Secretaria da Cultura
Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí

A Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí integra equipamento da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo de São Paulo. É formada por alunos e professores do Conservatório de Tatuí, além de músicos convidados.
Fundada em 1992, surgiu a partir de um processo de semiprofissionalização de grupo, dentro da instituição. Até 1996, era a única oportunidade de alunos de níveis avançados interagirem com músicos já profissionais, em apresentações oficiais, propiciando uma troca de experiências entre seus componentes. Primando por repertório eclético, o grupo conta com vida fonográfica ativa. O primeiro CD foi gravado em 1995, denominado “Compositores Brasileiros”, marcando o trabalho de documentação de diversos gêneros. Já em 1997, gravou “Pró Banda – Compositores Brasileiros”. No ano 2000, gravou o CD “Arranjadores Brasileiros”. Em 2001, foram gravados dois CDs de demonstração para a editora holandesa “Gobelin”. Já em 2002, efetuou a gravação do CD “Retratos”, enquanto que em 2003 gravou “Pró Banda” e um novo CD-demo, desta vez para uma editora japonesa. Também foram gravados “Do Coração e da Alma – Obras de Hudson Nogueira” (2004) e “15 Anos” (2006). Em 2007, a banda grava o DVD “15 Anos”, que traz documentário sobre o grupo, além de repertório que inclui Astor Piazzolla, Tom Jobim e Zequinha de Abreu. Em 2012 grava o CD "20 Anos", com obras de Osvaldo Larcerda, Edmundo Villani-Côrtes, Martin Ellerby e Anacleto de Medeiros.
Atua fortemente na execução de obras encomendadas a arranjadores e compositores brasileiros, tornando-se fundamental no incentivo de produção de obras originais para bandas. Entre as mais importantes estão “Sinfonia nº 1”, de Edmundo Villani-Côrtes; “Sinfonia Anõia”, de Sergio Vasconcellos-Corrêa - que mereceu prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor obra sinfônica de 1999 -, “Retratos do Brasil”, de Hudson Nogueira; “Portrait” e “Concerto para Banda”, de Edson Beltrami, entre muitas outras. Seu repertório conta com mais de 120 obras originais especialmente escritas para o grupo. Dentre essas, há 98 estreias brasileiras de repertório internacional que, hoje, são referências mundiais.
Ao longo de seu funcionamento, a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí recebeu dezenas de regentes reconhecidos na cena musical como convidados especiais. Dentre eles, destacam-se Arnald Gabriel, Virginia Allen, Daniel Havens, Isaac Daniel Jr., Pamela Bustos, Thomas Lee, Lowell Graham, Thomas O’Neal, Mark Whitlock, Dwight Satterwite, Matthew George, Hadrian Avila, David Antezana, Juan Ringer, Francisco Grau Vegara, Pablo Sanches Torrella, Rafael Sanz-Espert, Felix Hauswirth, Glenn Price, Marcelo Jardim, Marcelo Maganha, Roberto Farias, Wagner Polistchuck, Marcos Sadao e Monica Giardini. Em 2011, a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí recebe como maestro convidado de Honra o “von Karajan das Bandas”, Frank Battisti, referência maior no mundo dos sopros sinfônicos e um dos grandes responsáveis pelos novos conceitos da banda sinfônica, juntamente com Frederick Fennel.
Ao longo dos últimos anos, a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí vem realizando ações didáticas com objetivos de educar e envolver crianças e adolescentes no universo da música clássica. Nesse sentido, destacam-se projetos especiais como “Guia para Banda”, “Villa-Lobos encontra Guarnieri”, “A Vinda da Família Real ao Brasil”, “MomoPrecoce”, “Sonho de Criança” e “Stravisnky e seu ballet Petrushka”.



 


Maestro - Dario Sotelo Calvo

www.dariosotelo.com.br

Formado em piano, violino e viola, é mestre em regência orquestral pela City University (Londres), como aluno de Ezra Rachlin, um dos discípulos de Fritz Reiner. Foi coordenador da área de cordas do Conservatório de Tatuí, reestruturando os programas dos cursos dos instrumentos de cordas, integrando-o às atividades de música de câmara e orquestra, em níveis equiparados.
Criou e estabeleceu orquestras jovens em Tatuí, Belo Horizonte e São Paulo. Por meio do Conservatório de Tatuí, realizou várias encomendas e estreias mundiais a compositores brasileiros, como a ópera “A Peste e o Intrigante”, de Mario Ficarelli; “Cantata de Natal”, de Ernest Mahler; e “Sonho de Uma Noite de Verão”, de Edson Beltrami. Após dois anos em Londres (1991-1992), é convidado a assumir a regência da atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a estabelecer o curso de regência instrumental do Conservatório de Tatuí. De 1998 a 2003, atuou como regente da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí.
Como palestrante e regente convidado participou de dezenas de atividades internacionais, entre elas o Festival de Música Brasileira em Wattwill (Suíça), gravação para a Rádio Estatal Húngara e turnês pelos Estados Unidos e Espanha. Atuou, ainda, como regente e palestrante na Convenção Estadual de Minnesota em Mineápolis, na Universidade de Duluth e na Berklee College of Music, em Boston (EUA). Também como regente atua em vários outros lugares do mundo como Hungria, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Espanha, África do Sul, Colombia, Uruguai, Costa Rica, Paraguai, Argentina e Taiwan. No Brasil, atua em cidades como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Blumenau, Caxias do Sul e Porto Alegre, em Festivais como Campos do Jordão e São João Del Rei, Oficina de Música de Curitiba, Festival Sesc-Pelotas e Festival de Inverno de Divinópolis (MG).
Estabeleceu a Conferência Ibero-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí e foi o coordenador geral e artístico nos anos de 2002 e 2004 do IV Congreso Ibero-Americano de Compositores, Arregladores y Directores de Banda Sinfônica e Ensembles, coordenando o evento na cidade de Tenerife (Espanha) em 2008.
Desde 1995 coordenou a gravação de nove CDs com a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com obras de diversos autores brasileiros. O mais recente foi gravado em 2012, comemorando os 20 anos de existência da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Frente ao grupo, até o momento, realizou 122 estreias mundiais de obras de compositores brasileiros e 98 estreias brasileiras de compositores internacionais.
Escreveu vários espetáculos para crianças e jovens, entre eles: “Villa-Lobos encontra Guarnieri”, “A Vinda da Família Real ao Brasil”, “MomoPrecoce”, “Sonho de Criança” e “Stravisnky e seu ballet Petrushka”.
Além de regente da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, é professor de regência instrumental da mesma instituição.


Voltar | Topo da página

Digimeta