Regência

O Conservatório de Tatuí oferece três cursos de regência, que foram instituídos em 1997 com objetivo de fornecer ferramentas básicas para o músico ou regente que não tenha tido acesso a nenhum tipo de formação sobre a atividade, seja privada ou acadêmica.
A grade curricular é realizada em duas etapas, cada uma com dois semestres de duração. Para participar do curso é necessário ter conhecimento musical de nível médio de um músico-instrumentista.
Iniciando com informações sobre regência instrumental, o curso tem por objetivo a estruturação do trabalho do regente por meio da técnica básica de gesto, estudo da partitura, todos seus elementos musicais, e da junção do gesto expressando o texto musical em toda sua abrangência.
Na segunda etapa, o trabalho é direcionado ao aprofundamento do conhecimento da interpretação com o trabalho de obras que mostrem a diversidade da produção musical, tanto para orquestra sinfônica quanto para banda sinfônica. Com estes objetivos a alcançar, o aluno estará preparado a ingressar num curso superior, bem como atuar no mercado com base e profissionalismo nos diversos grupos em formação ou profissionais.
No curso de regência coral, com duração de quatro semestres, os alunos desenvolvem todas as técnicas de regência como análise, forma, parte gestual, harmônica, o pré-conhecimento musical, além da prática de regência.


Grade Curricular


Curso

Idade Mínima

Duração

Regência Coral

18 anos

4 semestres

Regência de Orquestra e de Banda

18 anos

4 semestres

Cadmo Fausto

Regência de Canto Coral

Paulistano, filho dos artistas plásticos Carlos Augusto e Ida Santoro, iniciou atividades musicais aos oito anos de idade, ao piano. Teve como professores Fábio Luz, Homero Magalhães, Maria José Carrasqueira e Beatriz Reman. Participou de cursos de aperfeiçoamento com os pianistas Felippe Silvestri, Charles Dobler, Regina Luponni e Magdalena Tagliaferro, por quem foi convidado a continuar os estudos pianísticos em Paris. Premiado em diferentes concursos de piano, estudou no Conservatório de Tatuí, Escola Municipal de Música de São Paulo (na classe de composição de Osvaldo Lacerda) e concluiu bacharelado em piano na Universidade São Judas Tadeu na classe de Maria José Carrasqueira. É mestre em Educação, pela Universidade de Sorocaba. Como regente coral foi assistente do maestro Samuel Kerr. Fez cursos de regência coral com vários regentes internacionais como Henry Leck, Alberto Grau, Carlile Weiss, entre outros. Atualmente, trabalha com coros mistos, feminino, da terceira idade e infantis. Encara o coro como uma forma de musicalização e formação vocal para amadores, tendo como destaques os inúmeros arranjos corais também com a preocupação com o resgate da música popular brasileira, regional e folclórica. Nesse sentido, coordena o Madrigal Universitário e Terceira Idade da Uniso (Universidade de Sorocaba) – onde é professor titular - e desenvolve trabalhos profissionais junto aos coros “Cantares”, “Coral Saúde na PUC Sorocaba”, “Coral Infantil do Colégio Anglo” e “Coral do Colégio Dom Aguirre”. É regente do Coro do Conservatório de Tatuí – com o qual conquistou o bicampeonato no Mapa Cultural Paulista, categoria canto coral. Também detém a coordenadoria da área de canto e coral do Conservatório de Tatuí.

Dario Sotelo Calvo

Regência de Banda Sinfônica e Regência de Orquestra

Formado em piano, violino e viola, é mestre em regência orquestral pela City University (Londres), como aluno de Ezra Rachlin, um dos discípulos de Fritz Reiner. Foi coordenador da área de cordas do Conservatório de Tatuí, reestruturando os programas dos cursos dos instrumentos de cordas, integrando-o às atividades de música de câmara e orquestra, em níveis equiparados.
Criou e estabeleceu orquestras jovens em Tatuí, Belo Horizonte e São Paulo. Por meio do Conservatório de Tatuí, realizou várias encomendas e estreias mundiais a compositores brasileiros, como a ópera “A Peste e o Intrigante”, de Mario Ficarelli; “Cantata de Natal”, de Ernest Mahler; e “Sonho de Uma Noite de Verão”, de Edson Beltrami. Após dois anos em Londres (1991-1992), é convidado a assumir a regência da atual Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a estabelecer o curso de regência instrumental do Conservatório de Tatuí. De 1998 a 2003, atuou como regente da Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí.
Como palestrante e regente convidado participou de dezenas de atividades internacionais, entre elas o Festival de Música Brasileira em Wattwill (Suíça), gravação para a Rádio Estatal Húngara e turnês pelos Estados Unidos e Espanha. Atuou, ainda, como regente e palestrante na Convenção Estadual de Minnesota em Mineápolis, na Universidade de Duluth e na Berklee College of Music, em Boston (EUA). Também como regente atua em vários outros lugares do mundo como Hungria, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Espanha, África do Sul, Colombia, Uruguai, Costa Rica, Paraguai, Argentina e Taiwan. No Brasil, atua em cidades como Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Blumenau, Caxias do Sul e Porto Alegre, em Festivais como Campos do Jordão e São João Del Rei, Oficina de Música de Curitiba, Festival Sesc-Pelotas e Festival de Inverno de Divinópolis (MG).
Estabeleceu a Conferência Ibero-Americana de Compositores, Arranjadores e Regentes de Banda Sinfônica em Tatuí e foi o coordenador geral e artístico nos anos de 2002 e 2004 do IV Congreso Ibero-Americano de Compositores, Arregladores y Directores de Banda Sinfônica e Ensembles, coordenando o evento na cidade de Tenerife (Espanha) em 2008.
Desde 1995 coordenou a gravação de nove CDs com a Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí e a Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí, com obras de diversos autores brasileiros. O mais recente foi gravado em 2012, comemorando os 20 anos de existência da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí. Frente ao grupo, até o momento, realizou 122 estreias mundiais de obras de compositores brasileiros e 98 estreias brasileiras de compositores internacionais.
Escreveu vários espetáculos para crianças e jovens, entre eles: “Villa-Lobos encontra Guarnieri”, “A Vinda da Família Real ao Brasil”, “MomoPrecoce”, “Sonho de Criança” e “Stravisnky e seu ballet Petrushka”.
Além de regente da Banda Sinfônica do Conservatório de Tatuí, é professor de regência instrumental da mesma instituição.
Contato: dariosotelo.com.br


Voltar | Topo da página

Digimeta