estado de São Paulo por meio das Oficinas Técnicas Itinerantes para Maestros e Músicos de Banda - Coreto Paulista. Em 2011 foi convidado a participar do X Encuentro Universitário Internacional de Saxofón, realizado no México, atuando como professor, jurado e apresentando um recital composto exclusivamente por obras de compositores brasileiros.Em 2012, integrando o Quarteto de Saxofones SaxBrasil, participou do 1º Encuentro Internacional de Cuartetos de Saxofones de Montevideo – Uruguay; do 1º Festival de Saxofone Clássico em São Paulo; do 5º Encontro Internacional de Saxofonistas no Conservatório de Tatuí; e do 1º Encuentro Internacional de Saxofonistas em La Pampa (Argentina). Em 2013 participou como solista convidado do 1º Congresso da Aliança Latino-americano de Saxofonistas, realizado na Costa Rica. Atualmente é professor do curso de saxofone e de música de câmara no Conservatório de Tatuí, chefe do naipe de saxofones da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e integrante do Quarteto de Saxofones SaxBrasil.

Regina Orsi

Regina Orsi

Grupos de câmara com ênfase na área de sopros

Diplomada em piano no Conservatório de Tatuí, tem em sua experiência profissional, várias atuações no campo musical. Trabalhou como professora de piano e regente do coral no Conservatório de Tatuí, durante vários anos. De 1989 a 2009 foi coordenadora da área de Música de Câmara do Conservatório de Tatuí, tendo participado como professora nos Festivais de Inverno de Campos do Jordão-Núcleo Tatuí, em 1993, 1994 e 1998. Durante todo o ano letivo realiza recitais com alunos do curso de Música de Câmara. Foi pianista da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí (Orquestra de Sopros Brasileira), tendo participado da gravação de dois CDs – “Compositores Brasileiros”. Realizou vários concertos como solista de orquestra, como recitalista e como camerista, tendo se apresentado em recital de Música de Câmara junto ao Conservatório de Sabadell, Barcelona na Espanha.

Ricardo Grion

Ricardo Grion

Música de Câmara

Formado em violão clássico no Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí, sob orientação do professor Geraldo Ribeiro e aperfeiçoamento com Edson Lopes e Angela Muner. Participou da Orquestra de Violões Corda Toda de 1990 a 2000 como instrumentista e de 2001 a 2008 como regente e arranjador com destaques para os projetos Bi-tons I e II, Pop-tons, Cine-tons, Chico-Tons e Ritmos Brasileiros 2007/08. Participou da Camerata de Violões Octopus de 1996 a 2008 com a qual gravou os Cds “Vê se te Agrada” e “Octopus Convida”. Atualmente integra a Camerata de Violões do Conservatório de Tatuí de Tatuí. Professor do Conservatório de Tatuí desde 1990 e da Escola Livre de Música Municipal de Itapetininga desde 1989, onde também desenvolve trabalhos na área de música de câmara. Pós-graduado em Metodologia do Ensino de Artes pela Facinter (Faculdade Internacional de Curitiba)e licenciado em Educação Artística pela Asseta de Tatuí.

Selma Marino

Selma Marino

Música de Câmara

Iniciou seus estudos musicais em São Paulo, estudou flauta doce com as professoras Cléa Galhano na Pró-Música – Escola de Arte, e com Terezinha Saghaard na Escola Municipal de Música. Formada em flauta doce pelo Conservatório de Tatuí, no qual estudou com os professores Bernardo Toledo Piza e William Takahashi. Completando sua formação, recebeu orientação dos flautistas: Ricardo Kanji, Bernardo Toledo Piza, David Castelo e Valéria Bittar. Participou do curso de cravo, baixo contínuo e música de câmara ministrado por Ilton Wjuniski (FR) na Fundação Magda Tagliaferro, em São Paulo; do workshop de Dança Barroca ministrado por Ricardo Barros (BR/UK) no Conservatório de Tatuí; e do XXIV Festival de Música de Londrina (PR), frequentando cursos de Flauta Doce e Prática de Música Medieval e Renascentista com o professor Pedro Hasselmann Novaes, Oficina de Ópera Barroca ministrada por Marília Vargas (BR/CH). Participou do XLVI Corso di Musica Antica di Urbino (Itália) na classe de flauta doce e música de câmara do professor Stefano Braguetti. Estudou cravo e baixo contínuo no Conservatório de Tatuí com a professora Maria Eugênia Sacco. Participa anualmente de encontros, mostras e eventos de flauta doce. Na área de educação musical participou dos seguintes cursos: 2º curso AM² de Aplicação da Flauta Doce na Musicalização Infantil; VII curso Internacional sobre o método Kodály, ministrado por Lázlo Ördog e Carlos Miró; A Flauta Doce na Educação Musical; ministrado por Renate Weiland; Curso de Musicalização para Educadores do Conservatório de Tatuí; Curso de Filosofia sobre o Método Suzuki para flauta doce; ministrado por Renata Pereira; e Curso de Rítimica e pedagogia Dalcroze ministrada pelo Prof. Iramar Rodrigues do Instituto Dalcroze de Genebra (Suíça). Foi tutora presencial do curso de Licenciatura em Ed. Musical da UFSCar-EAD. É Licenciada em Educação Artística e pós-graduada em nível de especialização em Metodologia do Ensino da Música e em Música de Câmara. Atualmente é flautista e coordenadora do Grupo de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí, professora de flauta doce do setor de Performance Histórica, Música de Câmara e de prática de música em conjunto para Iniciação Musical no Conservatório de Tatuí.

