Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1

Coro e Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí apresentam “Requiem” de Mozart neste sábado

A obra, popularmente conhecida como ‘missa dos mortos’, será o destaque deste concerto especial em celebração ao Dia de Finados, com participação dos solistas Marcos Baldini, Érika Andrade, Ramon Mundim e Vitor Mascarenhas

Coro e Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí apresentam “Requiem” de Mozart neste sábado

31/10/2019

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – promove neste sábado, 02 de novembro, um concerto especial pelo Dia de Finados. Coro e Orquestra Sinfônica se unem para apresentar o “Requiem” – a missa dos mortos – do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart. O concerto será no Teatro Procópio Ferreira, às 20 horas, com entrada gratuita. Os ingressos já podem ser retirados na bilheteria do teatro.

De acordo com o maestro Edson Beltrami, esta foi a última peça escrita por Mozart e é considerada uma de suas melhores e mais famosas obras. “O ‘Requiem em ré menor (K. 626)’ é uma missa fúnebre, encomendada a Mozart pelo Conde Franz von Walsegg após a morte de sua esposa Anna, então com 20 anos de idade. A obra foi deixada incompleta, devido à morte de Mozart em 5 de dezembro de 1791, sendo completada posteriormente pelos amigos e discípulos do compositor: Franz Xaver Süßmayr, Joseph Leopold Eybler e, possivelmente, Franz Jacob Freystädtler”, comenta.

Anna Walsegg faleceu em 14 de fevereiro de 1791. Em julho do mesmo ano, bateu à porta de Mozart um desconhecido que desejava uma missa de réquiem para o memorial de sua falecida esposa, mas o Conde planejava dizer que fora ele o autor a obra – por isso o anonimato. Recusando-se a se identificar, o mensageiro encarregou Mozart de compor um réquiem em ré menor, deu-lhe um adiantamento de 50 ducados e avisou que retornaria em um mês com os outros 50 restantes.

Pouco tempo depois, Mozart foi convidado a escrever a ópera “A clemência de Tito”, para festejar a coroação de Leopoldo II. Quando subia com sua esposa Constanze na carruagem que os levaria a Praga, o desconhecido o abordou outra vez, perguntado por sua encomenda. Mozart, então, teria prometido completar a assim que voltasse de sua viagem. Todavia, Mozart conseguiu terminar apenas poucas partes do Réquiem antes da sua morte. “Cinco dias após a sua morte, em 10 de dezembro de 1791, o Introit do Requiem foi tocado em um serviço memorial para o próprio Mozart na Igreja de Miguel Arcanjo em Viena, tendo quase toda sua orquestração completada, provavelmente, por Franz Jacob Freystädtler”, acrescenta Beltrami.

O concerto terá a participação dos solistas Marcos Baldini (sopranista e regente convidado do Coro do Conservatório de Tatuí), Érika Andrade (soprano), Ramon Mundim (tenor) e Vitor Mascarenhas (barítono). Além do Requiem, a Orquestra Sinfônica apresentará ainda a “Sinfonia nº 40, em sol menor (KV. 550), também de Mozart.

O Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí foi criado em 1988. É formado por alunos e professores-monitores da instituição. Ao longo de sua trajetória, tem realizado apresentações importantes de repertório a capella, música brasileira, repertório sinfônico e óperas. É o único bicampeão do Mapa Cultural Paulista – tendo vencido as edições de 2001/2002 e 2007/2008.

A Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí foi fundada em 1985 para dar suporte à performance dos estudantes da área de Cordas Sinfônicas da instituição. Também formado por alunos e monitores, o grupo garante aos alunos ampla experiência de executar o repertório sinfônico, além de ser uma prévia do que os músicos encontrarão no mercado de trabalho. O grupo possui uma bagagem artística invejável e recebe regularmente diversos regentes e solistas consagrados.

