Institucional 6
Institucional 5
Institucional 4
Institucional 3
Institucional 2
Banner Institucional 1

Conservatório de Tatuí apresenta A Trupe Barroca com o concerto “As Quatro Estações de Antonio Vivaldi”

Evento didático abre a Temporada 2019 do Teatro Procópio Ferreira nesta quinta, dia 14, e traz como solistas a violinista barroca norte-americana Cynthia Freivogel e o cravista brasileiro Fernando Cordella

Conservatório de Tatuí apresenta A Trupe Barroca com o concerto “As Quatro Estações de Antonio Vivaldi”

12/03/2019

O Conservatório de Tatuí – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – traz para a Capital da Música nesta quinta-feira, dia 14, a orquestra A Trupe Barroca, com o concerto didático “As Quatro Estações de Antonio Vivaldi”. A apresentação abre a Temporada 2019 do Teatro Procópio Ferreira e tem como solistas a violinista barroca norte-americana Cynthia Freivogel e o cravista brasileiro Fernando Cordella, sob regência de Sérgio Dias. O concerto, que também terá obras de Alessandro Scarlatti e Georg Friedrich Händel, será às 18 horas, com entrada gratuita.

A Trupe Barroca é um conjunto musical autônomo, criado em 2017 com o objetivo de dedicar-se à pesquisa e à divulgação da música dos séculos XVII e XVIII, usando instrumentos históricos e técnicas interpretativas condizentes com o período. Desde a sua fundação, realiza concertos frequentes, tendo como solistas importantes nomes da chamada Música Antiga do Brasil e da Europa.

O trabalho quase arqueológico desenvolvido pelo grupo é conhecido como Música Historicamente Informada e baseia-se na pesquisa do repertório a ser executado, buscando a fidelidade das articulações corretas, dos instrumentos históricos (réplicas ou originais), o temperamento adequado e o diapasão ideal a cada período. Todos esses quesitos colaboram para revelar ao público uma atmosfera sonora mais próxima daquela em que as obras foram concebidas.

Neste concerto, o público poderá admirar os acordes de violinos antigos, originais do século XVIII, e também réplicas perfeitas de instrumentos históricos, como a tiorba, a viola da gamba e a guitarra barroca. Uma nova “música antiga”, com instrumentos históricos e técnicas de interpretação fiéis à época barroca, em pleno século XXI – essa a proposta ousada da orquestra A Trupe Barroca.

Além de “As Quatro Estações”, o grupo apresentará a “Sinfonia em Ré Maior” de Alessandro Scarlatti, em primeira audição brasileira. E também o “Concerto para Cravo e Orquestra em sol menor, opus 4, nº 1” de Georg Friedrich Händel. O repertório terá apresentação didática em Tatuí, com entrada gratuita, e será apresentado oficialmente no Theatro São Pedro, em São Paulo (Capital), no próximo sábado, dia 16, com ingressos a R$ 70 (meia-entrada R$ 35).

Master Classes e ensaios abertos

A parceria entre o Conservatório de Tatuí e A Trupe Barroca oferece aos alunos do Conservatório a oportunidade de acompanhar uma Aula Magna e cinco Master Classes de Violino e Viola Barroca com a norte-americana Cynthia Freivogel, que segue com suas orientações até a próxima sexta-feira, dia 15. Os estudantes ainda podem acompanhar, diariamente, a partir das 14h30, os ensaios de A Trupe Barroca para o concerto, que também são abertos ao público.

Cynthia Freivogel

Violinista que tem se destacado mundialmente como solista e camerista do repertório barroco e moderno. Chamada pelo Denver Post de “artista estrelar para qualquer padrão”, Cynthia é a spalla da Orquestra de Câmara Barroca do Colorado (Denver), da Orquestra de Câmara Artek Chamber Orchestra de Nova Iorque e é, ainda, a diretora artística do conjunto Combattimento.

Além do Collegium Musicum Den Haag, já liderou e atuou como solista com Concerto Köln, Joshua Rifkin’s Bach Ensemble e Musica Poetica. É membro do Tulpen Consort e Hopkinson Trio e colabora também com Vox Luminis, Scorpio Collective, Holland Baroque Society, Amsterdam Baroque Orchestra, Concerto d’Amsterdam, Northern Consort e Luther’s Bach Ensemble. Foi membro do Brandywine Baroque, com o qual gravou diversos CDs, incluindo Op. 5 de Corelli, para o selo Plectra, e também foi fundadora do Novello Quartet e do Coriolan Quartet. Sua versatilidade levou-a a colaborar com artistas visuais e bailarinos, aliando música antiga a coreografias de Garrett Ammon para a companhia de dança Wonderbound (Denver, Colorado).