Tiago José Machado de Almeida

Tiago José Machado de Almeida

Música de Câmara

Natural de Tatuí, iniciou seus estudos musicais aos oito anos de idade no Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos”, na classe dos professores João Del Fiol, Eduardo Bello, Marialbi Trisólio e Tânia Lisboa. Formou-se em 2000, ano em que ingressou na Unesp (Universidade Estadual Paulista), onde seguiu as orientações do professor Zigmunt Kubala. Nesse período trabalhou em diversas orquestras como músico fixo, dentre elas a Orquestra Sinfônica de Santo André, Orquestra Sinfônica de São Caetano do Sul, Orquestra de Câmara da USP e Orquestra de Cordas de Tatuí. Atuou também como músico convidado na Orquestra Sinfônica de Campinas e na Orquestra Sinfônica Estadual do Paraná. Participou dos mais importantes festivais de música do país como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, Oficina de Música de Curitiba e Rio Cello Encounter. Em 2003 foi contemplado com uma bolsa por participar do concurso da YOA (Youth Orchestra of the Americas), viajando entre 2003 e 2005 por mais de dez países das Américas do Norte, Central e do Sul. Atualmente é aluno do professor Alceu Reis e docente do Conservatório Dramático e Musical “Dr. Carlos de Campos” de Tatuí e do Conservatório Antônio Ferruci Viviani, da cidade de Poços de Caldas. É integrante da Orquestra Sinfônica Paulista, do quarteto de violoncelos Tatuí Cello Ensemble e do Duo Almeria.

Túlio Padilha Pires

Túlio Padilha Pires

Música de Câmara

Nascido em São Paulo (SP), iniciou seus estudos de violoncelo na Associação Jahn Sorhein com Gilberto Massambani. Ingressou no Conservatório de Tatuí e, como bolsista, foi selecionado para o "Jungerorchester Festival SG 2003", realizado no Cantão Saint Gallen - Suíça. É bacharel em música com habilitação em violoncelo pela UNESP, na classe de Zygmunt Kubala. Entre 2005 e 2007 estudou na Musikhochschule Luzern (Suíça), na classe de Marek Jerie. É pós-graduado em música de câmara sob orientação de David Chew na Uninter-IBPEX. Atualmente cursa mestrado em música nas práticas interpretativas como linha de pesquisa na Unicamp. Como violoncelista convidado participou de várias orquestras como a Orquestra Sinfônica do Estado de Mato Grosso, Orquestra Sinfônica da USP, Orquestra Filarmônica de São Bernardo do Campo, Orquestra Sinfônica de São Caetano, Orquestra Sinfônica de Santo André, Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, Camerata Fukuda, Orquestra de Câmara da Unesp, Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual em Londrina (UEL), Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Sinfônica de Sorocaba, Banda Sinfônica do Exército Brasileiro, Orquestra Metropolitana de São Paulo, Orquestra Filarmônica de São Carlos, Cappella dei Giovani, Aarau (Suíça), Orchester Musica Sine Fine, Lenzburg (Suíça), Jungsinfonie Orchesterwoche (Ligerz – Suíça). Foi professor do projeto Guri e do Guri Santa Marcelina. Foi professor de violoncelo no Festival de Música em Itu (2010 e 2011). Atualmente é professor de violoncelo e música de câmara no Conservatório de Tatuí. Integra também a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e o Quarteto de Cordas de Tatuí. É parceiro e consultor do Pró Corda e idealizador da AMLAT.

Agência Digimeta