O Maestro Edson Beltrami é formado em Flauta Transversal pelo Conservatório de Tatuí, vencedor de mais de uma dezena de concursos. Atuou por mais de dez anos como 1ª Flauta Solo convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e já se apresentou, como flautista e maestro, nos mais importantes palcos do Brasil e do exterior. Desenvolve também intensa carreira como compositor, sendo suas obras editadas e publicadas nos Estados Unidos. Por 20 anos, foi regente da Orquestra Sinfônica Jovem do Conservatório de Tatuí, onde agora coordena a Orquestra Sinfônica e responde como Assessor Artístico.

Érika Andrade – Atriz pelo Conservatório Carlos Gomes de Campinas e bacharel em canto lírico pela Universidade Estadual de Campinas, trabalhou com grandes nomes do cenário musical, como KathynHartgroove (USA), Hanz-Peter Schurz (Alemanha) e Isaac Karabtchevsky. Solista nas óperas “Bastien und Bastienne”, “Dido e Eneas”, “Gianni Schicchi”, entre outras. Foi acompanhada por diversas orquestras: Sinfônica de Campinas, Limeira, Americana, Botucatu, Mogi Guaçu, Sorocaba e Orthesp. Em 2011, participou do festival de corais Mundus Cantat, em Sopot – Polônia, com o Coro Academia Concerto. Integrou o Coro Sinfônico do Conservatório de Tatuí (2012-2014). Como camerista, solou importantes concertos, como: Carmina Burana e Catulli Carmina (Carl Orff), StabatMater (Pergolesi) Exultate, Jubilate e Vesperaes Solennesdi Confessori (Mozart). Participou do programa Prelúdio da TV Cultura (2013) e da ópera Ártemis (Theatro São Pedro-SP). Solista da temporada 2015 do Theatro São Pedro (SP), foi premiada no VIII Concurso Estímulo para Cantores Líricos Carlos Gomes, como Melhor Intérprete de Canção de Carlos Gomes, e no I Concurso de Canto de Vinhedo AMUVI. Recebeu em 2016 a honraria “Medalha do Mérito Cultural Carlos Gomes”, por preservar a obra do maestro em sua terra natal. Atua como cantora, orientadora vocal, produtora, atriz e dubladora.

Marcos Baldini – Iniciou estudos de Canto Lírico no Conservatório de Tatuí, sob a orientação da Profª Angelina Colombo Ragazzi, sendo o primeiro sopranista a ingressar neste curso da instituição. Dentre seus Mestres de Canto e Interpretação da Música Barroca, destacam-se os professores Marius van Altena (Holanda), Jordi Savall (Espanha), Julia Gooding (Inglaterra), Pedro Couri Neto (MG) e Nicolau de Figueiredo (Schola Cantorum Basiliensi – Basiléia / Suíça). Participou de master classes com Andréia Kaiser (SP), Profª Dra. Ângela Barra (GO), Lício Bruno (SP), Laura de Souza (SP), Neide Thomas (PR), Profª Drª Martha Herr (EUA/BRASIL),Karine Serafin (França), Rachel Insellman (EUA) e Suzie LeBlanc (Canadá). Na área de Regência Coral, participou de master class e oficinas com Beatriz Dokkedal (Campinas), Eduardo  Laikchevits (RJ), Mara Campos (SP), Valéria Matos (RJ), Mário Robert Assef (RJ), Maria José Chevitarese (RJ) e Homero Ribeiro de Magalhães (professor de canto coral e diretor do coral do Conservatoire National de Région de Metz, de Paris). Paralelamente, desenvolveu intenso aprimoramento técnico com a Profª Drª Mariana Cioromila (Romênia). Em 2006, ganhou o 1º lugar no II Concurso de Canto realizado pelo Conservatório de Tatuí, além de conquistar o prêmio de “Melhor Intérprete de Música Brasileira”, tendo ao júri a Profª Drª Ângela Barra e os compositores Sérgio de Vasconcellos-Corrêa e Edmundo Villani-Côrtes. Em 2009, foi convidado pelo maestro Rodrigo de Carvalho para integrar o elenco da Ópera “Dido e Enéias”, de Henry Purcell, que marcou a criação do Departamento de Ópera do Conservatório de Tatuí, sob a direção cênica de Marcelo Cardoso Gama e ao lado de Laura de Souza (soprano) e Leonardo Neiva (barítono). Em 2010, ministrou o Oficina de Canto Barroco, organizado pelo Centro de Artes e Letras, no II Encontro de Musicologia e Performance da UFSM (RS), além da Palestra “A prática vocal do período Barroco e História e características da atividade musical dos castrati na ópera dos séculos XVII e XVIII”. Em 2013, a convite do Maestro Isaac Karabthevsky, fez participação especial no oratório “Die Schöpfung” de Franz Joseph Haydn (1732-1809), interpretada na Sala São Paulo. Em 2014, a convite do Maestro João Maurício Galindo, participou do Concerto de Abertura das Comemorações do 60º aniversário do Conservatório de Tatuí, interpretando a obra “Vespera Solennis de Confessore”, K.339, também apresentado na Sala São Paulo. É formado em Licenciatura em Música pela Universidade Metropolitana de Santos, com pós-graduação em Docência no Ensino Superior. Também é formado em Canto Lírico e Regência Coral pelo Conservatório de Tatuí.