Antes de decidir dedicar-se à música antiga, foi membro da Osesp, como spalla substituta, da New World Symphony, em Miami, da Royal Concertgebouw Orchestra, em Amsterdam, da Colorado Music Festival Orchestra, em Boulder, além de ter colaborado com a Handel & Haydn Society, em Boston, e com a Philharmonia Baroque Orchestra, em San Francisco. É bacharel em musicologia pela Universidade de Yale e mestre pelo Conservatório de San Francisco, tendo estudado com Camilla Wicks e Marylou Speaker Churchill.

Fernando Cordella

Cravista, docente e pesquisador em música dos séculos XVII e XVIII, diretor artístico da Confraria Música Antiga StudioClio, da Sociedade Bach Porto Alegre e da Orquestra de Câmara de Carazinho, onde atua como maestro titular. É membro fundador dos grupos Capela Strumentale e Concerto Barroco, em Porto Alegre.

Atua como solista de cravo e baixo continuísta em orquestras do Rio Grande do Sul, como Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, Orquestra de Câmara da ULBRA, Orquestra SESI/Fundarte, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Orquestra Sinfônica da UCS e Orquestra da UNISINOS, sob regência de Roberto Duarte, Lavard Skou-Larsen, Alessandro Sangiorgi, Fredi Gerling, Antônio Carlos Borges-Cunha, Manfredo Schmiedt e Tiago Flores, entre outros.

Em festivais de música, atuou sob direção de Michaela Comberti (2002), Manfred Kraemer (2003 e 2004) e Luiz Otávio Santos (2005). Em 2008 e 2009 foi solista da integral dos Concertos de Brandenburgo de J.S. Bach. Participa regularmente desde 2007 como cravista oficial do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga em Juiz de Fora, M.G.

Estudou com as professoras Fabiane Tombini, em sua cidade natal, Carazinho, RS, e Dirce Knijnik, em Porto Alegre. Bacharelou-se em Música (2005) no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Participou de  masterclasses de cravo com Marcelo Fagerlande, Marcos Höller, Edmundo Hora e Nicolau de Figueiredo e Robert Hill.

Sérgio Dias

Graduado em flauta, composição e regência, pós-graduado em Educação Musical, em Arte e Cultura Barroca e mestre em música, com área de concentração em Musicologia Histórica. É doutor pelo Departamento de Ciências Musicais da Universidade Nova de Lisboa e trabalha como musicólogo consultor junto ao arquivo do Conservatório San Pietro a Majella de Nápoles. É Ex-professor do Conservatório Brasileiro de Música, ex-professor titular de harmonia, contraponto, fuga e estruturação musical da Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES), além de ex-professor substituto do Conservatório de Coimbra e da Escola Superior de Educação de Lisboa.De sua vasta lista de orientadores poder-se-iam destacar os nomes de David Munrow, Michel Philippot, Christopher Bochmann, Aurèle Nicolet (Festival de Lucerna), José Siqueira, Cláudio Santoro, Eleazar de Carvalho e Francisco Mignone.

Participa ativamente como intérprete e/ou diretor musical junto a importantes conjuntos nacionais e estrangeiros, dentre eles o Ars Instrumentalis, a Camerata Philarmonia, o grupo Sequencia (Argentina), o Conjunto de Música Antiga da FAMES (Ensamble Cim Sancto Spiritu), a Miami Philarmonic, a Capella della Pietà dei Turchini, a Saint Paul Chamber Orchestra, a Orquestra do Mozarteum de Buenos Aires, a Capella Luso-Brasiliensis, a Sinfônica do Teatro Colón, A Orquestra Sinfônica Nacional, a Orquestra e Coro dos Festivais de Lucerna, a Orquestra de câmara de Rouen, as Orquestras dos Festivais Internacionais de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, entre várias outras.

Foi maestro titular da Orquestra de Câmara da Universidade Federal do Espírito Santo, da Orquestra da Faculdade de Música do Espírito Santo, e do Ensamble Cum Sacto Spiritu, grupo especializado em música antiga, com o qual gravou, em 1997, um CD intitulado “O Amor e o Humor na Música Brasileira dos séculos XVIII e XIX”. Atualmente é professor e musicólogo do Departamento de Música da Universidade Federal de Pernambuco, além de regente titular das Orquestras de Câmara e da Orquestra Sinfônica da mesma Universidade.

SERVIÇO
A Trupe Barroca em “As Quatro Estações de Antonio Vivaldi”
Cynthia Freivogel, violino barroco
Fernando Cordella, cravo
Sérgio Dias, regência

Concerto Didático
Data: 14 de março, quinta-feira
Horário: 18h00
Local: Teatro Procópio Ferreira
Rua São Bento, 415, Centro, Tatuí-SP
Entrada gratuita

Concerto
Data: 16 de março, sábado
Horário: 20h00
Local: Theatro São Pedro
Rua Barra Funda, 171, Barra Funda, São Paulo-SP
Ingressos: R$ 70,00 (meia-entrada R$ 35)


Agência Digimeta