Vitor Mascarenhas – Barítono, nascido na Capital Paulista, iniciou seus estudos como cantor em 2014 com Edna de Oliveira. Foi membro da Academia de Ópera do Theatro São Pedro, onde participou como solista da produção da ópera “Gianni Schicchi” de Giacomo Puccini na temporada de 2017. Aos 21 anos, entrou para o Ópera Studio do Theatro Municipal de São Paulo, onde atualmente participa de produções como “Missa” de Leonard Bernstein, o programa “Meu primeiro Municipal”, além de montagens de óperas como “L’elisir D’amore”, “Cosìfantutte”, “La Scala di Seta” e “Hänsel und Gretel”. Também participou como solista de grandes produções do Theatro Municipal de São Paulo, como “O Barbeiro de Sevilha”, “Turandot”, “La Traviata” e “Der Rosenkavalier”.

Ramon Mundin – Iniciou seus estudos musicais com Lucilia Costa e formou-se no Conservatório W. Mozart (Ribeirão Preto). Foi membro do Coro de Ópera da Cia Minaz e Ópera Estúdio (curta), onde participou de diversas montagens. Atualmente, é membro do Opera Studio do Theatro Municipal de São Paulo e bacharelando em Canto na classe do Prof. Dr. Angelo Fernandes pela Unicamp, além de integrar o Coro Contemporâneo de Campinas. Recebeu premiações nacionais e internacionais, tais como: Concurso Maria Callas (SP), Sarzana Opera Festival(ITA) e Fondazione Luciano Pavarotti (ITA). Cantou como solista: concertos e recitais em Modena, Sarzana, São Paulo, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto, entre outros. Estudou com Eliane Coelho, Ernesto Palacio, Fabio Armiliato, Katia Ricciarelli, Paolo Andreolli, Gabriel Rhein Schirato e Rafael Andrade. Cantou sob regência de Abel Rocha, André dos Santos, Angelo Fernandes, Cintia Alireti, Francesco Cilluffo, Gabriel Rhein Schirato e Roberto Minczuk. Atuou sob direção de Cleber Papa, Felipe Venâncio, Keila Bueno, Livia Sabag, Mauricio Veloso e Paulo Ésper. Em 2016, fez seu debut no papel de Nemorino da ópera “L’elisir d’amore – G.Donizetti”, em 2017, cantou A Criação (Uriel) e Missa Lord Nelson- Haydn, La Traviata (Gastone e Giuseppe) – G. Verdi e Flauta Mágica (1 Sacerdote) – W. Mozart, em 2018 , Bastien und Bastienne(Bastien) – W. Mozart ; La Traviata (Alfredo) e Gianni Schicchi (Rinuccio), 2018-2019; La Scala di Seta (Dormont) – 2019.

SERVIÇO
Coro e Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí
Érica Andrade, soprano
Ramon Mundim, tenor
Vitor Mascarenhas, barítono
Marcos Baldini, sopranista e regente convidado do Coro
Edson Beltrami, regente
Data: 02 de novembro de 2019, sábado
Horário: 20h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí-SP
Entrada gratuita